domingo, 8 de maio de 2016

Apesar da origem pagã e da mercantilização, o dia das mães tem importância bíblica...




Que essa curiosidade não chegue aos ouvidos dos religiosos fundamentalistas! Pesquisando certa vez na internet, fiquei sabendo que a mais antiga comemoração dos dias das mães tem suas origens mitológicas no paganismo. Na Grécia antiga, a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses. Informa a Enciclopédia Britânica que:

"Uma festividade derivada do costume de adorar a mãe, na antiga Grécia. A adoração formal da mãe, com cerimônias para Cibele ou Rhea, a Grande Mãe dos Deuses, era realizada nos idos de março, em toda a Ásia Menor." - Enciclopédia Britânica, (1959), Vol.15, pág..849 apud Wikipédia in http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_das_M%C3%A3es 

Bem, é melhor eu ficar quieto, senão daqui a pouco ouviremos gente dizendo que o dia das mães é coisa do demo, muito embora a Bíblia ensine, no 5º mandamento do Decálogo, que devemos honrar pai e mãe (conf. Ex 20:12; Dt 5:16). Trata-se do primeiro mandamento com promessa e que de modo algum deve ser esquecido por causa da contribuição dos pais na ordem social criada. Ou seja, existe aí uma importância bíblica a ser considerada.

Mas, por outro lado, há que se ter cautela nos dias atuais apenas com a mercantilização dessa data, considerada o "segundo Natal" do comércio. Isto sim seria verdadeiramente preocupante! Aliás, a própria idealizadora do "Dia das Mães", a metodista norte-americana Anna Jarvis, após ter conseguido que o então presidente Thomas Woodrow Wilson reconhecesse as suas comemorações, em 09/05/1914, veio a lamentar por sua criação.

A meu ver, embora haja toda essa nefasta comercialização do Mother's Day, penso que a data precisa ser mantida e recupere o seu objetivo original assim como o Natal de Jesus. A melhor dádiva que um filho pode dar à mãe é a sua presença, não abandonando-a nas horas de dificuldade, dando-lhe alegrias verdadeiras, respeitando-a e amando-a.

No Brasil, o segundo domingo de maio foi oficializado em 1932 por Getúlio Vargas, atendendo aos pedidos feitos pelas feministas da época. E, em 1947, a data passou a fazer parte do calendário oficial da Igreja Católica. Tal como nos EUA, temos aqui os mesmos problemas com a mercantilização dessas comemorações familiares, sendo isto algo que apenas precisamos aprender a lidar, evitando que a compra de bens materiais se torne mais importante do que as carinhosas atitudes de afeto e a insubstituível presença frequente do filho.


OBS: Ilustração acima extraída do acervo virtual da Wikipédia em http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_das_M%C3%A3es#/media/File:Mothers%27_Day_Cake.jpg

2 comentários:

  1. Na realidade quem cria e educa é que é a mãe, pois se torna substituta da grande Mãe e deuza Natureza, afinal toda mãe é a cópia do universo, um microcosmo dentro do macrocosmo.Mas na realidade a verdadeira mãe é masculina por dentro e educa mesmo, mas a mãe terna e carinhosa com alma feminina essa deseduca com tanto amor, mas estas produzem crianças para a vida positivas e não como as outras que se diferenciam quando com força de vontade entendem que vale mais a educação que vem de berço dos pais do que a educação aprendida como imitação.Mãe é Eam , EU SOU ao contrário, mai é o poder que emana da junção dos dois polos positivo e feminino neutralizado que produz a luz da consciência. E a consciência é Deus em ação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Clara.

      Inicialmente agradeço pela sua leitura e comentários aqui.

      Sem dúvida fez uma boa análise e que demonstra a necessária participação dos dois polos na educação da criança: o masculino e o feminino. Daí a importância da família tradicional ainda que as outras (avós, mães solteiras, duplas GLBT...) possam também de certo modo educar e em muitos casos até melhor do que inúmeros lares convencionais hoje desestruturados. Logo, quanto mais presentes e atuantes os pais, mais chances a criança terá de seguir um bom caminho, dialogando com os instintos e criando bons costumes. Acredito que tanto o afeto quanto a disciplina formam esse ambiente psicológico e espiritual para o educando se desenvolver bem visto que a correção punitiva-preventiva será sempre algo amoroso.

      Um ótimo domingo pra você!

      Excluir