segunda-feira, 30 de julho de 2012

O Sexo dos Anjos... Entrevista com Anja Arcanja - parte 1


Bem confrades, a pedido do Edu, nosso chefe mor, estou postando a 1° parte da entrevista que o Carlos convidou-me a responder, é um trabalho que tenho me dedicado muito e espero que o resultado final, seja valioso o bastante para que possa se transformar em um livro. 
postagem original feita em meu blog sob o link:




By Anja Arcanja e Carlos C. Cavalheiro


Muito se diz dos "sexo dos anjos" no sentido de que não tendo esses seres sexualidade, não haveria o que se discutir. Utilizando desse mote, e do uso no nick Anja Arcanja pela teóloga Rozana Madalena F. Souza, conhecida escritora, poeta, blogueira e controvertida e polêmica articulista, pensou-se numa entrevista com temas relativos à sexualidade, discutidos sob a ótica religiosa/teológica. A série de perguntas segue uma dinâmica fixa: cada tema possui três perguntas e três respostas. As perguntas serão todas feitas por mim, Carlos Carvalho Cavalheiro, historiador, teólogo, poeta e folclorista. As respostas serão todas dadas por Anja Arcanja.


Acompanhem conosco o andamento e o resultado deste inusitado trabalho.


Grato


Carlos C. Cavalheiro.

PRIMEIRO TEMA: COITO ANAL

Algumas traduções bíblicas, como a de João Ferreira de Almeida, muito popular no Brasil, traz o trecho de 1 Tm 1:10, no rol de pecados e profanações, a sodomia. Também na primeira Epístola aos Coríntios, capítulo 6, versículo 10, aparece o sodomita como um daqueles que não herdarão o reino dos céus. O Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa define a sodomia como “coito anal entre indivíduos do sexo masculino ou entre um homem e uma mulher”. Podemos, então, afirmar que sob a ótica bíblica o coito ou relação sexual anal é pecado?
(Carlos Cavalheiro)

Carlos, vou tentar responder sua pergunta de forma sucinta e objetiva, mas fugindo um pouco do que havia lhe proposto, isto porque você não especificou se tratar de relações apenas homoeróticas e sim de forma mais ampla e geral (tanto homo como hétero), mas isto é apenas por enquanto certo? Em chegando ao ponto de tratarmos apenas da questão homoafetiva, estarei abordando o tema de forma mais profunda, mas por enquanto, vamos começar assim, dando o pontapé inicial. Vamos lá?

Você cita o verso 10 do capitulo 1° da 1° carta a Timóteo que diz:
I Timóteo 1:10
10 - Para os devassos, para os sodomitas, para os roubadores de homens, para os mentirosos, para os perjuros, e para o que for contrário à sã doutrina,(…)

Mas deixa eu citar outro texto para que possamos entender um pouco mais do que se trata de fato:
I Corintios 6:9
9 - Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas,
10 - nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.

Então aqui podemos observar uma sentença: não herdarão o reino do céu!
Bem, sua pergunta se refere a palavra sodomia ou sodomita, e se é pecado; pois bem, tomando por base a bíblia (mas especificamente a LEI MOSAICA), posso afirmar que sim! Sim, é pecado! Mas sendo pecado posso afirmar que todos que praticam tal ato estarão condenados e não herdarão o reino do céu? Sim! Posso dizer seguramente que todos que praticam tal ato, estão condenados, mas não só quem tais atos praticam, mas também os que praticam idolatria (seja ela qual for), adúlteros, ladrões, avarentos, bêbados, maldizentes, etc., ou seja, pela lei, todos estamos condenados, pois não há um justo sequer: Romanos 3:23
23 - Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;

Então se TODOS pecaram e destituídos estão, isto inclui sodomitas e fofoqueiros, ladrões e beberrões, idólatras e devassos, chicos e Franciscos! Mas então qual a solução para este entrave? Se estamos TODOS desligados, o que haveria de nos RELIGAR? O SANGUE DE CRISTO!

O Sangue de Cristo é o Re-ligare, e por intermédio deste sangue, somos justificados a alcançamos o beneplácito, o favor divino. Deus ao olhar para seus eleitos, não vê suas atitudes, não vê sua orientação sexual, não vê nossas falhas e pecados, mas sim, vê apenas o precioso sangue de seu Filho, sangue este suficiente para que Deus não impute sobre os que Ele escolheu, a sua Justiça, mas sim seu beneplácito. “Pois a Lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade por intermédio de Jesus Cristo”. (evangelho de João 1:17).  Este é o grande evento da Bíblia, toda a Bíblia aponta para este fato: a Verdade que se revelou em Cristo Jesus, Ele é a verdade. E por intermédio de seu Sangue, nos foi dada a graça e a lei se cumpriu em Cristo Jesus. Não necessitamos, portanto, estarmos sujeitos à letra da lei para nos achegarmos a Deus, não mais precisamos de sacrifícios. “porque pela graça sois salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras para que ninguém se glorie”. (Efésios 2:8,9). Nada podemos ou precisamos fazer para merecer a graça, pois graça é favor imerecido. Onde antes havia pecado, segundo a lei, hoje superabundou a graça. Deus vê todos na mesma condição, seja homo, seja hétero.  Mas o Sangue de Cristo nos purifica de todo pecado.

Bem, você poderá dizer que temos que procurar uma vida de “santidade e pureza” e que devemos nos abster de tais atos, porém eu replico: I Coríntios 11:6
6 - Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu.
(Não só este verso de 1Co-11 mas todo o capítulo)
Quem hoje segue este preceito a não ser em poucas igrejas? Este é o ponto! Devemos procurar ver e entender o contexto histórico-crítico e cultural e não apenas o contexto imediato em que foi escrita a Bíblia para termos de fato uma visão clara sobre a questão. Não podemos de forma alguma nos prender a textos sem nos basear no contexto para termos o pretexto de privar-nos em dar e receber prazer.
Lemos em Tito 1:15
15 - Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os contaminados e infiéis; antes o seu entendimento e consciência estão contaminados.
O senhor criou nossos corpos e nenhuma parte deles é naturalmente imperfeita. Deus nos criou para que tenhamos vida em abundância e vivamos com prazer, sexo anal é apenas uma das maneiras de se chegar a este fim (seja numa relação homossexual ou heterossexual).

Não há mal nenhum em se praticar sexo anal, desde que haja respeito entre o casal (homo ou hétero) desde que haja o principal na relação: RESPEITO! Porque da condenação, já estamos livres.

RÉPLICA

[Carlos Carvalho Cavalheiro]: Entendo perfeitamente o seu ponto de vista, mas gostaria de aprofundar o debate sobre alguns pontos, especialmente aqueles que divergem da teologia tradicional. Você citou o livro de Romanos para falar sobre o pecado que atinge a todos. Pois bem, Paulo em Romanos inicia o debate dizendo que todos estamos destituídos da glória e que seremos condenados, porque todos pecamos.  Esse discurso ele continua nos capítulos seguintes e vemos em Rm. 5.12 a repetição: “assim a morte passou a todos os homens por isso todos pecaram”. Seguindo a lógica do seu discurso, Paulo diz que o pecado entrou no mundo por um homem (Adão) e faz a analogia com Cristo, o homem pelo qual o pecado foi tirado do mundo. Diz ainda que a graça superabundou sobre o pecado. Mas no capítulo 6, Paulo inicia assim: “Que diremos pois? Permaneceremos no pecado para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele? “. Adiante, no versículo 6 do capítulo 6 do referido livro de Romanos, Paulo ensina que “o nosso velho homem foi com ele crucificado para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado”. Bom, sendo assim, e tendo dito o mesmo Paulo em outras oportunidades que a sodomia é pecado, não devemos entender que o homem que aceita Cristo como seu Salvador deva abandonar tal prática? Com relação a sermos salvos pela fé e pelo sangue redentor de Cristo, isto se coaduna com a teologia tradicional (basta se reportar ao mesmo livro de Romanos, 3:24 -27). Entretanto, um ponto básico da Hermenêutica diz que não devemos ver um assunto isoladamente, senão se comparada a tudo o que a Bíblia diz a esse respeito. Desse modo, Walter A. Henrichsen[1] afirma que uma doutrina não pode ser considerada bíblica a não ser que resuma e inclua tudo o que a Escritura diz sobre ela. Com relação a doutrina de salvação, num contexto mais amplo, veremos que a fé e o sangue de Cristo dependem de outros fatores, como aceitação e arrependimento do pecador. O arrependimento, por exemplo, foi a tônica do discurso de Pedro no dia de Pentecostes (At. 2:37 – 38). Portanto, reconhecendo que a sodomia é uma prática pecaminosa de acordo com a Lei – e a Lei revela o pecado ao pecador (Rm 7.7), parece-me que justamente para que ele se arrependa – não haveria a necessidade, para se obter a graça da salvação, o arrependimento dessa prática? Por fim, se não há necessidade agora de observarmos nenhum preceito em relação ao pecado, por que Deus providenciou a expiação pela morte redentora de Seu Filho? Se o pecado seria tolerado depois de Cristo, qual foi a função de sua morte?



[1] HENRICHSEN, Walter A. Princípios de interpretação da Bíblia. São Paulo: Editora Mundo Cristão, 1997.

Réplica anja

Carlos, muito pertinente sua pergunta e sua avaliação, trazendo a tônica, a doutrina arminiana, que diz que devemos ser dignos de merecer a graça, algo contraditório, uma vez que a graça, é favor imerecido, concorda? Sendo assim, começo minha réplica citando alguns versos que trazem à tona a doutrina calvinista, esta sim, com muito mais embasamento nas Escrituras:

Salmos 139:16
16 - Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia.
João 17:8,9
8 - Porque lhes dei as palavras que tu me deste; e eles as receberam, e têm verdadeiramente conhecido que saí de ti, e creram que me enviaste.
9 - Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus.
Lucas 18:7
7 - E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles?
Romanos 8:33
33 - Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.
Romanos 9:11
11 - Porque, não tendo eles ainda nascido, nem tendo feito bem ou mal (para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama)
Romanos 11: 5,6 e 7
5 - Assim, pois, também agora neste tempo ficou um remanescente, segundo a eleição da graça.
6 - Mas se é por graça, já não é pelas obras; de outra maneira, a graça já não é graça. Se, porém, é pelas obras, já não é mais graça; de outra maneira a obra já não é obra.
7 - Pois quê? O que Israel buscava não o alcançou; mas os eleitos o alcançaram, e os outros foram endurecidos.

Pois bem Carlos, note que citei vários versos procurando dar mais ênfase a carta aos Romanos, trazendo assim a tônica que nada podemos fazer para ser merecedores da graça e nem o arrependimento, somos capazes de ter se este não nos for dado por Deus: 
Atos 5:31
31 - Deus com a sua destra o elevou a Príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados.
Ezequiel 36: 26,27
26 - E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne.
Ezequiel 36:27
27 - E porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis.

Ezequiel 11:19
19 - E lhes darei um só coração, e um espírito novo porei dentro deles; e tirarei da sua carne o coração de pedra, e lhes darei um coração de carne;

Tendo citado estes versos para mostrar nossa total incapacidade, pergunto, se Deus escreveu TODOS os meu dias em teu livro antes que nenhum deles existisse, como poderei fugir disto? Seria Deus tão injusto de por em meu coração um desejo em que, para estar em comunhão com Deus, devo abdicar de tal desejo?


NÃO!
Voltando um pouco mais, você me perguntaria: Mas você mesmo não me disse que sodomia é pecado? SIM! Pecado na lei mosaica, e para que serviu a lei? Simplesmente para mostrar nossa total incapacidade de cumprir os padrões pré-estabelecidos por deus, fazendo-se necessário,  o sacrifício vicário de Cristo.
Ou voltamos à Lei e a cumprimos na íntegra (sem tirar uma vírgula sequer), ou deixamos de fora toda a lei! Pois em se tentando cumprir a lei, falharmos numa vírgula sequer, seremos culpados por não termos cumprindo-a, entende? Então, como saber o que devemos cumprir e não devemos cumprir? Fácil! Tudo aquilo que me angustia a ponto de atrapalhar minha comunhão com deus, deve ser repensado, caso contrário, faça sexo anal, oral, homoerótico etc. e não carregue a menor culpa por isto.

Continuação da parte final da entrevista com o 1° tema na próxima postagem
Já está em  meu blog a 2° parte da entrevista, quem quiser conferir:

http://omundodaanja.blogspot.com.br/2012/07/parte-ii-o-sexo-dos-anjos-entrevista.html
______________________________________________


Carlos Carvalho Cavalheiro - Nasceu em São Paulo em 09 de maio de 1972. Formado em História, Teologia e Pedagogia. Pós-graduado em Gestão Ambiental e em Metodologia do Ensino de História. Professor de História na rede pública municipal de Porto Feliz. Escritor e poeta, escreveu os livros: "A greve de 1917 e as eleições municipais de 1947 em Sorocaba"; "Folclore em Sorocaba", "Salvadora!", "Decobrindo o Folclore", "Scenas da Escravidão", "Histórias que não se contam mais - vol 1", "A História do Preto Pio e a fuga de escravos de Capivari, Porto Feliz e Sorocaba", "Histórias que não se contam mais - vol. 2", "O Peregrino do Caminho do Sol", "Moda da História de Sorocaba", "Vadios e Imorais", "O Mistério Revelado", "Memória Operária", "Folia de Reis em Sorocaba".
Foi co-diretor, juntamente com Adilene Cavalheiro, do documentário "Cantos da Terra".
Produziu os cds "Cantadores - o folclore de Sorocaba de Sorocaba e região" e "Passarela da Saudade" (Diolindo e Almeida).


Anja Arcanja é scritora e poetiza amadora e teóloga. Autora do blog “O mundo Da Anja” (http://omundodaanja.blogspot.com.br/), um blog que conta com diversas parcerias e articulistas, voltado a discutir religião, filosofia, teologia, ateísmo, homossexualidade, sexualidade humana, entre outros temas de relevância; e do blog “Poemas e contos eróticos da Anja” (http://anjaarcanja.wordpress.com/), um blog de cunho erótico. Escreve ainda para os blogs “confraria teológica Logos & Mythos”, "Vida Sofista" e   “Fragmentos Ativos”, além de ter textos publicados em vários blogs e sites

108 comentários:

  1. Caros confrades

    É a vez do Anderson postar. Ele resolveu postar a entrevista que a Anja está fazendo. Isso será feito em duas partes. O tempo da postagem em discussão, logo, será maior, mas creio que não haverá reclamação quanto a isso, pois os temas da entrevista possuem um caráter teológico bem interessante a ser abordado pelos teólogos daqui de carteirinha.

    Creio que a Gui, o João, o Gil e o Doni, terão material bem interessante para se discutir um dos temas teológicos controversos do cristianismo: Lei e Graça. Liberdade moral ou cercas morais em uma e em outra.

    Para nossos confrades ateus, o tema será enfastiante. Podem ficar só de camarote. Aliás, o Noreda já está de camarote há um tempão.

    E o Levi, como sempre, achará uma abertura para nos presentear com suas análises do que vai no inconsciente da Lei e da Graça rss

    ResponderExcluir
  2. Embora esteja publicada aqui apenas a 1° parte da entrevista, sugiro que leiam a 2° parte para evitar sugerirem que estou defendendo doutrina calvinista ou outra qualquer, antes, é uma entrevista que ainda está longe do fim, são vários temas que serão abordados, e tento com respostas baseadas na própria bíblia, desmistificar o sexo para crentes e "simpatizantes" rsrs

    ResponderExcluir
  3. Se desmistificar o "tabu" sexual, vou montar uma franquia de barbearias nas igrejas só para depilar virilha das obreiras. De resto, §*%$#@§ª§º. !!??..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkk este deve ser o começo Mirandinha! E se por acaso vc abrir a barbearia, quero ser sócia! rsrs

      Excluir
    2. vc depila e eu massageio o local rsrs

      Excluir
  4. Olá Confrades

    A anja dominou de vez a mente do EDU e tomou posse da confraria! rsrsrs

    Realmente é um tema muito bom e sempre discutível.

    Vou dar minha opinião pessoal a respeito deste tema que dificilmente será possível a chegar em um determinador comum.

    Minha linha de pregação é esta: Eu creio que J.C. morreu na cruz para nos redimir de todo peso e pecado. Que veio principalmente para revelar a verdadeira face de Deus que é Amor.

    Creio que jamais conseguiremos estar fora do rol dos "pecadores" e dos que "não herdarão o reino de Deus" pelas nossas forças humanas e que esta capacidade está somente na Graça de Deus.

    Creio que todos serão salvos.

    Também penso que é preciso diferenciar o "céu" como estado de espírito com o "reino dos céus" vivido a partir de agora.

    Vejo os pecados como tudo aquilo que nos afasta da felicidade ou da graça de Deus e que portanto pode trazer prejuízos a nós mesmos e aos outros, porém nunca a Deus.

    Porém enfatizo que o "pecado" precisa ser voluntário e consciente.

    Como julgar? Impossível! Precisaria conhecer toda a vida de uma pessoa, o que passou, o que a levou a ser assim e a fazer as coisas que faz. Não bastasse isso existen outros fatores como por exemplo físico, etc.

    Também não consigo imaginar um Deus que é Pai condenando eternamente seus filhos. "pode a mãe esquecer seu filho.... Eu jamais te abandonarei" Isaías 49

    Dois exemplo que quero ilustrar:

    Imagina eu com minha filha diante de Deus no julgamento final. Minha filha foi uma das criaturas mais perversas na face da terra. Deus olha pra mim e diz: Você a julgará se deve ir ao céu ou ao inferno. Eu que fiquei a vida toda rezando pela sua salvação. Direi sem imediatamente o céu. Se eu que sou tão maquiavélico optei para salvá-la quanto mais Deus que é amor. O engraçado que quando julgamos alguém para o inferno é sempre o filho dos outros.

    Segundo exemplo.

    Minha filha é uma arteira. Vai mal na escola! Não para! Agitada! Mexe com todos amiguinhos. Em casa é um atropelo. Um tempo atrás eu lhe daria boas palmadas, a castigaria e até levaria para o padre tirar o demônio dela rsrsrsrs
    Hoje diagnosticado sei por exemplo que isto se chama hiperativa e que tem tratamento. Sei que pessoas de mal humor por exemplo podem apresentar uma anomalia no cérebro que a torna assim. Sei que loucura não é sinônimo de satanás e que com remédio é mais bem provável que o capeta seja exorcizado. Enfim tantos outros exemplos que a ciência contribuiu tão bem para esclarecermos assuntos que eram tratados como tabu e até pecado como por exemplo a dependência química que foi considerada como doença. Quantos dependentes nós já mandamos para o inferno segundo nossas avaliações errôneas religiosas.

    Enfim se religião for peso é melhor que nem exista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas Gil, e no tocante ao coito anal? o que vc pensa a respeito? (rsrs)

      Excluir
    2. Anja eu não vejo como pecado!

      Também não vejo como algo natural.

      Pode ser uma alternativa a mais na relação sexual. Eu particularmente não gosto rsrsrs Minha esposa também não!

      Excluir
    3. No ponto de vista bíblico eu concordo com você no texto e achei que trabalhou muito bem com o tema! A primeira parte e a segunda também.

      Foi feliz e mostrou conhecimento de causa! Parabéns! Já havia lido e fiquei impressionado que desta vez você ao invés de repudiar a bíblia deu uma aula de teologia e conhecimento prático do assunto.

      Tá muito bom mesmo! Estou sendo sincero.

      Excluir
    4. Obrigada Gil, mas então deixa lhe perguntar: o que pra vc é natural? E pq vc considera o coito anal anti-natural?

      Excluir
  5. Anja

    Porque eu acho que o ato sexual é feito através dos órgãos genitais, não sei se a palavra correta é natural ou comum. E o ânus ao meu ver não têm esta função específica de relação sexual.

    Por isso é preciso também muito cuidado para evitar qualquer tipo de infecção, evitar a penetração vaginal ou sexo oral depois de o casal retirou seu pênis do ânus. Neste caso é melhor usar um preservativo, porque no ânus existem bactérias perigosas que podem causar doenças graves, se entrarem em contato com a vagina ou boca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gil, tanto na vagina como no pênis também residem bactérias, e até mesmo na boca! Na verdade, somos um criatório vivo de bactérias! Mas claro que não estou dizendo com isto que não deve existir cuidado e higiene. Embora o ânus seja realmente usado para eliminação de resíduos alimentares não é tão sujo quanto se pensa, especialmente após um bom banho e uma ducha higiênica. A falta de higiene pode ser responsável não apenas pela disseminação de doenças e males durante o sexo anal, mas também através do sexo vaginal.

      Além disso, o ânus tem uma diferença de mais de 2 graus do que a vagina, deixando-o mais quente, ele também possui mais músculos, o que cria uma experiência diferente. O orgasmo anal é um dos quatro tipos de orgasmo que uma mulher pode ter, além do vaginal, clitoriano e o do ponto G. Claro que assim como o sexo vaginal ele pode ser doloroso se não houver cuidado por parte e ambos os parceiros.

      E hoje já é mais que sabido que o homem também pode ter orgasmo anal tendo sua próstata massageada. E aí? Alguém se candidata? rsrs

      Excluir
  6. A questão principal teológica aqui é como Paulo resolve a questão da Lei judaica em relação ao seu entendimento do que Jesus fez na cruz, qual seja, a remissão e a justificação.

    A réplica do Carlos foi boa dentro da visão teológica mais aceita de que apesar dos justificados estarem fora da condenação da Lei, eles não devem usar sua justificação para dar vazão à seus instintos pecaminosos.

    Nossa confrade argumentou que se a Graça que redime e justifica é um dom, um presente imerecido de Deus aos homens, como eles ainda têm que manter uma certa "santidade moral" em seu viver para que essa Graça surta efeito?

    É essa questão que eu gostaria de ver os teólogos da confraria discutindo.

    Quanto ao sexo anal, Anja, deixa por hora, ele no escanteio, já que é uma prática que os casais fazem ou não fazem, de acordo com os gostos e moralidade sexual de cada um.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrs claro Edu, é esta tb a questão que gostaria de abordar, mas não resisti dar esta cutucada! rsrs

      Mas como vc muito bem apresenta a questão, gostaria de perguntar aos membros da sala se de fato temos livre arbítrio?

      Excluir
    2. Rodrigo, esta pergunta é a todos, mas principalmente a vc viu? pois lhe fiz esta pergunta na postagem anterior, mas pode responde-la só aqui viu?

      Excluir
  7. Edu, não creio que estarei muito aqui, meu maridão agora, é minha prioridade.

    "Nossa confrade argumentou que se a Graça que redime e justifica é um dom, um presente imerecido de Deus aos homens, como eles ainda têm que manter uma certa "santidade moral" em seu viver para que essa Graça surta efeito?"

    A graça transforma o mais vil pecador em um ser santificado pelo poder restaurador de Deus, liberto de toda imoralidade, promiscuidade, licenciosidade.
    Conheci pessoas que participaram de orgias sexuais, mas quando encontraram com Jesus elas foram renovadas nas suas mentes, casaram-se, têm filhos e vives com seus cônjuges felizes da vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrs Gui vc leu a entrevista? rsrs o assunto é outro viu, e não mais se trata de relacionamentos abertos! rsrsrs mas claro que se formos fazer uma análise teológica, seu comentário está até dentro do contexto, ma que vc não leu o texto, não leu mesmo rsrs

      Excluir
    2. Gui, o que pra vc é imoralidade, promiscuidade, licenciosidade ?

      Excluir
  8. Pessoal está tudo muito confuso por aqui. A Anja postou um artigo que fala de uma tema delicado (pois o ânus é delicado), mas se bem entendi, o Edu não quer que o tema seja discutido?

    Todavia, discutir a questão do pecado ou não pecado de se praticar o coito anal não me interessa muito, uma vez que não considero pecado, não acredito que exista pecado. Mas falemos do ânus:

    Sexo anal é maios um dos muitos meios de se subtrair prazer do seu parceiro (a). O que acontece, é que ainda é um tabu, mas não deveria ser pois há muito vem se praticando tal ato. Se não me falha a memória, li numa dos livros rechaçados pela igreja católica chamado "Carta do apóstolo Paulo a Rufo de Tortosa", onde ele declara que Timóteo não queria mais ir para Corinto pelo fato de ter sido violentado por membros da "pecaminosa igreja)

    Mas então: Acredito que a maioria dos homens goste ou tenha vontade de "pegar por traz" sua parceira sexual. eu particularmente adoro, e confesso, minha mulher implora para que eu coma seu... (piii). O problema é que muitos homens nao têm muita delicadeza quando o assunto é sexo anal. é possível sim, dar prazer, e muito, para uma mulher, sem ser felas vias, "normais" (pênis-vagina). Segundo Freud, o ânus é a segunda parte do ser humano a se identificar como erógena, e eu concordo mas vou além. O homem (gênero humano) não perde a capacidade de sentir prazer pelo ânus, a questão é que ele acaba sendo remodelado pela sociedade e suplantou o desejo de satisfação sexual anal.

    Quem quiser discordar fique à vontade, mas contra fatos não há argumentos, mulheres bem resolvidas conseguem sentir prazer tanto ou maior pelo ânus, desde de que seja consensual e que seu parceiro seja carinhoso. Quanto aos homens, só quem já experimentou uma lambidinha nas partes "obscuras" de seu corpo, podem ter uma ideia do quanto pode ser bom sexo anal entre homens. mas aí fica a critério de cada um. e como diria o Provocador:

    "O importante é sentir prazer...não importa por onde"

    ResponderExcluir
  9. Bom Edson, o tema diz tudo: COITO ANAL não vejo como abordarmos apenas questões filosóficas e teológicas sem entrar no assunto SEXO ANAL, claro que dei uma boa provocada na galera, principalmente quando disse que o homem tem orgasmo anal, e isto é verdade de fato, mas também podemos abordar as questões menos práticas e irmos apenas para os temas lei, graça, predestinação, livre arbítrio e abordando apenas estas questões teológicas, aí se desmonta de vez tais termos, que são, inexistentes 2° o próprio deus.

    E no que diz respeito a seu comentário, concordo contigo sim! tanto o homem quanto a mulher podem ter orgasmos e êxtases com o coito anal. #EuGaranto rsrs

    E como disse, se olharmos apenas pelo aspecto teológico, como perguntei a todos, agora pergunto a vc Edson, vc tem livre arbítrio 2° o que a bíblia nos ensina acerca de deus sobre este conceito? Me refiro ao livre arbítrio dado por deus, quem pode dizer que tem livre arbítrio aqui, se o próprio deus quem diz me dar livre arbítrio, só o faz para que eu escolha fazer o que ele (deus) quer que eu faça? O Ricardo, uma dos novos colaboradores do blog, fez um comentário interessante sobre o tema e estarei postando aqui posteriormente, mas de fato, deus parece ser aquele menino dono da bola, do uniforme, e do time e só quem pode jogar no time dele é aquele que faz a sua vontade, isto é de fato livre arbítrio?

    ResponderExcluir
  10. COMENTÁRIO DO RICARDO FEITO NO MEU BLOG:


    Ricardo F. Vaz disse...
    Predestinação x livre-arbítrio:

    Na minha visão, tanto o livre-arbítrio quanto a idéia da predestinação calvinista podem ser desprezados por completo. A ótica da predestinação, penso que nem vale à pena comentar, pois ela apenas nos coloca em um teatro de marionetes, onde todos os nossos passos já estão determinados, o que anula o sentido da própria existência e desconstrói a idéia de bem e mal, afinal se tudo já está determinado por deus, não podemos mudar nada, então o mal não é errado e não é passível de punição, a não ser que este deus puna alguém pelos erros dele próprio.
    A mentira do livre-arbítrio: quando se fala em punição, a idéia de liberdade imediatamente desmorona. Para haver liberdade, teríamos que falar em conseqüência, não em punição. Exemplificando: existe uma lei social que nos proíbe de matar outra pessoa, mas se você quiser matar assim mesmo, vai conseguir, o que não quer dizer que você tenha liberdade nem direito para fazer isso, pois se fizer sofrerá uma punição (ao menos em uma sociedade séria), então não é um livre-arbítrio. Em contrapartida, você pode abrir sua geladeira, pegar um produto qualquer e observar que o prazo de validade está vencido. Aí você pode optar se o consome assim mesmo ou joga fora. Se escolher consumi-lo, pode ficar doente ou pode ser que nada aconteça. Neste caso estamos falando em conseqüência direta, ninguém vai te trancar na cadeia porque você consumiu algum produto que estivesse fora do prazo de validade. Isso podemos chamar de livre-arbítrio. Então dizer que uma pessoa tem o livre-arbítrio de ser boa ou má é uma grande mentira, pois a mitologia cristã afirma que as pessoas que forem más ou simplesmente descumprirem os preceitos cristãos serão punidos após a morte e os que forem bons, serão recompensados. Isso me lembra outro “bom velhinho”, que diz que se você se comportar e passar de ano, ele vai te dar um presentinho no natal... Este é também um bom exemplo que derruba a idéia mentirosa do livre-arbítrio, visto que coloca uma condição e, tudo que é condicionado não é livre.

    ResponderExcluir
  11. Anja,

    Este modelo de sistematização de um pensamento, isolando trechos de textos é que não me agrada. Não que seja um método totalmente descartável no sentido de argumentação. Mas penso não ser o adequado, já que para cada texto citado existe outro com teor contraditório, podendo ser facilmente replicado numa tarefa de contra argumentação.

    Dificilmente chega-se a uma conclusão, mesmo tendo, cada debatedor, (o que não é o caso, visto se tratar de uma entrevista) esgotado todos os seus recursos, a probabilidade de consenso é mínimo.

    Talvez a teologia dialética seria bem mais produtiva nesta empreitada.

    ResponderExcluir
  12. “Tendo citado estes versos para mostrar nossa total incapacidade, pergunto, se Deus escreveu TODOS os meu dias em teu livro antes que nenhum deles existisse, como poderei fugir disto? Seria Deus tão injusto de por em meu coração um desejo em que, para estar em comunhão com Deus, devo abdicar de tal desejo?” (ANJA)

    Já que é para analisar o tema teologicamente, como sugere o Edu,(mas creio que será difícil alguém não analisar o tema anatomicamente) assim será.

    Nesse ponto gosto muito da maneira com que Myer Pearlman definiu a questão do pecado. Incluindo os da área sexual. Segundo seu parecer o pecado é o abuso dos INSTINTOS naturais dos quais o ser humano é dotado. Cinco deles são catalogados:

    O primeiro é o instinto da autopreservação que nos avisa de perigo e nos capacita a cuidar de nós mesmos. O segundo, é o instinto de aquisição (conseguir), que nos conduz a adquirir as provisões para o sustento próprio. O terceiro, é o instinto da busca de alimento, o impulso que leva a satisfazer a fome natural. O quarto é o instinto da reprodução que conduz à perpetuação da espécie. O quinto, é o instinto de domínio que conduz a exercer certa iniciativa própria necessária para o desempenho da vocação e das responsabilidades.

    O registro desses dotes (ou instintos) do homem concedidos pelo Criador acha-se nos primeiros dois capítulos de Gênesis.

    O instinto de autopreservação implica a proibição e o aviso: "Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás porque no dia em que dela comeres certamente morrerás." O instinto de aquisição aparece no fato de ter Adão recebido da mão de Deus o lindo jardim do Éden. O instinto da busca de alimento percebe-se nas palavras: "Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão sementes, as quais se acham sobre a face de toda a terra, e todas as árvores em que há fruto que dê semente ser-vos-á para alimento." Ao instinto de reprodução(SEXUAL) referem-se estas declarações: "Homem e mulher os criou." "Deus os abençoou e lhes disse: frutificai, multiplicai-vos." O quinto instinto, o do domínio, refere-se ao mandamento: "Enchei a terra, e sujeitai-a; dominai-a.

    Continua:

    ResponderExcluir
  13. Segundo Pearlman, a deturpação desses instintos e faculdades dados por Deus que forma a base do pecado. Por exemplo, o egoísmo, a irritabilidade, a inveja, e a ira são aberrações do instinto da autopreservação. O roubo e a cobiça são perversões do instinto de aquisição. "não furtarás" e " não cobiçarás" querem dizer: "não perverterás o instinto de aquisição. A glutonaria é a perversão do instinto de alimentação, portanto, é pecado. A impureza sexual (phorneia) é perversão do instinto de reprodução. A tirania, a arrogância, a injustiça e a implicância representam abusos do instinto de domínio. Assim vemos que o pecado,fundamentalmente, é o abuso ou a aberração das forças com que Deus nos dotou.

    Uma das principais conseqüências no campo da sexualidade, é que a perversão desse instinto, reage sobre a alma, debilitando a vontade, incitando e fortalecendo hábitos maus, e criando deformações do caráter e a disfunção da prática sexual.

    No pensamento de Paulo, isto tem o significado da desistência Deus em convencer o homem entregue a todo tipo de devassidão.

    ResponderExcluir
  14. “O senhor criou nossos corpos e nenhuma parte deles é naturalmente imperfeita. Deus nos criou para que tenhamos vida em abundância e vivamos com prazer, sexo anal é apenas uma das maneiras de se chegar a este fim (seja numa relação homossexual ou heterossexual).” (ANJA)

    Certamente o Renato Russo tinha no capitalismo a inspiração para este verso de sua canção.

    “Quem me dera ao menos uma vez,
    Provar que quem tem mais do que precisa ter,
    Quase sempre se convence que não tem o bastante.”

    Ampliando este pensamento para o campo da sexualidade, diríamos que o homem que respeita os limites ditados pela natureza, se contenta com a genitália feminina na sua obtenção de prazer sexual. O que foge disso é DISFUNCIONAL.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Doni querido, ainda não li seus comentários todos, mas vou ler viu? Mas deixa eu falar uma coisa referente a este último aqui: Não olha a entrevista apenas pelo ângulo hétero e sim no geral. Outra coisa que eu queria dizer é que nossos corpos possuem inúmeras zonas erógenas e não somente vagina, pênis e ânus. Tanto a mulher como o homem que não tem medo de se auto conhecer, partilha prazeres que muitos se abstém por puro preconceito e medo!

      Pela sua ótica, o sexo, ou melhor, a relação sexual, deve então começar comoa dos animais? RESPEITANDO OS LIMITES DITADOS PELA NATUREZA, suponho que não haja preliminares, né mesmo? Não há troca de carícias, felação, masturbação mútua, etc. assim o sexo "crente" á mesmo um saco, pois é só chegar e pimba! Não estaria aí um dos fatores de tantos homens buscarem fora de casa o que por medo, preconceito e os dogmas religiosos não tem em casa?

      Excluir
    2. A algum tempo atrás Doni, eu disse que o que nos difere dos animais e´o intelecto, mas vou agora vou um pouco mais além, pois não só o intelecto, mas a capacidade de saber e poder sentir prazer com nossos corpos! (ps.: vou ler seus comentários e responder viu? é que estou numa correria danada aqui)

      Bjux

      Excluir
  15. De fato, se formos analisar o tema da GRaça como liberdade x predestinação, será um debate inútil, pois nos livros da Bíblia, tanto um quanto o outro é enfatizado em algum lugar.

    Por isso eu queria analisar a questão dos limites da Graça. Mas parece que o tema "anal" vai acabar por dominar o debate. Não quero discutir sexo anal a não ser que seja a partir da perspectiva da liberdade que a Graça nos dá.

    Na GRaça, é como se Deus declarasse: "você, pecador, está com a sua dívida paga, sem que precise fazer nada por isso. Eu reconheço que você por natureza, não consegue alcançar um padrão moral que eu desejo e percebi que não adiantou eu colocar toda aquela lista de condenações em Deuteronômio como resultado da transgressão da minha lei; por isso eu inspirei o profeta Jeremias a dizer que eu iria colocar a minha Lei no coração das pessoas e não mais em tábuas ou códigos legais.

    O cristianismo histórico nunca entendeu bem a Graça, pois o homem sempre quis fazer alguma coisa para merecer a Graça de Deus. Por isso o LEGALISMO sempre foi forte no meio evangélico. Requeria-se do cristão o padrão elevadíssimo da Lei de Deus que ele fosse propício e para que não "tirasse a salvação" de quem pecasse.

    ResponderExcluir
  16. Mas o fato é, como disse a GUI, que quem se achega à essa GRaça, dispõe-se a buscar um equilíbrio em sua moralidade. E aí, o que o DONI comentou, citando Myer Pearlman (meu teólogo preferido quando eu era adolescente rs) é perfeito.

    Todos nós SOMOS instintos. Não podemos negá-los, mas a exacerbação deles, pode nos causar muitos problemas. O que é o ESTRUPO senão um desequilíbrio no instinto sexual de quem o pratica?

    Então, a todo momento estamos sujeitos a exacerbar nossos instintos e isso, pode ser declarado como "pecado". E nesse sentido, ficaria claro que o desejo de Deus não é nos privar de prazer algum e sim, que tenhamos nossos instintos sobre controle saudável.

    Muitos exacerbam seu instinto sexual com os mais variados modos e formas de se fazer sexo. Há homens que gozam quando a mulher defeca na sua cara. Não sei como concordar que isso é uma atitude sadia da sexualidade.

    Há quem tenha tesão por animais, e não há como dizer que esse é um tesão "normal" e sadio, pois não é.

    Para não dizerem que eu não quero falar de sexo anal:

    Não vejo o sexo anal como perversão pelo argumento que ele não é "natural" pois o ânus foi "feito" para se defecar.

    Se formos pensar assim, a boca foi feita para falar e para se alimentar e não para se beijar de língua, e duvido muito que até o crente mais "santificado" ache que um bom beijo francês seja pecado e anti-natural.

    Somos os senhores da natureza exatamente por termos a capacidade de ir além do natural. Seria natural andarmos todos pelados, pois não nascemos com roupas, por isso, "antinaturalmente", nós inventamos as roupas, e foi uma grande invenção.

    Naturalmente, o ânus não foi feito para ser penetrado por um pênis, mas a boca também não foi feita para se dar beijo de língua.

    ResponderExcluir
  17. Procurei na bíblia mas não encontrei referência alguma sobre máscaras ou sexo umbilical, mas Salomão deveria ser adepto.

    ResponderExcluir
  18. é uma pena que a GUI não vá participar muito deste debate teológico, pois gostaria muito de vê-la argumentando sobre Graça e liberdade(também em conexão com a sexualidade). Mas enfim, é por uma boa causa.

    Então, voltando à questão teológica da Graça, só quem pensa que Deus tirou a liberdade humana fazendo-o escolher entre servi-lo ou não, é quem tem uma ideia humana da Graça.

    teologicamente falando, como o GIL, eu também sou universalista. Não faz sentido algum Deus condenar seres humanos a um castigo eterno por não terem alcançado um padrão moral determinado.

    Se alguma coisa afastará o homem de Deus na Eternidade, não será a sua moral, e sim, a sua falta de compaixão com os "pequeninos", conforme discurso de Jesus em Mateus.

    Já está mais do que na hora que o cristianismo como um todo, mude algumas das suas concepções sobre Graça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  19. Amigos,

    Creio na salvação unicamente pela graça, pois ninguém se justifica perante Derus por suas obras. Héteros e homossexuais estão debaixo do pecado assim como os praticantes do sexo anal e os exclusivos da cópula vaginal.

    Agora o fato de que Deus nos perdoa e nos aceita incondicionalmente por sua abundante graça, não significa que tenhamos a Sua aprovação para praticarmos coisas inconvenientes. Assim, não posso concordar com a orientação de que inexistiria "mal nenhum em se praticar sexo anal, desde que haja respeito entre o casal". POis temos que glorificar a Deus nos nossos corpos que são membros de Cristo.

    Certamente que não tenho o direito de julgar/condenar o meu irmão com dificuldades em relação ao pecado, seja este de natureza sexual ou não. Pois tanto os que cometem pecados de natureza sexual ou não estão debaixo do pecado e precisam continuar se tratando com a graça de Deus para viverem melhor e andarem conforme a vocação que foram chamados. Nisto sei o quanto ainda cometo erros graves. O quanto minhas palavras são capazes de provocar males e também coisas boas para os que me ouvem. Sei o quanto o descontrole da minha ira é capaz de danificar e que basta dar vazão à carne para que eu cometa as mesmas coisas que desaprovo quanto às condutas sexuais ilícitas.

    Portanto, é a divina graça que devemos buscar e ela se manifesta no sangue de Cristo, no sacrifício feito pelo nosso Senhor em favor de toda a humanidade, a mais forte simbologia dada aos homens do amor do Pai para conosco que antes e depois continua sendo o mesmo. Porém, com Cristo, passamos a compreender o mistério da misericórdia que as gerações anteriores aguardava ser revelado. E, se nos identificamos com Cristo em sua morte e ressurreição, devemos andar como mortos para o pecado e vivos para Deus.

    ResponderExcluir
  20. Vale lembrar que Jesus pregou o arrependimento porque "está próximo o Reino". Assim, creio que o fato de buscarmos uma conversão é parte integrante do conhecimento da graça. Primeiro Deus nos amou, mas, quando passamos a compreender este amor, entendemos que é preciso deixar o pecado. Assim, o Espírito de Deus vai criando em nós uma nova natureza e o se afastar do mal seria um resultado desse agir salvador de Deus.

    Quem vive deliberadamente em pecado, creio que não está experimentando o Reino. Prefiro que, quando eu falar no Reino, ninguém fique pensando na simbologia do inferno de fogo. Pensem que as coisas boas do Reino são experimentadas graciosamente quando passamos a estar em Cristo (ou na consciência de Cristo), buscando a vontade divina e não a nossa, de modo que, nesta mesma vida terrena, começamos a ter paz, satisfação interior, amor e frutos do Espírito Santo. Então conhecemos o verdadeiro sentido de viver identificado em Cristo, no caminhar em seus passos. Paz!

    ResponderExcluir
  21. Edu,

    Com certeza, eis um assunto da mais profunda seriedade teológica. De fato, como diria Barth, não temos o direito teológico de estabelecer quaisquer limites à misericórdia de Deus que se manifesta em Cristo. Ato comum em terrenos tantos arminianos como calvinistas.

    Também não tenho sangue puritano correndo nas veias. Por isso não aprecio imposições no tocante à moralidade. Nem Jesus e nem Paulo o faziam. Por outro lado, tanto Jesus, (apesar desse não tratar do assunto abertamente) e nem Paulo concordavam com práticas antinomianas.

    O preconceito em relação a este conceito, de padrão moral exemplar, é em função de supormos que estas regras vem de fora para dentro, da gestão eclesial e de fé. Quando na verdade, se trata de uma virtude intrínseca à natureza humana. A famosa voz da consciência. Própria da "imago Dei".

    Consideremos o seguinte, quando o ser humano tem consciência da importância do amor de Deus em sua vida, na linguagem comum de salvação, existe um conjunto de valores, ações e comportamentos e até de pensamentos que vem por assentimento natural. Eis um ponto de contato entre o evangelho e a teologia natural. Um completa o outro.

    Mas a salvação individual, mesmo sob a ótica do universalismo, deve ser entendida holisticamente. Abarcando o ser em sua plenitude. Sei que parece difícil a nossa mente processar o conceito da graça de Deus, se for estabelecido qualquer tipo de restrição. Mas é uma tensão que precisamos aprender trabalhar. Pois é na verdade mais uma particularidade epistemológica nossa do que propriamente uma abertura bíblica. Capithe?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Doni e Edu, please, estava até agorinha discutindo no face, mas quero muito que vcs vejam os comentários no ,meu blog

      Excluir
  22. Bom Anja, nós temos sim o livre arbitrio segundo a Bíblia, mas ele é mais ou menos assim:

    "Um cara pega uma pistola e fica de tocaia emfrente a uma escola de ensino fundamental, quando ele vê uma menininha toda linda e num vestidinho curto e le a aborda, a leva para um matagal e diz: você é livre para escolher seu futuro que é, ou me dá ou te dou um tiro na cabeça...você escolhe."

    com Deus é do mesmo jeito. Você pode escolher, pois tem livre arbitrio, só que se não me servir, vai para o inferno arder pela eternidade.

    Se isso é ser livre, quem sou eu para dizer que não possuimos esta liberdae de escolha?

    ResponderExcluir
  23. Queridos confrades

    Persistindo nesta minha ideia:

    Nosso relacionamento com Deus passa necessariamente por três momentos:

    Primeiro a vida: O Bem (a graça) mais precioso que Deus nos deu. Tudo o que afronta a vida é pecado contra Deus que é o Senhor. Entendo aqui que pecar contra Deus é contrariar a lógica da criação onde o Universo conspira a favor da humanidade o tempo todo.

    Segundo a felicidade: Diferentemente do que muitos religiosos pensam a preocupação de Deus não está se vamos evangelizar e anunciar seu nome. Este pensamento no meu ponto de vista é fruto da arrogância religiosa que temos em achar que somos os predestinados. deus não precisa de bajuladores. Como bom Pai que é sua principal preocupação é que sejamos felizes.

    Terceiro a missão: Se tenho vida e sou feliz devo ser motivo e causa de felicidade aos meus irmãos, preferencialmente os mais sofridos e excluídos. o Reino só acontecerá de verdade se todos forem felizes.

    Penso que a religião quase sempre não caminha de mãos dadas a estes momentos citados acima. Está mais preocupado com a Lei e com a manutenção de suas estruturas.

    Para viver estes momentos adequadamente é saber usar do livre arbítrio com liberdade responsável onde nossa consciência e razão sempre nos mostrará quando passamos do limite e fizemos da liberdade uma libertinagem onde a vida torna-se algo secundário e insignificante.

    Do restante acho tudo uma grande bobagem, achar que Deus está preocupados como nossas picuinhas pessoais da vida onde o fato em si não soma e nem subtrai o essencial que é o amor, respeito humano, respeito pala natureza, dignidade, educação, igualdade social, etc.

    Portanto a responsabilidade de praticar o livre arbítrio com consciência do bem comum é unicamente nossa. Querer jogar a responsabilidade da condenação e salvação nas costas de Deus é fruto da mediocridade de nossas mentes covardes de não insistir em não assumir nossos erros.

    Dai a Deus o que é de Deus e a César o que é de César.

    O presente da vida não é uma obrigação de Deus é uma graça que recebemos e que de graça devemos oferecer.

    Não praticar pecados que afrontem esta vida e nossa felicidade está associado a esta responsabilidade de usar com maturidade o livre arbítrio que Deus nos deu. Aliás qualquer um de nós com o poder que Deus tem seríamos com certeza pela fala seja de religiosos ou ateus no mínimo ditadores.

    Esta sabedoria de Deus que humanamente não conseguimos compreender nos faz sempre julgá-lo de forma tão limitado e com um olhar tão infantil e profundamente medíocre.

    A nossa maior fraqueza é não assumir nossos atos! Falamos que políticos não prestam. Quem vota neles? Quem sustenta estes bandidos com sua ignorância?

    Alguma sociedade viveu em terra o Reino de Deus pra dizer que a vida não vale a pena? Que a criação ou a "salvação" fracassou?

    De quem é o fracasso?

    Dai a Deus o que é de Deus e a César o que é de César.

    ResponderExcluir
  24. Edu, agora vou ler com a reverencia merecida todos os comentários e responde-los

    ResponderExcluir
  25. Doni, então vamos lá:

    Sobre sua sugestão quanto a teologia dialética, e sobre usar trechos isolados, queria deixar bem claro usei intencionalmente trechos isolados, para alcançar exatamente o público mais leigo, que se baseia apenas em tais trechos, busquei atingir exatamente este publico, e pensando assim, penso que foi a abordagem mais correta.

    E gostaria de saber o que pra você é impureza sexual , seria mesmo a perversão do instinto de reprodução? Pra você devemos fazer sexo apenas com este fim? Se sua resposta for sim, devemos então abolir os meios contraceptivos, já que devemos “crescer e multiplicar”. Embora seu último comentário vc deixa claro que não tem sangue puritanto, e ainda diz: “se trata de uma virtude intrínseca à natureza humana. A famosa voz da consciência. Própria da imago Dei".(Doni)
    Vc entra em contradição quando afirma: “o homem que respeita os limites ditados pela natureza, se contenta com a genitália feminina na sua obtenção de prazer sexual. O que foge disso é DISFUNCIONAL.” (Doni)

    Aí de fato, fica difícil entender.

    Ps.: vc não respondeu meu comentário, gostaria de ouvir sua resposta!

    ResponderExcluir
  26. Rodrigo, desculpe, sua visão sobre os dois últimos temas e nossas últimas conversas me causaram certo espanto e estou desconhecendo o Rodrigo que conheci a alguma tempo atrás, muito embora eu possa ter me enganado sobre sua maneira de pensar, se for o caso, me desculpe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada amiga,

      Eu esperava que você seria mais tolerante com opiniões diferentes. Penso deste modo e creio que a vontade de Deus para os casais seja a prática regular do sexo apropriado (a cópula vaginal). Por isto, considero o sexo anal uma forma de sodomia, uma perversão, algo que não agrada ao coração de Deus que quer habitar em nós e ter comunhão conosco. Saiba, porém, que em momento algum estou sendo contra a sua pessoa ou te condenando por comportamentos que expõe publicamente e que chocam o público conservador. Todavia, desde que me conheceu, eu já pregava a salvação pela graça e que as pessoas devem se arrepender do pecado voltando-se para Deus. Claro que não tomamos banho no mesmo rio e nem eu e nem você somos mais os mesmos de uns meses atrás.

      Abraços.

      Excluir
    2. Em tempo!

      Se você lçer o último artigo que escrevi em meu blogue, verá que sou favorável ao sexo e não o vejo como um pecado. Tanto é que, desenvolvendo a temática da reforma psiquiátrica, defendo que, nos hospitais de internação para tratamento de pessoas com transtornos psíquicos, seja reconhecido o direito à intimidade sexual dos pacientes. Dá uma lida lá, bem como em textos meus anteriores sobre sexualidade, e tire suas conclusões.

      Paz!

      Excluir
  27. Eduardo este teu comentário (que agora li com mais calma) Todos nós SOMOS instintos. Não podemos negá-los, mas a exacerbação deles, pode nos causar muitos problemas.
    Somos os senhores da natureza exatamente por termos a capacidade de ir além do natural.
    (Edu)


    É exatamente este meu ponto de vista tb, ois tudo que é exagerado, é ruim! Em tudo devemos ter um ponto de equilíbrio!

    ResponderExcluir
  28. Pois é Edson, vc tem o mesmo pensamento que eu: deus disse, vc pode escolher o que quiser, desde que aguente as consequencias e se vc escolher o que eu não quero, terá que aguentar a consequencia de minha punição!

    Ou seja, não temos liberdade, não temos livre arbítrio e não temos vida própria, no que depende de deus!

    ResponderExcluir
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  30. Anja,

    Não acho ser uma boa ideia, a igreja gerir nossas aptidões no campo da sexualidade. Pois as informações de pessoas desqualificadas para tal, podem provocar outras disfuncionalidades tão ou mais nocivas do que estas.

    Mas acredito sim, quem em muitas camas de conservadores deva rolar este tipo de sexo “feijão com arroz”. Culpa de uma cosmovisão herdada do puritanismo inglês, no caso dos evangélicos.

    Mas não é definitivamente o meu caso. Eu e a Marta conhecemos e apreciamos o sexo nos seus mínimos detalhes. Geralmente, tudo que fantasiamos, também realizamos. Não nos privamos de absolutamente nada do que reza a cartilha dos bons amantes. Sem contudo violentar aspectos, que são respaldados pelas explicações anatômicas e fisiológicas.
    Mas também reconheço se tratar de uma questão de opinião e gostos. Sexo anal é oito ou oitenta. Ou você gosta ou então odeia.

    Imaginou se todo mundo gostasse de praticá-lo, e não tomasse alguns cuidados. O comércio de tampões anais estaria em alta. rsrsrs

    ResponderExcluir
  31. Muito embora os comentários estejam de certo modo (apenas de certo modo) diferentes da postagem anterior, pelo menos espero não ter que ler aqui que meu relacionamento é licencioso, que somos imorais, pecadores condenados ao inferno (que não existe) como tive o desprazer de ler na postagem anterior, mas ainda não li todos os comentários, mas já percebo uns com um certo nível de acidez, se é que posso dizer assim, aos quais cito (e já peço desculpas se de minha parte houve um mau entendimento): O que foge disso é DISFUNCIONAL.” (Doni)

    "Héteros e homossexuais estão debaixo do pecado assim como os praticantes do sexo anal e os exclusivos da cópula vaginal.[...] Quem vive deliberadamente em pecado, creio que não está experimentando o Reino"(Rodrigo)


    "A graça transforma o mais vil pecador em um ser santificado pelo poder restaurador de Deus, liberto de toda imoralidade, promiscuidade, licenciosidade.
    Conheci pessoas que participaram de orgias sexuais, mas quando encontraram com Jesus elas foram renovadas nas suas mentes,"(Guiomar)

    POis estas falas são além de preconceituosas, parece-me esconder um desejo reprimido de poder experimentar uma vida tão ou mais liberta que a minha e de minha esposa, ams que por conceitos morais e quem sabe até um certo sentimento de inveja (não sei se esta é a palavra que melhor caberia aqui), ou ainda mesmo quem sabe que se na calada da noite não vivam todas estas licenciosidades que pregam não viver e o sentimento de culpa os faça projetar seus próprios erros em cima de outrem?

    Perdão pela acidez no comentário, mas julgar o que é ou não errado na vida do outro é muito fácil!

    Mas como disse, posso estar enganado em meu julgamento ante a tais comentários que em minha opinião, falam por si.

    ResponderExcluir
  32. Doni, estou de acordo com seu comentário, mas gostaria de citar apenas este trecho: "Sem contudo violentar aspectos, que são respaldados pelas explicações anatômicas e fisiológicas." Doni

    mas o que são estes aspectos senão nosso próprio conceito de moral? rsrsrs eu jamais ousaria refutar tais aspectos se não houvesse prazer em tais práticas rsrsrs e é sim como vc disse: 8 ou 80 rsres

    Mas como alguém pode condenar algo que não me faz mal? Pelo menos é assim que vejo, vamos falar em pecado, pecado a meu ver é algo individual, o que pode ser pecado pra voce (e todos os outros no geral), pode não ser pra mim, entende? Como eu disse desde o começo, não quero que todos optem pelo meu modo de vida, mas não odem condenar quem quer optar por ele baseado no sentido coletivo de pecado, pois este não é o termômetro.

    Vamos abordar outro assunto apenas para exemplificar: sabemos de pessoas que são predispostas ao alcoolismo, para estas pessoas, beber é um pecado contra seu corpo, da mesma forma, vale a regra no que diz respeito a sexualidade, vcs não concordam?

    Mas de todos seus comentários Doni, este foi o que mais me identifiquei rsrsrs

    ResponderExcluir
  33. Anderson, gostaria de disser uma coisa.

    Apesar de eu não concordar com a opinião da GUI E do Rodrigo, eles têm a liberdade de pensar e de agir de acordo com a visão de mundo deles (que aliás, é a visão de muita gente). Ninguém deve ser obrigada a aceitar o que lhe ofende. Se Gui e Rodrigo são contra o sexo anal devido suas crenças, isso diz respeito a eles e eles estão aqui, expondo a opinião deles, assim como Anja e você estão expondo as suas.

    Se alguém acha que seu relacionamento é "licencioso" (tem licença para sair "matando"..rsss) é direito de alguém achar assim; não creio que essa crítica seja falta de educação ou mesmo uma raiva não expressa pela liberdade que vocês tem.

    Em minha opinião, sexo é um assunto estritamente pessoal, e cada um vive sua vida sexual de acordo com seus padrões, temperamento, desejo, fantasias, religiosidade, etc. Concordo que muitos estão deixando de gozar todo o prazer que uma relação sexual pode oferecer por recalques religiosos.

    Mas por que eu deveria querer que alguém aceite que sexo anal é o supra-sumo da sexualidade?

    Ora, este lugar aqui é um lugar para críticas e para sínteses.

    Cabe a vocês demonstrarem que sexo anal é algo válido para os casais e cabe a Gui e ao Rodrigo expôr suas razões que negam tal validade. Quem estará com a verdade?

    Nem vocês nem eles, pois nesse caso, a verdade é estabelecida pela própria consciência de cada casal.

    Existem casais plenos em sua sexualidade, sem paranoias pseudo-espirituais, que não curtem sexo anal. E pronto.

    Se alguém acha que vocês vão para o inferno por serem assim, o problema não é de vocês, é de quem pensa assim.

    abração, sargento.

    ResponderExcluir
  34. E aos que se contentam com um sexozinho feijão com arroz, digo que não há pecado em buscar experiências com a pessoa que está aí do seu lado, que você ama e respeita e por isso mesmo, deve ter plena liberdade para se exprimir sexualmente.

    Um amigo meu, pastor, depois de fazer uma palestra para casais e ensinar que chupar o sexo do seu parceiro(a) não é nojento nem pecaminoso, recebeu tempos depois um abraço de um homem que estava na palestra. Ele disse ao pastor que depois que sua mulher aceitou que o sexo oral podia ser bem prazeroso e que Deus não ia ficar bravo com eles, a vida sexual deles de um salto de qualidade que eles nunca podiam imaginar ser possível.

    ResponderExcluir
  35. Confrades, "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
    Não vem das obras, para que ninguém se glorie;
    Porque somos feitura sua, Efésios 2:8-10
    Simplesmente por sua graça, Jesus pagou as nossas dívidas, no entanto, por esta mesma graça nos outorgou o poder do Espírito Santo para que andássemos em novidade de vida, ou seja, para que sejamos SAL e LUZ neste mundo tenebroso.

    Se deliberadamente “eu contraio novas dívidas,” a graça me cobrirá tantas vezes quantas eu me arrepender de todo coração. Com certeza “sofrerei também a consequência da minha inconsequência” e não do castigo de Deus.
    Eu não tenho nenhuma orientação de Deus como me comportar na cama, mas tenho a benção dos meus instintos que me levam ao prazer e ao orgasmo.
    Todos nós sabemos que o pênis foi feito para urinar, para fazer filhos e nos levar ao orgasmo. Como eu acredito que a boca foi feita para comer, falar. Acredito que nós podemos dispor do nosso corpo como bem nos parecer. A forma como nós desfrutamos do sexo, utilizando o nosso corpo, vai depender da nossa visão, saúde espiritual e emocional.
    Conheci pessoas que sentiam prazer em chupar o anu da parceira.
    Outro que sentia prazer em que seu parceiro urinasse na sua boca.
    Ouvi de um colega que a sua parceira além de se lambuzar com o esperma dele, ainda tragava...
    Estes atos para mim são nauseabundos e doentios, mas entendo que tais pessoas são livres para praticá-los.

    Conheci outros que sentiam prazer no masoquismo
    Outro que sentia prazer em enfiar qualquer objeto na vagina da mulher após uma relação.
    Outro que sentia prazer em contemplar sua esposa fazendo sexo com outro homem. (Entrava em êxtase).
    Eu entendo que a saúde da alma de um ser humano, determina o seu equilíbrio, em todas as áreas da sua vida.
    A graça nos dá liberdade de seguir nossos instintos sexuais e estes instintos são saudáveis, prazerosos, diversificados, mas sadios...

    ResponderExcluir
  36. Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Meu caro Eduardo, entendo perfeitamente suas colocações, no entanto, como voce sugere que gostaria que os demais confrades se limitassem a apresentarem questões teológicas relevantes ao tema e não a julgar as minhas atitudes e de minha esposa, o que em momento algum foi feito nesta sala. Eu em momento algum, ousei julgar quem leva sua vida de maneira diferente da nossa.

      Por exemplo, eu poderia dizer que o esposo da Guiomar pode ser um frustrado no âmbito sexual, o que contribui para que ele fique longos meses longe dela (fazendo sabe-se lá o que!?), por não ter uma esposa que lhe complete na cama. Poderia citar que o Rodrigo não passa de um frustrado, por não conseguir atender as necessidades de sua esposa, poderia dizer que a conversa do Donizete, não passa de balela aos que na calada da noite se entregam as concupiscências da carne, e que na manhã seguinte, precisa procurar desesperadamente um bode expiatório para dizer o que é sua vida sexual é disfuncional, mas não, eu e a anja nos limitamos a expor nossa felicidade em termos um relacionamento aberto, onde um não precisa esconder nada do outro, onde de fato existe sinceridade e não hipocrisia.

      No meu pensamento, existem outras formas das pessoas dizerem que discordam sem portanto, acusarem diretamente quem não vive segundo seus conceitos, de libertinos, licenciosos e devassos.

      Pensava eu estar numa sala onde poderia expor isto sem ser taxado das coisas que fomos aqui, e sinceramente (mesmo eu não participando tão intensamente como a anja, pois, ainda estou alicerçando minha não fé), não me interessa participar de debates onde tenho que, ao invés de procurar mostrar teologicamente falando, que não há pecado (se é que isto existe) em nossa relação, ter que ficar me defendendo de ataques de "crentes" ( no sentido mais pejorativo possível) que são hipócritas e não tem argumentos relevantes para apresentar.

      Grato,

      Anderson

      Excluir
    3. Gostaria sinceramente de agradecer a todos que participaram dos ensaios que apresentei.

      Grande abraço.

      fui

      Excluir
  37. Putz, tava cheia de boas novis pra dar pra vcs mas devido a acidez dos últimos comentários (principalmente do And)que é lamentável, pois não queria de foram alguma este clima com minha publicações. Mas fazer o que né?

    vamos então entrar no clima:

    Rodrigo, aceito sim opiniões diferentes, o que me incomoda são as acusações.
    Gui, vc falou, falou falou falou e nada argumentou senão um monte de baboseiras!
    Doni, te curto de montão, apesar de termos nos estranhado logo no 1° ensaio que postei rsrs e gostaria de te-lo escrevendo no meu blog.
    Edu, vc é foda e qnd vê que o bicho ta pegando tenta amenizar a situação rsrs
    Gil, João....... vcs são fodas! Admiro vcs
    Levi, queria muito ler seus comentários a respeito deste tema. rsrs
    Mari, vcs é lindona demais e te curto muito (queria poder falar mais, mas pode ser interpretado como cantada e vai que é mesmo né? kkkkk *brinks

    CARALEO GENTE, VAMOS AMENIZAR O CLIMA PÔ!

    (sim Edu, tomei umas) rsrsrsr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Prezada Anja,

      A que acusações você se refere? Se analisar bem, não estou acusando ninguém.

      O que estaria te incomodando afinal?

      Entretanto, não posso concordar com a apologia de certas coisas inconveniente como casamento aberto, sexo anal, homossexualismo, etc. Defender abominações deste tipo parece-me pior do que alguém supostamente praticá-las.

      Espero que não se sinta acusada de apologia ao pecado (rsrsrs). Deus ama o pecador mas odeia o pecado!

      Paz!

      Excluir
  38. De novo posto este poemas e peço, peace, please, peace! (faço a postagem original quando como sofri o ataque por hackers no meu blog sensual)

    Um poema a liberdade! (By Anja_Arcanja)

    Sofri recentemente um ataque ao meu blog de cunho sensual, mas não só ao meu blog! Mas a minha liberdade, minha privacidade e principalmente ao meu corpo. Já havia sido ameaçada em consequência de meu jeito de me expressar e de agir (sendo eu livre, fiel defensora da liberdade em todas as suas nuanças), por pessoas sem visão e alguns líderes religiosos que são presos a dogmas e a uma religiosidade que não tem o menor fundamento e sentido, aliás, com o sentido único de nos fazer escravos de um falso moralismo que impera em nosso país!

    A gota d'água para estes que não suportam ver e ter a liberdade, foi uma postagem que fiz onde expressava a liberdade da expressão sensual do corpo feminino e a liberdade e o respeito entre as mais diversas formas de amar, inclusive o amor homo! Há... isto para eles foi demais!

    Escrevi este poema como um clamor a liberdade, pois se querem me calar ou me tapar, saibam que não se prende uma mente que já alcançou em Cristo a liberdade!


    Sou livre! Vôo livre, estou livre...


    Meu corpo, minha voz...
    O que tentaram contra nós?
    Meu corpo e minh’alma
    Sofrem, estaremos a sós?

    Liberdade solitária, dividida,
    Compartilhada, interrompida!
    A mordaça negra que vestiram
    Em meu corpo será rasgada!

    Mãos que atentaram contra mim
    Olhos que não suportaram ver-me
    Mentes insanas que não sabem sonhar
    Mãos e mentes não podem meu eu tocar.


    Liberdade solitária, dividida,
    Compartilhada, interrompida!
    Nudez de corpo, nudez de alma
    Nudez aos olhos, nudez à vida!


    O véu com que me taparam,
    Não conseguiu esconder,
    O grito que meu corpo mostrou:
    - Sou livre! Vôo livre, estou livre...


    Anja_Arcanja

    ResponderExcluir
  39. Anja, deixei um comentário lá no seu blog sobre a segunda parte da entrevista.

    quero comentar algumas frases suas:

    "A Bíblia não é um livro que se possa ler e ser interpretado de forma literal, e dogmas, sempre devem favorecer a vida, e não a suprimir!

    Concordo em parte com você. Nem tudo na Bíblia é para ser lido literalmente, mas algumas outras coisas, creio que sim. Ou seja, quando a Bíblia relata que os babilônios invadiram Judá e destruíram a cidade, isso deve ser lido literalmente, pois é fato histórico estabelecido.

    Parece óbvio, mas foi só como exemplo.

    Queria discutir essa sua ideia de que os dogmas nunca devem "suprimir" a vida. Você não acha essa uma afirmação bem subjetiva? qual vida o dogma não deve suprimir, a sua? a minha? a do Barac Obama? Ou você deve estar dizendo que o dogma não deve "matar(suprimir) a vida"? Nesse caso, qual dogma cristão é capaz de matar?

    "Qual o motivo dele (Deus) ter em Jesus humanizado? Seria para nos ensinar como sermos divinos? Ou para nos mostrar como sermos de fato humanos?

    Outra vez fica aqui a questão: o que é exatamente ser humano? Quais seriam as características humanas que em consenso, poderíamos citar que todo ser humano deveria ter? Isso também não passa pela subjetividade?

    "Entende onde quero chegar quando digo que “ou devemos cumprir toda a lei, ou então, pela graça que nos foi derramada por intermédio do sangue de Cristo, não cumprir nada”? Ou tudo, ou nada! Simples assim!"

    Quando você fala em não cumprir NADA DA LEI, você estaria dizendo que se deve desonrar o pai e a mãe? Você está dizendo que se deve matar? roubar? Não haveria aí um sentido melhor para a anulação da lei na teologia paulina?


    "Mas no Antigo Testamento (todo escrito em hebraico e aramaico) lemos: Qadesh, que significa: prostituto de templo masculino.
    Percebe a sensível diferença? PROSTITUTO DE TEMPLO! Pessoas que usavam a prostituição como forma de culto, e, portanto, eram tidas pelo deus hebreu como sendo abomináveis.


    Aqui, Anja, eu vou concordar com você. Na cabeça do legislador hebraico antigo, o problema não era homem se deitar com outro homem, e sim, a PROSTITUIÇÃO SAGRADA. Isso está certo.

    ResponderExcluir
  40. Doni, destaco sua afirmação:

    "Consideremos o seguinte, quando o ser humano tem consciência da importância do amor de Deus em sua vida, na linguagem comum de salvação, existe um conjunto de valores, ações e comportamentos e até de pensamentos que vem por assentimento natural. Eis um ponto de contato entre o evangelho e a teologia natural. Um completa o outro.

    Eu posso concordar com sua afirmação. Mas teologia natural não seria diferente dos valores que muitas vezes o convertido precisa adquirir são não valores que ele vem a apreender naturalmente, e sim, valores que lhe são já entregues prontos, numa caixa fechada segundo a concepção já estabelecida da igreja de quais devam ser esses valores?

    ResponderExcluir
  41. Anja e Anderson.

    Anderson, você não entendeu porra nenhuma que eu escrevi para você. Pô, cara, que atitude infantil é essa de dizer "bay, bay, aqui ninguém me ama, ninguém me quer???"

    Sinceramente, o que você disse eu concordo:

    No meu pensamento, existem outras formas das pessoas dizerem que discordam sem portanto, acusarem diretamente quem não vive segundo seus conceitos, de libertinos, licenciosos e devassos.

    Ora, você vive tachando os crestes de um monte de coisas que eu sei que eles não gostam de ouvir. E aí?

    Diga-me em que outro lugar "teológico" teria um casal de relacionamento aberto como escritores?

    E sinceramente, não vi ninguém lhe chamando de devasso de forma agressiva. Até mesmo o RODRIGO, que é nesse assunto, o mais conservador de todos aqui disse:

    "considero o sexo anal uma forma de sodomia, uma perversão, algo que não agrada ao coração de Deus que quer habitar em nós e ter comunhão conosco. Saiba, porém, que em momento algum estou sendo contra a sua pessoa ou te condenando por comportamentos que expõe publicamente e que chocam o público conservador.

    e disse também:

    Certamente que não tenho o direito de julgar/condenar o meu irmão com dificuldades em relação ao pecado, seja este de natureza sexual ou não.

    Ora, acho isso um tom bem civilizado. Mas o Rodrigo tem o direito de achar que a liberdade sexual que vocês têm não é o melhor segundo a fé que ele tem.

    Anja, você descobriu minha função, né? Ser o equilibrista destes debates:

    Edu, vc é foda e qnd vê que o bicho ta pegando tenta amenizar a situação rsrs

    Mas parece que o Anderson não entendeu isso.

    Se ele não voltar mais aqui, ponha ele para ler este comentário. E aproveite também para lhe passar a seguinte penitência:

    1 - 50 flexões de braço
    2 - 50 flexões de pernas
    3 - cantar 10 vezes o hino nacional
    4 - cantar 10 vezes o hino do expedicionário
    5 - cantar 10 vezes o hino da bandeira.
    6 - Marchar por uma hora dizendo bem alto: "Eu sou um sargentão bundão, fiquei tristinho por que me chamarão de devassão"...

    kkkkkkkkkkkkk

    relaxa, AND, você nunca vai encontrar um grupo de pessoas no "âmbito teológico" que sejam tão abertas para discutir Deus, o homem, a moral, e a fé(e a não fé) como estes nossos confrades aqui.

    E você é uma parte importante deste grupo.

    ResponderExcluir
  42. Caros confrades


    Pretendo no futuro, em forma de um ensaio, fazer uma abordagem sobre o que pude notar do calor exalado nos comentários dos confrades. Na realidade, são afetos que pertencem bem de perto a cada um de nós, e foram aqui bastante ventilados, como hipocrisia, ressentimentos, recalques, agressividade, formações reativas, dentre outros .

    A psicanálise freudiana trouxe uma grande contribuição para compreensão de nós mesmos. Dizia Freud (e não sei se vocês irão concordar): “O princípio do prazer é prazer agora! Agora! E o princípio da realidade é prazer mais seguro mais tarde, mesmo que seja menos prazer . A saúde mental depende em grande parte da flexibilidade do ego. Se ele não reprime mais do que o necessário; se grande parte de sua energia está disponível para um viver alegre e criativo, então a pessoa escapou da neurose da qual grande parte da vida civilizada é herdeira.

    Deepak Chopra, professor de filosofia oriental nos EUA, fez uma relação de tópicos muito interessantes sobre o que há de oculto nos nossos comportamentos, dos quais elenco alguns para espelhar bem o que somos, e pensamos que não somos:

    ● A superioridade camufla o sentimento de fracasso, ou de que os outros o rejeitariam se soubessem quem você é mesmo.

    ● A arrogância camufla a raiva acumulada

    ● O ressentimento é uma espécie de vingança inconsciente, onde o indivíduo fornece boas razões para que o público o ame e se identifique com ele.


    P.S.:

    O segundo comentário que fiz ao texto anterior continua valendo, uma vez que o mesmo trata de DESEJOS (rsrs)

    ResponderExcluir
  43. EDU meu véio!

    Você está magistral rsrsrs assim como o DONI as vezes me parece que entra em êxtase para escrever suas opiniões.

    Seus questionamentos são sempre certeiros e ao mesmo tempo reflexivos. Toda vez que os leio eu digo: Caramba, como não percebi isso?

    ANJA! Você é a nossa musa rsrsrsrsrs uma graça de pessoa e também uma pessoa inteligente apesar.... de acharas vezes que suas mágoas lhe traem de vez em quando.

    AND! Gostei da penitência militar imposta a você! Vou lhe dizer o que eu acho com sinceridade. Você e a ANJA se encontram em uma situação não comum de vida que a maioria aqui não sabe e nem imagina por mais que vocês têm partilhado conosco como se virar diante dos fatos expostos. E sabe o que você dois fizeram? Sacudiram o pó e apesar de não ficar cantando de religioso tiveram a fé e a criatividade e também a inteligência de resolver entre vocês uma forma de viver onde se sintam felizes. E quer saber? Que se dane os incomodados! Eu com a cabeça que tenho e minha limitação teria chutado o pau da barraca e estragado toda minha vida achando que Deus foi injusto comigo só porque a vida que tenho fosse diferente dos que os outros acham "normais". Então sargento pra quem está bem armado e bem resolvido não pode fujir da luta!

    Eu já disse e repito eu os admiro muito.

    Aqui sargentão a maioria ou todos gostam de vocês e não precisa apelar do jeito que fez para ser respeitado.

    Esta confraria do pastor EDU é um lugar onde a pluralidade de seus membros encontra a unidade na diversificação de ideias.

    Levi muito bom mesmo seu comentário.

    Demais confrades tenho aprendido muito aqui com vocês! Inclusive melhorar meus argumentos quando discordo.

    Valeu a todos.

    ResponderExcluir
  44. GIL, obrigado pelas palavras, é recíproco.

    O Levi é foda, chega aqui depois de um monte de comentários e só vai pescando as emoções que afloram das nossas escritas, nos deixando mais ou menos sem roupa diante de nós mesmos e dos outros...rssssss

    Valeu, Levi!!!!!! onde será que eu me enquadro aí em seu comentário?? vou me analisar um pouco...rss

    ResponderExcluir
  45. Gui,

    seu último comentário, creio, foi bem equilibrado a partir do seu ponto de vista. Mas diga-me: você não acha também que muitos crentes estão deixando de viver uma vida sexual intensa e variada exatamente por problemas religiosos? Eu respondo que sim, muitos. Hoje talvez menos, mas há uns anos, muitos.

    A pessoa acha que estimular o sexo do parceiro com a boca é pecaminoso, é sujo, que vai fazer o ES sair da pessoa, etc. Eu acho esse tipo de pensamento, também, um pouco doentio.

    Como uma mulher pode ter nojo do esperma do marido se o esperma é o "líquido da vida"? Se o esperma é ejaculado dentro dela? Mas é verdade que muitas mulheres têm nojo do esperma. Logo que seus maridos gozam, elas correm para o banheiro para se lavarem, pois se sentem "sujas".

    Pessoas assim, também precisam de equilíbrio.

    infelizmente, a religiosidade cristã medieval que até hoje ressoa no meio evangélico, fez do sexo um "mal necessário". Colocou em antagonismo o "espírito" e a "carne".

    Até hoje a igreja não permiti que jovens adultos não casados tenham relações com suas namoradas ou noivas. Algumas igrejas ainda "disciplinam" seus membros.

    Não é também gerador de neuroses dizer a um jovem de 19 anos que no auge da sua energia sexual ele tem que se "controlar", "subliminar" seu desejo com orações, jejuns, leitura bíblica?

    Como hoje as pessoas estão casando mais tarde por motivos de estudo e carreira profissional, o jovem cristão que internalizou que sexo só não é pecado se tiver um papel dizendo que ele é casado, se vê obrigado a viver uma vida de privação sexual até os 25, 30 anos.

    Qualquer um que diga que ficou virgem até se casar por motivos de "santidade" passaram maus momentos com seu próprio corpo. Por trás da aparente aura espiritual dos jovens que estão "esperando no Senhor" existem sentimentos de frustração e desejos reprimidos.

    Ainda falta a igreja evangélica chegar a um equilíbrio melhor nesse assunto da vida sexual. Pois hoje em dia, os pastores estão fingindo que estão pregando contra o sexo antes do casamento e os jovens estão fingindo que levam a falta de sexo numa boa, que aquela vigília de oração resolve tudo. Ou seja, o que existe hoje em dia nesse sentido nas igrejas é uma boa e velha hipocrisia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EDU, uma pergunta:

      Você sabe dizer onde anda o nosso confrade e teólogo, João Cirilo?

      Ele está fazendo falta aqui, pois vinha exercendo um contraponto inteligente nos textos anteriores.

      É, mas vamos aguardá-lo...


      Quanto a sua pergunta, sobre onde você se enquadraria no comentário que fiz, anteriormente, eu diria que todos nós, apesar do conhecimento racional que adquirimos com a evolução, carregamos lá no fundo uma ancestralidade.

      Nesse sentido, todos somos seres reativos. Reagimos ao selvagem que habita em nós, mas não o destruímos. O nosso lado selvagem vem de tempos muito remotos, e continua sendo assunto dos mais diversos campos, econômico, teológico, político (olha aí o mensalão- rsrs) e filosófico.

      Em outras palavras, a cultura particular de cada pessoa, como um freio, está sempre presente nas avaliações que são produz idas através de argumentos orais e escritos. Para essa pessoa, o que ela afirma é válido porque a experimenta ou vivencia. Portanto, é no nível da subjetividade que toda a diferença se processa. E essa subjetividade intermediada por Vozes Ancestrais vem lá de trás, como esses versos que um dia publiquei:

      Da garganta me sai esta voz,
      Expressão dos meus sentimentos.
      É a linguagem dos meus avós,
      Transformada em meu alimento.
      Quando eu falo, falam meus pais,
      Sou o eco dos seus pensamentos.


      É só minha: eu pensava assim
      Esta voz que ecoa no ar,
      Quando sai lá dentro de mim,
      Traduz só o que estou a pensar?
      Me iludo! Isto não é verdade,
      São gritos que se fazem somar.


      A voz de muitos está no meu grito,
      Pois em mim tudo foi repassado.
      E nas dores que me deixam aflito,
      Não estou só, nem abandonado,
      Até os gemidos que emito no ar,
      Expressam dores dos antepassados.


      Cada riso, lágrima ou pranto,
      São expressões que vem lá de trás.
      Se repetem a maneira de um rito,
      Estes ecos, esta voz, estes ais.
      E me queima com ferro e fogo,
      Evocando os meus ancestrais.


      Esta voz que em mim se duplica,
      Enquanto vivo, não me deixará.
      Ela é um selo que comigo fica,
      É minha marca, é meu DNA.
      Com sussurros à alma suplica,
      Em meio ao eco de vozes no ar.

      Excluir
  46. EDU

    Interessante seu comentário feito a Gui, mas eu vejo que na prática do dia a dia, é preciso muito cuidado quando em púlpito, ou como pais, na educação dos filhos afrouxar demais.

    Tenho filha adolescente e acompanho jovens também. Sempre é bom um meio termo, um equilíbrio nestes assuntos no sentido de esclarecer muito bem, pois com toda as informações que hoje existem, inclusive no uso de preservativo e métodos anti-concepcionais a juventude tem feito estragos na vida e principalmente meninas tem engravidado prematuramente.

    Uma conversa sempre abertas deixando de lados os tabus e as falsas moralidades e ao mesmo tempo tentando mostrar a eles que o sexo sem uma sexualidade equilibrada e madura pode ser um desastre.

    Então tanto o pastor, o padre, os líderes precisam também não serem inocentes quando tratam deste assunto tanto no sentido de orientar e muito na hipocrisia de uma moralismo falso.

    Sexo não é pecado é uma benção dentro de uma sexualidade madura e consciente.

    Apenas isso que gostaria de enfatizar já que tenho presenciado inocência demais em alguns líderes religiosos que transvestidos de modernidade acabam que incentivando crianças adolescentes a achar que pode sair por aí mantendo relações sexuais sem uma noção básica de maturidade ainda.

    Do resto concordo em número e grau com sua fala.

    ResponderExcluir
  47. Edu, quanto ao comentário do And, eu penso que a explicação pode (e com certeza está) ma quantidade de cerveja ingerida ontem. Acontece que ontem conseguimos uma grande vitória, que é uma escola com arcabouço para poder atender as necessidades especiais do Samuel, nosso filho mais velho, aí saímos todos para comemorar a acabamos exagerando um tantinho, e creio que por este motivo, ele exagerou no comentário, coisa que não é comum ele fazer.

    Edu, sobre tua fala de taxar crentes de um monte de coisas, quem faz isto sou eu viu? rsrs e faço de forma generalizada, nunca me referindo a pessoa propriamente dito, como disse a Gui, falar no plural é uma coisa, no singular é outra né?

    Mas creio que ele deva até se retratar poer ter feito um comentário de forma tão ácida, o que fez que eu postasse o poema para tentar aliviar a tensão. Percebam, ele nunca agiu desta forma, e até eu estranhei, por isto, só posso atribuir mesmo ao estados alterado que estava, mas creio que todos aqui saberão entender isto. Gostaria de me desculpar com o Doni, a Gui e o Rodrigo e deixar claro que ele agiu por impulso, o que não é do feitio dele. estou acordando agora vcs acreditam? rsrs

    ResponderExcluir
  48. Edu

    Fui digitar lentamente na caixa do blog. Taí no que deu: Meu comentário estava na vez, mas saiu atrasado (kkkkk)

    ResponderExcluir
  49. Edu, irei responder seu comentário mais tarde (tanto o daqui como o do meu blog, vou sair agora que tenho alguns compromissos, já avisei o And da penitencia viu? rsrs

    Levi, já estava ansiosa por us participação, poxa! srsrs

    ResponderExcluir
  50. And,

    Não acredito que estas palavras saíram de você. A não ser é claro, que como bem explicou a Anja, elas representam apenas miragens daquilo que de fato você queria nos dizer. Talvez ainda mais alteradas pelo teor etílico que disputavam espaços com o sangue correntes em suas veias. Rsrs.

    Acredito inclusive, que esta reação pública dos confrades, deveria estar como uma das possíveis em suas previsões. Não é possível que tenha sido surpreendido com isso. Como quem quer dizer: poxa vida, não esperava isso de vocês.

    No meu caso especificamente, apenas considerei o objeto de debate como sendo disfuncional. Nada além daquilo que reza o protocolo, por se tratar de uma prática opcional no contexto de um estilo de vida alternativo. Que foge um pouco dos padrões normais do ambiente social no qual estamos inseridos. Nada alem disso.

    Agora, sobre a questão de nos debruçarmos apenas sobre os aspectos teológicos secundários da entrevista, sugeridos pelo Edu, considere estas “provocações” (no bom sentido) da Anja: rsrs

    “Bom Edson, o tema diz tudo: COITO ANAL não vejo como abordarmos apenas questões filosóficas e teológicas sem entrar no assunto SEXO ANAL, claro que dei uma boa provocada na galera, principalmente quando disse que o homem tem orgasmo anal, e isto é verdade de fato...”
    “Obrigada Gil, mas então deixa lhe perguntar: o que pra vc é natural? E pq vc considera o coito anal anti-natural?”
    “Mas Gil, e no tocante ao coito anal? o que vc pensa a respeito?”

    Bem que tentei me abster And, mas acabei passando também minha opinião.

    ResponderExcluir
  51. GIL, não discordo do que você disse. Claro que orientação é fundamental. E estou me referindo basicamente, a jovens adultos, maiores de 18 anos, que foram bem orientados pelos pais. O que não dá mais para engolir é o mantra absoluto e de falsa santidade de que sexo antes do casamento é pecado.

    ResponderExcluir
  52. Meus queridos, estou deveras envergonhado por ter que estar lendo (e não relendo) meu comentário.

    Gostaria de me desculpar especialmente com o Doni a Guiomar e o Rodrigo pelas citações absurdas e descabidas que fiz; por favor, desconsiderem.

    Doni, estava sim esperando tal reação, mas confesso que a esperava num sentido mais generalizado e não de forma tão singular, como pude observar nos comentários na entrevista e no texto anterior, mas de fato, era normal que houvesse tais manifestações, o que ocorreu, foi que eu me peguei relendo comentários feitos no texto anterior e, claro, sendo eu humano e passível de erros, acabei deixando extravasar o desconforto por ler alguns comentários, mas que já eram esperados, mas não sou be trabalhar a questão, e ainda estando com os sentidos alterados pela comemoração de ontem, respondi com uma agressão desnecessária, o fato é, que estou mesmo envergonhado pelo acontecido. Gosto muito de estar aqui, muito embora não tenha participado intensamente exatamente por não querer passar uma ideia que talvez possa estar em confronto com muitas coisas, como disse, ainda estou alicerçando a minha não fé rsrs, e tenho evitado tratar de temas polemicos, mas uma vez que a Anja postou os temas, pensei que seria uma covardia de minha parte não participar do debate proposto por ela. Mas mesmo esperando algumas críticas, confesso que tenho dificuldades em receber críticas, isto as vezes me atrapalha muito!

    Bem é isto!



    Eduardo, demais confrades, desculpe-me por ter provocado este mal estar.

    ResponderExcluir
  53. Anja, não tem problema algum com o que o And disse. Todo mundo tem direito de dizer o que pensa. Creio que pedido de desculpas não é necessário, basta ele cumprir a penitência que eu lhe passei...heeee

    MALDITA MAGUAÇA!!!!!!!! KKKKKKKKKKK

    Fico muito feliz com a vitória de vocês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Edu, esperávamos a quase 2 anos, e ontem nos ligaram, e tínhamos que ir o casal e o filho, de lá, acabamos indo parar um barzinho, e o resto vc viu no que deu né? rsrs

      mas irei cumprir a penitencia rsrs

      Excluir
  54. Edu, você me pergunta:

    “Eu posso concordar com sua afirmação. Mas teologia natural não seria diferente dos valores que muitas vezes o convertido precisa adquirir são não valores que ele vem a apreender naturalmente, e sim, valores que lhe são já entregues prontos, numa caixa fechada segundo a concepção já estabelecida da igreja de quais devam ser esses valores?”

    Depende da linha filosófica que você adota para formar sua opinião. O inatismo & empirismo

    Desde Platão e Aristóteles, estudiosos tentam chegar a um consenso a respeito da origem dos princípios racionais, da capacidade para a intuição e de raciocínio do homem. Será que as pessoas já nascem com determinadas potencialidades, dons e aptidões que serão desenvolvidos de acordo com o amadurecimento biológico ou tudo isso é desenvolvido através da experiência com o mundo externo?

    Platão defendia a tese de que nascemos com ideias inatas. O inatismo afirma que o ser humano já nasce pronto e extático, sem a possibilidade de sofrer mudanças. Desta forma, quando o homem nasce, sua personalidade, valores, hábitos, crenças, pensamento, emoções e conduta social já estão definidos, uma vez que toda a atividade de conhecimento é exclusiva do sujeito, o meio no qual ele vive não participa em sua formação.

    Para os empiristas contudo, (Aristóteles) o homem ao nascer é uma “folha em branco”. Não há nada no nosso intelecto que não tenha entrado lá através dos nossos sentidos". A ideia central do empirismo, grosso modo ensina que o meio é determinante na formação intelectual e moral do indivíduo. As experiências adquiridas mediadas pelos sentidos é que formam o indivíduo essencialmente.

    Não respondi nada. Mas já serve como ponto de partida para nossa reflexão.

    ResponderExcluir
  55. kkkkkkk..parece que minha sugestão de discutir a teologia da Graça num texto que fala de sexo anal saiu meio DISFUNCIONAL...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk. E muito!

      Freud, aquele maluco total, disse que ainda nos primeiros anos de vida, a criança já demonstra seu interesse no ânus. Antes mesmo dele ter consciência do seu órgão sexual.

      Ou seja, Freud explica algumas questões interessantes. Mas quem toca no assunto de maneira mais profunda é o cantor brega Falcão, que disse: "Quem não deu quando pequeno dá-lho-á depois de grande". kkkkkkk Eu hein!!!

      Por falar em ânus, a Marta vive constantemente me lembrando sobre o exame de próstata, que eu já deveria ter feito, por ter antecedentes na família. Mas eu insisto em lembrá-la que meu prazo ainda não expirou. Pois completo 45 apenas no meio do ano que vem. rsrsrs

      Excluir
    2. DONI fiz o meu exame e foi exame de sangue fiquei todo feliz rsrsrs voltei lá e entreguei o exame de próstata ao que ele me pergunta:

      Você tem antecedente em sua família?

      Eu disse sim!

      Ele então disse:

      Abaixa então as calças e pões suas mãos na maca que terei que fazer o exame de toque snif snif snif

      Vou parar por aqui que se eu contar o fora que dei vocês vão mangar de mim.

      Excluir
  56. DONI, anota no teu arquivo de "temas a serem desenvolvidos posteriormente" pois de fato, você não respondeu nada mas deixou um ponto de partida interessante para ser desenvolvido melhor num outro texto.

    mas eu creio que muito dos valores que os crentes precisam adquirir quando se converte lhe são dados numa caixinha, prontinhos; é só ele abrir e usar. Sem questionar.

    ResponderExcluir
  57. Edu, acabo de chegar e já respondi seu comentário lá no meu blog e jaja irei responder os daqui, só não entendo o pq do Gil e o Doni ainda não terem se manifestado lá, pois se não o fizerem, eu como anja, sentenciarei-os a uma penitencia muito pior que o inferno do deus hebreu! rsrsrs Doni, vc num me respondeu né? Gil, devido aos últimos acontecimentos, estou dando um tempo com a publicação de seus livros, pois quero dar uma enfase a esta entrevista, que considero de suma importância, não só por mim, mas pelo muito que já ouvi de algumas esposas, jovens e adolescentes (acredita que eu as aconselhava???) rsrs

    Mas em breve estarei publicando de novo e dando uma enfase especial ao seu trabalho ok?

    Edu, vou só retirara as asas, lavar umas vasilhas (já que estou sozinha estes dias) evou responder seu comentário aqui que, foi muito importante e será muito gostoso de responder, e vou expor algumas questões que o And me pediu pra expor, não em nome dele, mas no nosso rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente, acabo de deixar um recado pra vcs no nosso grupo no facebook, please, leiam pois fiquei muito feliz "dimais da conta sô"

      Excluir
    2. eu vi o comentário estamos famosos kkkk quanto ao livro meu fica tranquila rsrsrs visitar seu blog que artigo? A entrevista? To indo lá.

      Excluir
    3. É exatamente a entrevista , precisamente a 2° parte, sobre meu comentários no face, trata-se não só da entrevista, mas de vários artigos de modo geral, não somente artigos, mas sim os comentários decorrentes. E o nosso mago mereceu um questionamento especial, caramba, que coisa né? rsrs

      Excluir
  58. Levi, Levi, Levi, tens mesmo certeza que és ginecologista? PQP seu comentário (penso eu) entrou como punhal no peito de alguns dos nossos (eu? rsrs) mas irei transcrever seu 2° comentários aqui pata evitar vai e vem (embora os textos possam unir-se numa única postagem):

    A psicanálise diz é a FALTA que provoca o DESEJO.

    Sobre esse tema (da falta e do desejo) publiquei em outubro de 2010 no "Ensaios & Prosas", sob o título - A Vida é Um Jogo Chinês" -, do qual retiro esse trecho, para apreciação de vocês:

    "Todos nós conhecemos o jogo do quebra-cabeça chinês: um pequeno quadrado, em cujo interior ficam letras ou números estampados em quadradinhos móveis. Nele existe um lugar VAZIO que permite movimentar as peças uma após outras, com o intuito de formar uma palavra ou compor uma ordem numérica. É graças a essa AUSÊNCIA, VAZIO OU FALTA, que o jogo pode então começar. Sem esse VAZIO o jogo não funciona.

    Da mesma forma que o jogo chinês, assim funciona a nossa vida. Temos um VAZIO, algo que nos falta e que, na ânsia de preenchê-lo, apenas o mudamos de lugar. O VAZIO não desaparece, ele sempre está se encontrando em uma outra parte de nossa trágica e jubilosa vida, como no quebra-cabeça chinês.

    Não é o VAZIO do estômago que, por exemplo, nos faz sentir o DESEJO denominado FOME? O desejo pelo PÃO de cada dia?"(Levi "mago" Bronzeado)

    ÉW a easte mesmo que vc fez referencia?

    ResponderExcluir
  59. Edu, proponho não discutirmos coito anal e sim a sexualidade humana em todas as suas nuanças, o que vc me diz? Assim, penso eu, conseguiríamos tratar o tema de forma menos anatômica e mais teológica como vc quer, oq vc pensa a respeito? (queria dizer o nome do dono da ideia mas estou impedida)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nem sei pq fiz este comentário imbecil! rsrs

      Excluir
  60. Levi, eu não sei te responder. Onde estará o nosso teólogo católico JOÃO???????

    ResponderExcluir
  61. Anja, discutamos então, a sexualidade humana. Mas esse é um tema tão vasto que só vamos ficar na superfície até que o próximo confrade publique. Mas você pode voltar a este tema sempre que quiser, eu acho um tema muito interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edu, apenas tire uma dúvida minha, é pra postar já a 2° parte da entrevista ou esperar a próxima rodada?

      Excluir
    2. Edu, o Ricardo respondeu a mim e a voce lá no meu blog rsrs (aff)

      Excluir
    3. rsrsrsrs o trem tá pegando! rsrs

      Excluir
  62. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  63. Anja, estive fora esses dias por que ainda estou sem net. Estou agora usando o modem do meu pai que estará comigo só até amanhã de manhã,mas a partir de sábado estarei com a net !!! rsrs... Eu peguei o bonde andando... Parabéns pelo livro em andamento, interessante ver a teóloga falando. Sobre a questão sexual, não acho que nossas preferências devam ser discutidas, por que são tão íntimas e tão pessoais. Gosto não se discute! Aprendi que se há consenso não há pecado. Certa vez uma amiga me confessou que sentia vontade de ter relações desse tipo e perguntou se eu não achava que Deus ficaria entristecido. Respondi que achava que Deus tinha tantas preocupações que não poderia estar realmente preocupado com o ânus dela. Ela caiu em uma gargalhada e me chamou de maluca, mas depois me lembrei que o pai de um amigo, estava com um câncer no reto e pensei que naquele momento ele desejaria que o Deus de muitas preocupações estivesse preocupado com seu ânus! Então, não há como tirar Deus de nossas vidas quando se deseja que ele esteja lá. Cada um haja de acordo com a fé que abraçou e que tenha o sexo da maneira que não se sinta violentado nem no corpo, nem na alma e nem na fé. Essa é a minha opinião.
    Anja,(referindo-me ao teu comentário sobre mim) Vc se tornou uma amiga virtual muito querida tb. E não vou achar que vc está me cantando não!Pode ficar tranquila rsrs...

    Deixo para TODOS esse trecho de uma música que gosto muito para falar da beleza desse espaço virtual:
    "Quem me dera que as pessoas que se encontram
    Se abraçassem como velhos conhecidos
    Descobrissem que se amam
    E se unissem na verdade dos amigos
    Se as cores se misturam pelos campos
    É que flores diferentes vivem juntas
    E a voz dos ventos na canção de Deus
    Responde todas as perguntas" (pensamentos - Roberto e Erasmo)


    Beijins...Fiquem com Deus

    ResponderExcluir
  64. Edu, mandei uma msg pra vc no facebook

    ResponderExcluir
  65. Vamos lá Edu:

    Queria discutir essa sua ideia de que os dogmas nunca devem "suprimir" a vida. Você não acha essa uma afirmação bem subjetiva? qual vida o dogma não deve suprimir, a sua? a minha? a do Barac Obama? Ou você deve estar dizendo que o dogma não deve "matar(suprimir) a vida"? Nesse caso, qual dogma cristão é capaz de matar? (Edu)

    Deixa-me tentar responder, mesmo sabendo que vc saiba exatamente o que irei dizer né Dudu? rsrs Quando digo suprimir, vc disse matar, não sei se no sentido literal, mas eu digo suprimir, digo no sentido de privar, tolir, prender, enclausurar, entende? Sendo assim, a pessoa que em busca de liberdade, procura uma igreja, só encontrará algemas, pois os dogmas, irá suprimir a liberdade que de fato temos, voce não concorda? Vou citar a mim e ao And como exemplos, caso estivéssemos congregando numa igreja e algum "irmão" lesse na net que irei sair nua na edição de dezembro da revista lobas e que meu relacionamento é aberto, já pensou o tamanho da problemática? Visitas pastorais, visitas dos oficiais, disciplina, punição, e finalmente, exclusão. Onde está inserido a minha liberdade neste contexto?

    o que é exatamente ser humano? Quais seriam as características humanas que em consenso, poderíamos citar que todo ser humano deveria ter? Isso também não passa pela subjetividade? Edu

    Edu, Ser humano é em primeira questão, ser livre para viver, sem amarras, sem ameças, sem restrições. É subjetivo? Sim, claro, pois cada pessoa é única no universo e não podemos querer impor a outrem nosso estilo de vida, nossos conceitos de liberdade, nossas regras, entende? Penso que como ser humano único que sou, não tenho o direito de impor meu modo de vida a outro ser humano, que assim como eu, é único. Isto deve ser respeitado.

    Quando você fala em não cumprir NADA DA LEI, você estaria dizendo que se deve desonrar o pai e a mãe? Você está dizendo que se deve matar? roubar? Edu

    Meu caro, esta nem precisava responder, porque vc com certeza entendeu o que eu disse, e eu estava muito além do decálogo que Moisés plagiou dos Sumérios. O que vc considera como desonrar o pai e a mãe? Não sei se voce vem de berço evangélico, mas se v em, com certeza voce já desonra a seus pais, e isto, já era motivo para que eles lhes levasse ao sacerdote para que vc fosse apedrejado até a morte, pois não crê no mesmo deus que seus pais creem. Sobre suas colocações de roubar, matar, creio que nem precise discutir isto né?

    ResponderExcluir
  66. Edu, penso que vc não entendeu o que eu disse rsrs é que estávamos muito voltados para o coito anal, msemo o tema tratando disto, a ideia era que se discutisse sexualidade no sentido teológico da coisa e não estarmos presos a sexo anal, no caso, estou mesmo é endossando o que vc já havia pedido e um amigo sugeriu-me isto, ou seja, mesmo o tema sendo coito anal, se focasse de forma mais abrangente a sexualidade no sentido teológicos, isto nos comentários, entendeu? na verdade, penso que esta foi sua ideia desde o princípio né? rs mas eu gostaria de publicar a 2° parte da entrevista para não ficar sem terminar.

    ResponderExcluir
  67. Edu, "seu último comentário, creio, foi bem equilibrado a partir do seu ponto de vista. Mas diga-me: você não acha também que muitos crentes estão deixando de viver uma vida sexual intensa e variada exatamente por problemas religiosos? Eu respondo que sim, muitos. Hoje talvez menos, mas há uns anos, muitos.

    A pessoa acha que estimular o sexo do parceiro com a boca é pecaminoso, é sujo, que vai fazer o ES sair da pessoa, etc. Eu acho esse tipo de pensamento, também, um pouco doentio.

    Como uma mulher pode ter nojo do esperma do marido se o esperma é o "líquido da vida"? Se o esperma é ejaculado dentro dela? Mas é verdade que muitas mulheres têm nojo do esperma. Logo que seus maridos gozam, elas correm para o banheiro para se lavarem, pois se sentem "sujas".

    Edu, ouvi de muitas mulheres coisas espantosas com relação as suas vidas sexuais. Mas nem todas eram evangélicas.

    Ouvi de mulheres que nunca viram a nudez dos seus maridos.
    Ouvi de uma esposa muito jovem que seu marido não acariciava seus seios e que ela nunca pegou ou sequer viu o pênis do seu marido.
    Ouvi de uma esposa que seu marido não tirava totalmente a roupa para ter relações.
    Ouvi de uma jovem esposa que seu marido talvez gostaria que ela tivesse relações com ele, de burca.
    Ouvi de mulheres que não aceitavam outras posições que não fosse a famosa "papai e mamãe." No entanto, ouvi de uma velhinha viúva, que o marido fazia sexo oral com ela, e ela amava. Era uma velhinha bem sapeca e muito crente.

    Eu creio, que a falta de liberdade sexual, nem sempre está ligada a religiosidade, por exemplo conheci vários homens que não aceitavam jamais que as suas esposas demonstrassem qualquer prazer no sexo. Eles ficavam raivosos e perguntavam com quem elas haviam aprendido fazer sexo gostando.
    Muitos daqueles que não gostam de roupa íntima sensual, são machistas e o que me chama atenção é que são mulherengos, isto explica muito.

    Hoje, declaradamente muitos jovens evangélicos tem relações com as suas namoradas.

    Para mim particularmente, a proibição era algo que me irritava profundamente. Eu questionava muito porque queria fazer xixi podia, comer podia, beber água podia, fazer cocô podia e porque não sexo?
    Eu tive uma vida de liberdade sexual, apesar de ser filha de pastor e haver tido uma educação que extrapolava o bom senso.

    Nunca tive uma resposta adequada, mas continuei na minha investigação, não vou poder explicar quando resultou minha compreensão sobre a abstinência, seria um estudo rss
    mas entendi a partir do momento que ponderei que o coito não envolve apenas o corpo.

    Como já falei aqui em outra postagem, meu filho mais velho, agora com quase 23 anos, decidiu por si só, esperar o casamento junto com a namorada para se relacionarem sexualmente.
    Sempre conversamos sobre o assunto, ele me fala que não é fácil, mas ele sabe o que está fazendo e não se sente frustrado. É uma escolha de ambos e eu apoio cem por cento. Não gostaria de ver meu filho de cama em cama, exposto a muitos dissabores que o prazer casual traz.

    Conheci muito e muitos jovens e conheço ainda que optaram por ter sexo após o casamento e sempre os vi alegres e determinados. Eu creio que quando a escolha é pessoal, não há motivo para frustração. Lembro-me da cantora Sandy como sofreu intolerância por declarar-se virgem. Parece que a sociedade não aceita este tipo de escolha. Agora eu pergunto: por que a incomoda tanto?

    ResponderExcluir
  68. Anjinha, gostaria de te pedir que me copie o comentário em que acusei você e o And de pervertidos, licenciosos, etc., diretamente.

    Como já lhe disse no face, se eu falar que a prática do polisexo é licenciosa e pervertida, implica em acusar vocês, perceba que é igual quando você zomba, critica e até trata como pessoas sem inteligência, os evangélicos, mas eu me limito a sorrir e responder as vezes.

    ResponderExcluir
  69. And, não se preocupe, pelo menos o álcool te fez por para fora o que estava te machucando. Não fiquei mal quando li, percebi sua ira e entendi. Só queria te dizer que por mais que eu ame vocês, eu nunca vou dizer o que vocês gostariam de ouvir, apenas para agradá-los. Isto sim, eu acho falsidade e hipocrisia, mas jamais vou deixar de amá-los por discordar de vocês.

    ResponderExcluir