domingo, 13 de maio de 2012

O poder, a fama e a verdade (se é que há uma verdade)






O poder tem um efeito tão nocivo quanto qualquer outra droga, isto é fato. O poder causa dependência e por si só a pessoa é incapaz de abandonar este terrível vício. Com certeza você, caro leitor, deve conhecer alguém que sofre deste mau terrível que é a dependência: toxicômanos, fumantes, alcoólatras assim como, políticos, ministros, diretores de empresas e porque não dizer PASTORES?! SIM! Assim como os dependentes químicos que não conseguem por si só abandonarem o vício, o individuo que alcança o poder não intenta abandona-lo, inclusive os PASTORES!

                Quero me ater nesta ultima classe de indivíduos, os pastores, estes talvez sejam os mais difíceis de tratar, pois, estando no engano, enganam; se libertando do engano, continuam, enganando e se enganando e por quê? PELA SEDE DE PODER! Não querem abandonar todo o “sucesso profissional” que já alcançaram e covardemente, permanecem no auto-engano e no engano da religião e continuam iludindo a muitos. Até pode-se dizer que é compreensiva tal postura, pois o ser humano é por natureza ambicioso e a ambição é o desejo, a intenção de alcançar um objetivo e em se alcançando, novas ambições nos arrebatam, sendo que em se tratando de poder, quanto mais melhor. A fome por poder se torna insaciável e renegar ao poder é algo extremamente difícil e doloroso.  O homem (indivíduo) que, no exercício da função, alcança o poder no clericato, dificilmente abandonará suas convicções, mesmo que tenha certeza que está no engano ou que, sendo eu mais “light”, descobre não haver uma verdade absoluta ou uma só verdade, dificilmente terá coragem de retroceder e abandonar o poder que o mantém vivo ou pelo menos que o mantém como “chefe” da organização que dirige, seja ela qual for.

                […] “Em algumas personalidades (e pastores), a conquista de poder pode ser como apanhar uma 'pedra', semelhante a uma droga", escreveu Dan Bobinski , um especialista norte-americano em liderança, num artigo em 2006 . "Mas eventualmente a 'pedra' passa e a pessoa precisa de uma nova infusão de poder - ou uma posição mais elevada de poder - para voltar a sentir-se estimulado. Nenhuma pessoa é tão grande que não possa cair".

O poder como vício dos vícios é substância mais natural do que a canábis, tem sido abordado pelos autores mais respeitáveis ao longo dos tempos: "O poder é doce: é uma droga cujo desejo aumenta com o hábito", escreveu o filósofo Bertrand Russel a meio do século XX. Edmund Burke já tinha escrito há 200 anos: "Aqueles que foram intoxicados pelo poder... nunca o poderão abandonar de livre vontade”. […] (Vitor de Matos).

                É por isto que digo sem medo de errar que muitos pastores (tele-evangelistas ou não) jamais voltarão atrás em sua teimosa fé (mesmo que isto lhes pareça ser o mais sensato a fazer), pois a sede e o doce sabor do poder lhes impede. Muitos até querem abandonar, mas precisam de uma intervenção de fora, não de deus, que é outro que tem uma sede infindável de poder, mas talvez de especialistas em dependentes químicos, só neles estes encontrarão ajuda.

Anderson Luiz de Souza

Licença Creative Commons
O poder, a fama e a verdade (se é que há uma verdade) de Anderson L. De souza é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.
Baseado no trabalho em andersonmineiro70.blogspot.com.br.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível emhttp://omundodaanja.blogspot.com/.



207 comentários:

  1. Olá Anderson.

    O tema que propõe é bem interessante e devemos refletir sobre como deve ser a organização de uma igreja e como evitarmos de que alguém, liderando uma comunidade, alcance muito poder e acabe envenenando o ministério e contaminando a experimentação espiritual dos demais.

    Até hoje, as doutrinas eclesiásticas têm dado suporte ao acúmulo de poder nas igrejas evangélicas. Claro que há variações. Enquanto numas denominações o pastor sujeita-se ao conselho da igreja, em outras ele se torna um tremendo ditador, o "ungido do Senhor", o "homem de Deus" supostamente escolhido pelos céus para uma missão divinamente autorizada na terra.

    Num país como o Brasil, os poderes dos pastores tornam-se ainda maiores. Se numa igreja nos USA ou Europa o pastor corre o risco de ser até expulso pela comunidade caso esta se desagrade de seu trabalho ou posições, aqui é justamente o contrário. As igrejas tornam-se passivas e sem iniciativa de auto-organização. Coisa que, em outros meios sociais, ocorre também.

    Vale ressaltar5 que, nesta minha análise, tenho constatado que as igrejas evangélicas do ramo pentecostal costuam ser bem mais autoritárias do que as consideradas tradicionais. Inclusive entre aquelas que adotam um discurso moderninho para alcançarem a identificação de roqueiros e surfistas, muitas, na prática, não são nada democráticas. E quanto mais misticismo, em regra tem-se mais autoritarismo.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Em tempo!

    Alguns exemplos bíblicos utilizados por pastores autoritários seriam Miriã e Corá, ambos situados na Torá de Moisés.

    No caso de Miriã, os defensores do abuso de autoridade pastoral citam aquela situação em que ela e seu irmão Arão assim dizem: “Porventura, tem falado o SENHOR somente por Moisés? Não tem falado também por Nós?” (Nm 12.2)

    A atitude dos irmãos de Moisés não é compreendida como um simples protesto contra o fato de Moisés ter tomado para si uma mulher estrangeira. Tal questão parece ter sido levantada apenas como um pretexto para que Miriã e Arão manifestassem a cobiça que tinham pela posição de Moisés.

    Conta a Bíblia que, mansamente, Moisés não tomou nenhuma atitude contra os seus irmãos. O texto diz que Deus ouviu as palavras de Miriã e Arão, dando a seguinte resposta que se encontra nos versos de 5 a 8 do capítulo 12 de Números:

    “Ouvi, agora, as minhas palavras; se entre vós há profeta, ei, o SENHOR, em visão a ele, me faço conhecer ou falo com ele em sonhos. Não é assim com o meu servo Moisés, que é fiel em toda a minha casa. Boca a boca falo com ele, claramente e não por enigmas; pois ele vê a forma do SENHOR; como, pois, não temestes falar contra o meu servo, contra Moisés?”

    Assim, o próprio Deus defendeu a honra de seu servo e, por castigo, Miriã ficou leprosa por sete dias, apesar da intercessão de Moisés para que ela fosse curada daquela praga, com o objetivo de que ela fosse envergonhada por sua conduta. Tal castigo Deus comparou a uma cusparada que uma filha recebe de seu pai, algo considerado como abominável no contexto daquela época.

    Todavia, tenho minhas dúvids se a passagem sobre Miriã e moisés deve servir para justificar o abuso de autoridade pastoral. O execício do poder dentro de uma comunidade eclesiástica não precisa estar personalizado na pessoa de um líder e aí o caminho da maturidade nos ensina que a atuação de um conselho e a participação ativa dos irmãos que congregam podem tornar o grupo mais eficiente. Tanto é que Provérbios assim diz que, "na multidão de conselhos há sabedoria".

    Fico também a indagar qual a legitimidade daqueles que se dizem "escolhidos por Deus". Pois, embora Moises e Arão tenham sido aprovados pelo Eterno na aparição do Sinai, muitos dos pastores de hoje não têm nenhuma eleição. Foram escolhidos por homens e dizem que a decisão tomada na terra, muitas das vezes de maneira manipulada, teve aprovação nos céus.

    Enfim, chego à conclusão de que o surgimento de líderes que exerçam uma influência como a de Moisés são exceção em momentos especiais e a história dos monarcas de Israel e de Judá nos mostram o quanto aqueles reis foram desastrosos para o povo hebreu. E entregar poder demais a alguém é um perigo.

    ResponderExcluir
  3. Em tempo 2!

    No capítulo 12 da primeira epístola aos coríntios, o apóstolo Paulo nos ensina que somos do corpo de Cristo, no qual fomos batizados. Porém, exercemos funções diferentes na Igreja, as quais devem estar em harmonia para o perfeito funcionamento do corpo.

    Justamente por isto, a Palavra de Deus nos diz claramente que devemos nos sujeitar “uns aos outros no temor de Cristo” (Ef 5.21), tendo em vista que a vida do discpipulo de Jesus é de prestar serviços a Deus e aos outros.

    Com este objetivo, entendo ser importante nos sujeitarmos à liderança do grupo e termos em grande estima e consideração aqueles que ministram. Não tendo mais um ditador dentro de uma igreja, a sujeição deve se dar ao que o coletivo decidiu, sendo fundamental acatarmos a maneira como se organiza o grupo com o qual estamos nos congregando.

    A base de tal apoio, todacvia, certamente não se fundamenta na personalidade de quem exerce um ministério na Igreja, mas sim no exercício da função designada por Deus, com o objetivo de realizar a sua obra na terra. E, sinceramente, acredito numa Igreja onde exista coordenação e não ditadura. Uma Igreja cujo cabeça é Cristo e todos somos membros uns dos outros, havendo coordenação e não um presidencialismo por parte do irmão A, B ou C que confunde a função de pastor com um cargo.

    Para finalizar (acho que já escrevi demais), lemmbro que pastorear significa cuidar. Não se trata do exercício de um cargo, mas sim de uma postura que devemos desenvolver em relação aos outros. Aliás, penso que todos somos chamados para pastorear. Todos devemos nos tornar cuidadores ins dos outros, imitando o exemplo do Pastor Supremo a quem deve ser dada toda a honra e toda glória.

    Valeu!

    ResponderExcluir
  4. Perfeito Rodrigo! Grato por seu comentário.

    eu vim de uma educação batista tradicional, onde os diáconos quando insatisfeitos, tinham o poder até de "destronar" o pastor, que "comia miúdo em suas mãos";isto na minha adolescência, hoje não vemos mais isto. O que vemos hoje são pastores "manipulando" a liderança e a membresia para que permaneçam no poder a passando-os a seus filhos e assim sucessivamente. percebo hoje uma "monarquia" nas igrejas. A um interpretação errônea (e muito errônea, diga-se de passagem) sobre o que é ser ungido e assim vemos o que hoje temos visto.

    Mas ainda existe outra "face" deste monopólio e desta dependência pelo poder que é a face dos que descreem ou que se abrem a uma nova visão, ou ainda que mudam radicalmente sua forma de crer (não descrendo, mas estando em contradição com as doutrinas e dogmas de sua denominação) e ainda assim, permanecem firmes! Muitas vezes, pregando o que sequer acreditam ser verdade. Isto para que? Simplesmente para manter o status que tem, os salários (que por vezes é altíssimo) ou anda, alcançarem uma realização profissional, já que desprenderam tantos anos e sendo assim, não querem ou em muitos casos não tem como recomeçar algo novo, retando-lhes apenas o ministério do engodo e da mentira e neles devem permanecer e tirar o máximo proveito possível.

    Digo isto pelo fato de ter presenciado e até ouvido de amigos bem próximos a afirmativa que não lhes retava mais nada a não ser permanecer, pois haviam perdido sua juventude e muito mais em algo que hoje sequer creem.

    Infelizmente hoje o púlpito virou sinônimo de cabide de emprego ocupado por preguiçosos. E muitos aproveitam a facilidade que tem de fazerem cursos até no exterior (já que a maioria dos cursos é pago pela igreja sem ônus para o "empregado", pois se trata de "investimento da empresa em seu mais alto funcionário), e fazem todos os cursos que podem alcançar alcançando prestígio, status e fama, levando também, claro, sua igreja a um crescimento, o que, óbvio, não quer dizer que seja algo de Deus. Estes pra mim são os piores. Pois crescem "mamando" o que podem de suas ovelhas e sequer tem coragem de dizer-lhes:

    SINTO MUITO, NÃO MAIS CREIO NO QUE VOCES CREEM.

    Permanecem enganando e no auto engano!


    Mais uma vez, }Grato por seu comentário Rodrigo.


    Abraços,

    Anderson.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anderson,

      Este é um grave problema que precisa ser resolvido nas igrejas.

      Gostei do que disse chamando o ministério pastoral de "monarquia", algo que, tempos atrás, apliquei à política com o termo "democracia hereditária". Aliás, nem fui eu quem inventei. Li ou ouvi dizer em algum lugar e não sei onde "o galo cantou". (rsrsrs)

      Mas curiosa esta tendência do ser humabno transformar as coisas numa "monarquia", não? Por que fazemos isto?

      Mas voltando ao que compartilhou, penso o quanto deve ser desconfortável um ministro do evangelho (de qual evangelho?) adotar um discurso no no qual ele não mas acredita. Ele se torna emrpegado de uma instituição, passa a ser reconhecido pelo quanto arrecada em dinheiro ou pelo número de pessoas que aglutina nos cultos. Só que tudo isso acaba lhe fazendo mal. Tira a sua liberdade. Restringe seu convívio autêntico. Faz dele um político igual ao demagogos que enganam as expectativas da população com falsas promessas, usod e máscaras, etc.

      Mas vejamos. Se a situação é desconfortável, por que um ministro do evangelho não lutaria para sair daquela situação? Se um pastor consegue abrir o seu próprio negócio e alcançar uma renda mais satisfatória, por que não dar uma "banana" pra instituição? Aí fico a pensar se n~sao existiriam outros fatores que incentivam e justificam certos pastores a permanecerem? E por que desejarem algo que seria ruim e um estorvo para um descendente?

      Bem, eu percebo que há também um preenchimento que gere satisfação. Com o tempo e com o envelhecimento, o pastor não vive somente pelo dinheiro. Ele passa a encontrar também prazer naquilo que faz. O ministério acaba virando um fim em si mesmo e, no fim da vida, ele está orando fervorosamente junto com os outros crentes.

      Abraços.

      Excluir
    2. Bom Rodrigo, vamos lá tentar apresentar algumas prostas à suas questões:

      Mas vejamos. Se a situação é desconfortável, por que um ministro do evangelho não lutaria para sair daquela situação?(Rodrigo)

      Por conveniência ou simplesmente falta de opção.

      Se um pastor consegue abrir o seu próprio negócio e alcançar uma renda mais satisfatória, por que não dar uma "banana" pra instituição? (Rodrigo)

      Por falta de opção, por ser incapaz ou na melhor (ou pior)das hipóteses, por preguiça mesmo!

      Aí fico a pensar se n~sao existiriam outros fatores que incentivam e justificam certos pastores a permanecerem? E por que desejarem algo que seria ruim e um estorvo para um descendente?(rodrigo)

      Aí meu caro, entra a outra face da interpretação de meu texto (que por sinal estou gostando muito da forma que vem sendo debatida aqui). A princípio, quando escrevi o artigo tinha em mente apenas o que não mais creem, sendo assim semi-ateus e "crendo por conveniência", mas aqui o texto está ganhando outro enfoque e, claro que um pastor que quer manter o poder na mão mas que crê no que prega, irá querer o mesmo pra sua prole (vide Marcio valadão entre outros), mas se o indivíduo deixa de crer no que prega e continua roendo o osso e mamando nas tetas, tendo condições irá intentar outro futuro pra seu filho, já que ele se "sacrifica" para dar a melhor educação aos seus né verdade?

      Olha, estou louco pra dar um exemplo aqui mas a Anja não me deixa de jeito nenhum, então é como dizem... PRA QUEM SABE LER UM PINGO É LETRA! rsrsrs


      Obrigado Rodrigo.

      Excluir
    3. psiuuuuuuuu caladinho querido, todo mundo já entendeu tá? rsrs

      Excluir
    4. Eu creio que existam outras satisfações além do financeiro para muitos pastores que já não acreditam naquilo que pregam.

      Há postores que, mesmo após ficarem de "saco cheio" do blá-blá-blá do fundamentalismo, não abandonam o jeito biblicista de se expressarem nas suas igrejas afim de alcançarem o nível de consciência das pessoas.

      Mais de 1 anos atrás, soube de um pastor batista que, após ler o livro Por que Você Não quer Mais ir à Igreja? de Wayne Jacobsen e Dave Coleman, teria decidido deixar a congregação e sair da cidade onde morava no interior fluminense. Os membros ficaram abandonados, ouvi dizer que pessoas se desviaram e acho que talvez esta não seja a conduta correta a ser tomada.

      Bem, se eu mudo a minha maneira de pensar em relação a vários pontos bíblicos, passo a ler as Escrituras d euma outra forma. Porém, entendo que sou responsável pela congregação que estou pastoreando e que estar no local pode ser uma oportunidade para promover o esclarecimento das pessoas.

      É claro que tudo isso varia conforme o que cada um passa a crer ou descrer, além da importância que se atribui às crenças. Eu particularmente me sinto ligado a um propósito maior e que vai além de uma crença. Discussões se o Cristo é ser divino ou apenas humano, por exemplo, já não me interessam porque meu objetivo é promover o Evangelho. Ou seja, quero convocar as pessoas de uma comunidade para que elas se despertem para a construção de uma nova realidade na Terra, a qual Jesus chamou de "Reino de Deus". Logo, já não foco na desconstrução de mitos, mas utilizo-os no meu discurso do esclarecimento quando não eles conflitam com a propagação das boas novas ou com a essência da mensagem do Reino.

      Abraços.

      Excluir
    5. Rodrigo, falo de pastores que perderam sua fé! Me diga como voce conseguiria "pregar" uma msg que vc sequer crê como sendo verdadeira? Esta é a questão que levantei! E falo que conheço pastores que após terem perdido a fé, ainda assim, continuaram na frente de sua congregação, mesmo tendo outros pastores "na aba" esperando pra "assumir" a vaga... Entendeu?

      Excluir
  5. Anderson, seja bem-vindo com sua primeira postagem. E já começa pisando no calo dos "ungidos"...rssss

    Mas ao que parece, desde que nós começamos a nos juntar em sociedade, sempre precisamos de líderes. O anarquismo é bem legal em tese, mas creio que ele não funciona na prática, pois numa sociedade onde todos fazem o que querem, sem ter um poder para governá-los e propor leis de convivência, tal sociedade se destrói.

    Então, tão inerente ao homem como a religião é o poder e os dois se dão muito bem, como sabemos.

    Todos nós exercemos algum tipo de poder.

    Entrando agora especificamente no poder eclesiástico, o RODRIGO discorreu muito bem sobre os modos de governo existentes na igreja e eu não vou mais repetir o que ele já disse. Mas só destaco que o poder está mais aflorado onde há um "líder de ministério", esses são donos da igreja e o poder é transmitido à moda monárquica: de pai pra filho.

    Nesses ministérios, poucas pessoas se atrevem a discordar do líder(quando discordam, saem e fundam o seu próprio); mas esse não discordar não vem somente por medo ou excesso de respeito, e sim, por verem no seu líder, um autêntico "homem de Deus", um "ungido", um "profeta".

    Essa relação "ungido-ovelha" pode se tornar tão embasadora da razão e da crítica, que tais líderes quando são denunciados por faltas éticas isto se volta contra quem denuncia, e a denúncia se torna "perseguição".

    ResponderExcluir
  6. Correto Eduardo e obrigado pelas boas vindas e espero atender a contento, a confiança que voce depositou em mim, convidando-me para ser um dos redatores aqui da confraria.

    Mas então. Não falo do poder enquanto este se mostra dentro de uma normalidade, mas sim, a face doente do poder, o poder como vício, o que pode assemelhar-se e muito, da dependência química.

    Eduardo, enquanto eu estava no time azul, e começara a ruir tudo em que eu cria como sendo verdade absoluta, havia alguns poucos amigos juntos comigo e que comungavam da mesma vontade minha de jogar tudo pro alto e sair! Destes, só um seguiu comigo os outros voltaram e um deles mostrou a face que comentei acima, ou seja, disse que não tinha outra opção pra seguir, até tentou! Prestou alguns concursos públicos, mas não obtendo êxito, seguiu a triste sina de ser pastor semi-ateu. Hoje tem um grande ministério e está feliz da vida, e realizado profissionalmente. Mas me pergunto se de fato estará ele realizando a vontade de deus e se está, qual é este deus? Inda outro dia me c omuniquei com ele por e-mail e em nada ele me lembra o amigo que outrora eu tive, mostrando uma crença "mística" que jamais teve!

    Pra mim, isto foi um retrocesso, mas pra ele, o sucesso e nestes casos que me pergunto se é a vontade de deus ou dos homens (no caso vontade dele) e então? o que voce me diz disto? rsrs

    ResponderExcluir
  7. Poxa! Eu já li sobre um pastor que disse que saiu do movimento evangélico, mas que continua firme roendo o osso! Será que é este o tal amigo?

    ResponderExcluir
  8. rrsrsrs não meu caro anônimo, não falamos do mesmo "pastor" não, o meu amigo não é midiático, mas tem a mesma sede.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Rodrigo, quando vc diz que pastorear é cuidar, sou obrigada a concordar e dizer que pastores cuidam sim, mas de seus ganhos e de sua monarquia! rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem sempre, amiga. Há pastores realmente preocupados com o bem estar das pessoas, com o casamento dos membros, a família, a sociedade e a cultura. E olha, não estou aqui para defendê-los. Estou dizendo que muitos estão buscando também contribuir positivamente pelo bem do próprio. Mas é claro que existem contradições, imperfeições, um amor (amor?) muitas vezes limitado aos integrantes da seita, uma dependência do dinheiro que recebem, o reconhecimento, dentre outras situações.

      Excluir
  11. Ps.: Não estou generalizando, mas ta como a política no brasil, os bons políticos e bons pastores s~]ao tão poucos que nem aparecem, é igual elefante branco ou cabeça de bacalhau. rsrsrs

    ResponderExcluir
  12. Rodrigo, o que seria prestar serviços a deus e aos outros em sua visão? please, (não to sendo irônica viu?) quero pegar esta sua fala pra tentar focar numa ideia minha aqui ok?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara amiga,

      Cuidar, no meu entender (não estou falando no sentido bíblico), seria buscarmos o bem do outro, ajudarmos aqueles que são mais fracos (ou que se encontram num outro nível de cosnciência) e apoiarmos também os que ministram coisas boas (os que estão no mesmo nível de consciência que nós).

      Como havia respondido ao Ânderson, acredito que haja outros fatores motivacionais para um pastor além do ganho financeiro e da "monarquia". Muitos querem ver também o bem do rebanho, dos que ministram o evangelho junto com eles, ainda que façam isso de um modo limitado e medíocre. Podem, por exemplo, desejar que os membros sejam felizes, mas que não "pisem no jardim" deles. Não é por menos que muitos pastores pregam auto-ajuda dentre outras coisas que promovem a qualidade de vida. Qiando se trata em esclarecer as pessoas, porém, deixam a desejar. Preferem continuar alimentando o obscurantismo em vários aspectos.

      Seja como for, os ministérios pastorais fazem bem e mal.

      Excluir
    2. Em tempo!

      O cuidar também deve incluir outras coisas além do apoiio espiritual, emocional ou ético. Deve abranger o aspecto material (ajuda alimentar e econômica), quando necessário.

      Penso que nós, durante a vida que temos aqui na Terra, precisamos do apoio uns dos outros. Precisamos dividir nossos dramas, perdas, dificuldades, alegrias, expectativas, dúvidas e os mais diversos momentos como infância, juventude, estudos, entrada na profissão, casamento, paternidade, maternidade, criação de filhos, maturidade, envelhecimento, perda dos ascendentes, desemprego, enfermidade, viuvez e a morte.

      Eis aí a necessidade de cuidarmos uns dos outros. Não concorda?

      Então que sejamos PASTORES uns dos outros!

      Excluir
    3. Exato Rodrigo, comungo de sua visão do que é pastorear e tinha certeza que esta seria sua resposta.

      É por isto que vc faz parte de meu mundo

      Bjux...

      Excluir
  13. A coisa mudou muito, Anderson. Antigamente o chamado para o ministério era comandado pela terceira pessoa da trindade (O E. Santo). Ele revelava ao líder maior eclesiástico aqueles que deviam ser ungidos.

    Ultimamente, inúmeros sites vêm publicando que a IURD vai fazer concurso para pastores de suas igrejas. Há alguns desmentidos, mas se for um concurso sério, pode ser que venha acabar com a mamata de muitos poderosos que estão no palco gospel sem nenhum pré-requisito. (rsrs) Que acha?

    Aí vai um dos muitos textos entre os que estão circulando na blogosfera:

    “É isso mesmo senhores, está aberto o concurso para pastor da Igreja Universal do Reino de Deus pela CESPE/UNB – Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília.
    O concurso pretende encontrar profissionais capazes de expandir a palavra de Deus com qualificações expecíficas. “Precisamos de profissionais não apenas ungidos pelo Espírito Santo e preparados no fogo do Pai das Luzes para cumprir nossa missao evangelizadora, mas também de pastores com conhecimento técnicos para darem continuidade a essa obra tremenda”. Explica o pastor Ricardo Ibrahim, responsável interno da IURD pela organização do concurso.
    Poderão competir pela vaga, homens, com ensino superior completo de qualquer área. Os candidats que tiverem formação em Bacharelado em Administração Eclesiástica ou Pós-Graduação (mestrado e doutorado) em Administração de Igrejas ganham pontos na prova de títulos.
    E o salário inicial será de R$ 8.234,82 mais benefícios. “Estou ansioso! Esta é uma oportunidade muito grande na carreira de qualquer pastor e não vou perdê-la!” vibra o jovem de 23 anos que é pastor desde os 18 anos e acaba de concluir Teologia em Guarulhos. “



    Links:

    http://www.paraiba.com.br/2012/05/03/70349-igreja-universal-do-reino-de-deus-vai-abrir-concurso-para-pastor-com-salario-de-r-8-mil

    http://www.blogandogospel.com/concurso-para-pastor-na-igreja-universal-salario-inicial-de-8mil/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Levi, pode vir algo de bom da IURD? (rsrsrs)parafraseando: pode vir algo bom de NAZARÉ? HAHAHA

      Excluir
    2. Levi, não me recordo onde vi, mas vi também uma conversa (ou li algo a respeito) que o }Silas iria fazer também concurso pra pastor rsrsrs os aprovados teriam um bom salário e auxílio escolar para os filhos e vários benefícios! rsrs parece piada isto n´[e? mas não sei dizer se a fonte é segura. Mas se for verdade, seria pelo menos direto né mesmo? Já que é emprego que procuram, pelo menos se capacitem para ocupar o "cargo" que lhes é "oferecido"rsrsrs ou ainda "intentam" ocupar rsrs

      Excluir
    3. O Obreiro é digno de seu $alário (Tenho a impressão de que foi o apóstolo Paulo que fez essa declaração) - rsrs

      Em outras palavras: Quanto maior a OBRA maior a GRANA. (kkkkkk)

      Excluir
    4. Hei porque será que só se fala em pastores? rsrsrs será que "num tem uma vaguinha" pra pastora não? rsrsrs

      Gui... "nois num tem vez nisto mesamo né? hehehehehehe

      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    6. (...)Quanto maior a OBRA maior a GRANA.(Levi)

      E nestes casos meu caro, será que também a "unção" do "ungido" é maior também? (kkk)

      (acho que nsim né? poderíamos dizer que unção = SALÁRIO???)rsrss

      Excluir
    7. Anja, o Paulo (apóstolo) tina um medo danado das mulheres, o “Medo da Deusa-Mãe dominar o reinado patriarcal cristão e romano”, se não vejamos:

      "Como em todas as igrejas dos santos, conservem-se as mulheres caladas nas igrejas, porque não lhes é permitido falar; mas estejam submissas como também a lei o determina. Se, porém, querem aprender alguma coisa, interroguem, em casa, a seu próprio marido; porque para a mulher é vergonhoso falar na igreja.” (kkkkkk)
      (I Corintios, 14)

      Excluir
    8. kkkkkkkkk Sem comentários Levi rsrs Paulo, o apóstata era de fato um medroso!!! rsrsrs

      Excluir
  14. And, eu entendo. (And = Anderson...rs)

    De fato, o poder tem algo de enebriante. Lembra dos dois discípulos que queriam se sentar cada um de uma lado de Jesus no seu futuro reino?

    Jesus disse que eles não tinham entendido nada...

    Esses pastores que já não creem no que pregam eu vejo em duas condições. Há aqueles que é um profissional de fato; não acredita em nenhuma doutrina que ensina mas como galgou uma posição de poder que lhe garante privilégios e retorno financeiro, ele vai ficando...

    Mas há também aquele que não é assim tão mercenário e sofre por estar enganando não ao povo, e sim, a si próprio. Se tiver ombridade, ele sai, se não, vai ficando e acaba por ser tornar insensível à sua própria luta interior

    Mas há também aqueles que tiveram uma posição privilegiada mas que sempre acreditaram no que pregava e romperam com o sistema evangélico, caso do Caio Fábio. Mesmo agora estando à frente do movimento do Caminho da Graça, ele de fato, rompeu com um sistema que lhe sufocava, mas acabou por criar o seu próprio sistema. Ainda que eu veja nele mais ética do que em qualquer outro líder cristão conhecido.

    O que estamos discutindo aqui é basicamente pastores que usam do poder para manipular igrejas e convenções aos seus interesses. Vi isso acontecer no Ministério das Assembleias de Deus de Madureira do qual fiz parte por alguns anos quando o hoje "Bispo primaz" Manoel Ferreira(que é ou foi também deputado federal) se pôs como único líder do ministério, tirando todos aqueles que lhe foram contrário.

    Religião e poder, uma mistura que faz muito mal aos incautos fiéis mas traz grandes lucros e compensações em barganhas políticas e negociatas para quem dela se serve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Edu! Concordo em GÊNERO, NUMERO E GRAU! Voce foi perfeito em sua colocação.

      Excluir
  15. Eduardo muito boa esta sua fala: "Essa relação ungido-ovelha pode se tornar tão embasadora da razão e da crítica, que tais líderes quando são denunciados por faltas éticas isto se volta contra quem denuncia, e a denúncia se torna perseguição".(Eduardo)

    de fato temos visto isto muito isto hoje em dia, o que faz-me mais certeza ainda que tomei a decisão certa de não mais pertencer ao meio evangélico. Poderia dizer que tenho vergonha de um dia ter feito parte disto tudo, mas não! Aprendi muito, ganhei experiencia e acima de tudo, hoje posso dizer que fiz parte da corrupção do "mundo" (ou mundana como dizem os crentes)e da corrupção do meio evangélico e consegui sair disto tudo (com um pouco de sanidade rsrsrs)e hoje, como gosta de dizer a anja, "vivo feliz minha humanidade sem medo do inferno" e estou fora do mundo da corrupção, ou melhor, de ambos os mundos corrompidos rsrsrsrs, aprendi muito, mas consegui sair quase ileso, graças a Deus (???), sobram cicatrizes, hoje trago experiencias que servirão pra alicerçar pelo menos a meus filhos. Não desejo (longe de mim tal coisa) que todos meus amigos ou quem lê a meus textos, se tornem descrentes tal qual eu e a anja, respeito as experiencias individuais de cada um e a vivencia na coletividade, ou seja, respeito da mesma forma que antes os que hoje continuam congregando e tendo a visão de igreja e ministério que eu mesmo tinha a alguns anos atrás, mas que hoje, não mais servem para mim.

    Mas penso que sim, é muito importante congregar para viver uma cristandade e principalmente aprender a compartilhar com nosso próximo. Não encontraremos jamais a "igreja perfeita e muito menos líderes perfeitos", eu, (rsrs) não procuro isto, apenas desisti de congregar, não como quem jogou a toalha, mas como quem já se decepcionou muito e descreu de muita coisa, e pude constatar que os malefícios da igreja são muito maiores que os benefícios; mas claro que minha receita é única e individual, e não serve de base pra outros, cada qual tem o remédio próprio e na dose certa.

    Não ouso receitar o remédio que foi amargo e bom pra mim que ele pode ser fatal para outrem. Devemos cada um ter nossas experiencias a alicerçamos nelas, não é verdade?

    ResponderExcluir
  16. My Lord, gostaria muito de ver aqui seu texto do sujo falando do mal lavado rsrsrs seria bem interessante haahahahaah

    ResponderExcluir
  17. Olá Anderson! E confrades! Que tema legal!

    Primeiro penso que o poder é um mal necessário! Rsrsrsrs Pra vivermos sem uma “autoridade” é preciso antes uma mudança radical de mentalidade.

    Não conheci nenhuma autoridade que de certa forma não demonstrou ter sido ludibriada pelo poder.

    Mas conheci algumas que suas atitudes e gestos se aproximaram muito dos gestos de Jesus.

    Nossa mentalidade é tão corrompida pelo sistema que pra aceitar e entender que alguém com o poder que tinha Jesus Cristo se humilhar até a morte e morte de cruz. Seria Jesus Cristo um fracassado? Ou nossa cultura de triunfalismo “besta” jamais conseguirá entender que uma autoridade possa sofrer e morrer no lugar das suas ovelhas?

    Ouvi diversas vezes padres religiosos ( os que fazem voto de castidade, obediência e pobreza) reclamarem que dos três votos o mais difícil é o da obediência.

    Obedecer é mais do que uma vontade é um exercício diário e às vezes penoso.

    Então acho importante para este tema diferenciar o que é autoridade do que é autoritarismo.

    Autoridade e autoritarismo são coisas muito diferentes. Ambas as palavras têm o mesmo radical: autor. Mas, enquanto a primeira pode ser entendida como o poder de impor limites necessários para a convivência em sociedade, a segunda indica um exacerbamento desse poder, realizado pela simples imposição de uma idéia sem possibilidade de contraposição.

    E ai eu concordo com os confrades quando se referem àqueles que utilizam da autoridade para serem autoritários.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala meu mano Gilberto! Prazer ter voce comentando meu ensaio qridão!

      Achei excelente tua opinião e lhe peço pra dar enfoque esta diferença entre autoridade e autoritarismo.

      Vamos em frente...

      Ah, parabéns viu? fiquei sabendo que voce agora esta escrevendo para um blog muito famoso? rsrsrs

      Excluir
    2. oi anderson agora que vi esse comentário! To ficando famoso! rsrsrs A anja é doida de convidar um herege católico como me chama o Pai Kilin

      Excluir
  18. Duas frases conhecidas me vêm à mente:

    Quer conhecer alguém de verdade? Dê-lhe poder.

    E outra de Frei Beto

    O Poder não corrompe, apenas revela o corrupto.

    Será que nós com o poder que Hitler teve em mãos faríamos diferentes?

    Nunca nos achamos pior que o outro. É uma máxima de autoritarismo!

    Portanto autoridade todos sem exceção possui e precisou utilizar. Um pai que bate em seu filho para educá-lo é autoritário? Não poderia escolher o caminho do diálogo?

    Anderson eu estou falando da obediência e autoridade para não ser repetente do que já foi dito e para especificar que se um pastor que foi chamado para cuidar orientar... dar a vida não o faz é porque ele é na verdade desobediente a Deus e portanto não merece respeito e credibilidade.

    Conluindo:

    O poder pelo poder corrompe! O poder pelo serviço liberta!

    Jesus lavou os pés, foi humilhante! Jesus morreu na cruz! Foi humilhante! (ele fracassou?)! O amor poderia fracassar por amar?

    Somos uma sociedade fracassada no amor que se orgulha num triunfalismo imbecil!

    “Quem quiser ser o primeiro entre vós, seja vosso servo” (Mt 20,27)

    É muito mais cômodo impor que cativar e convencer...

    Uma autoridade que não tenha um coração misericordioso, que não sabe perdoar, que não possui sentido da justiça, que não promova o diálogo, que não seja humilde e que não sofra igual suas ovelhas e que se regozije igual a elas, não pode ser levado a sério.

    Enfim rsrsrs para ajudar no tema uma pergunta pertinente: O povo quer uma autoridade assim? O povo levaria a sério um perfil de autoridade como esta? Ou povo gosta de ver triunfalismo?

    Em tempo no Antigo Testamento:

    O rei e o sacerdote era hereditário.

    O profeta uma escolha de Deus. Por isso tinha a liberdade de anunciar e denunciar! E não havia uma característica: uma formação, um status, ele era chamado por Deus no meio do povo.

    Legal né?

    ResponderExcluir
  19. Bom dia Gil, o povo tem o líder que merece? será que entendi certo? rsrs

    ResponderExcluir
  20. gil, já postei o 1° capítulo do Jardineiro de Madalena vc já viu???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não vi vou ver agora! Que chique! Daqui a pouco o Edu vai usar da autoridade dele pra puxar nossa orelhas utilizando o espaço daqui kkkkkkkkkkkk valeu sempre muito obrigado

      Excluir
    2. que legal... estou emocionado... obrigado!

      Excluir
    3. Gilberto, quero apenas lhe fazer ou refazer uma pergunta e gostaria de sua sincera resposta ok? Voce pergunta se Jesus fracassou, e se eu lhe disser que sim? O que voce diria? E porque voce diz que ele não fracassou? (rsrsrs) to no aguardo, mas é só uma cutucada minha ok? rsrsrsrs valeu...

      Excluir
    4. Anderson, eu diria que a vitória de Jesus foi decidida em sua fraqueza. Até hoje muitos judeus não aceitam a ideia de um Messias morto numa cruz e fracassado aos olhos humanos. Um "escândalo" como diz lá em 1Co 1.23

      Excluir
  21. Bom dia anja! Não sei se merece, mas que faz jus faz!

    ResponderExcluir
  22. Sabe Edu, o legal de postar os textos aqui é exatamente a roda de debates que proporciona e a visão diferenciada que cada pessoa traz do texto. Sei qual era a visão do And qnd escreveu o texto e aqui ele está ganhando uma nova visão que também vale a pena ser ressaltada. Muito bacana isto...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaah Gil de forma alguma! Se (e eu sei do que falo) fosse pra falar qual ou quem saiu do tema proposto eu diria que todos e ao mesmo tempo nenhum, pois a hermenêutica está presa a subjetividade de quem a interpreta. Ou seja, visões diferentes sobre um mesmo tema sem que se perca o cerne do texto...

      Excluir
  23. Anderson, parabéns pela estréia rs... Pena se tratar de uma verdade. O PODER DA PALAVRA SAGRADA conferindo aos mortais muitos privilégios.E "conhecereis a verdade e ela vos libertará." Enquanto muitos acharem que a verdade sai pela boca do pastor,jamais serão livres.

    Um ótimo tema! Parabéns pela abordagem.
    Fica com Deus

    ResponderExcluir
  24. Obrigado pela acolhida Mariani, a nega (anja) me fala muito bem de sua pessoa (rsrsrs)

    Obrigado pelo seu comentário.

    Pois é, infelizmente se trata de uma verdade né mesmo? E enquanto se encontrar a verdade presa nas páginas de um livro e em interpretações transloucadas de arrogantes "vice-deuses", jamais serão quebrados os grilhões da mentira e da corrupção. (não to falando de política, embora o discurso caiba perfeitamente né mesmo? rsrsrs)

    Abraços querida

    ResponderExcluir
  25. Gil,

    você já é praticamente da casa, fique à vontade pra tricotar..rssssss

    Mas quero destacar duas frases suas:

    Quer conhecer alguém de verdade? Dê-lhe poder. Essa máxima é verdadeira; e nós jamais poderíamos dizer com toda certeza que se tivéssemos um grande poder sobre muitas pessoas, como nós agiríamos. O coração humano é bem enganoso.

    Poder não corrompe, apenas revela o corrupto. essa frase do Frei Beto cai como uma luva nas mãos do seu antes inseparável companheiro Lula; o que levou Lula a esconder toda a corrupção do seu governo? o poder apenas revelou que o antes "rei da ética" era na verdade um potencial corrupto ou ele foi "levado" pelo poder a passar a mão na quadrilha que seus companheiros de longa data armaram no Planalto?

    No lado extremo do poder, temos a figura de Jesus, que "subsistindo em forma de Deus" não quis ser igual a Deus, antes, humilhou-se até a morte e morte de cruz. Jesus é o grande exemplo de alguém que detém o poder mas que usa tal poder para servir e não para dominar. O que antes subsistia em forma de Deus lavando os pés dos seus discípulos?

    Essa imagem é rica em significados para quem quiser refletir sobre o poder.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edu, voce quis dizer que Jesus sendo Deus, preferiu ser humano? E em sendo ele humano não sabia que sua missão iria falhar? Opa hahaha Jesus falhou? rsrs desculpa gente, não quero trollar o post ainda mais sendo um texto de my lord rsrs

      Excluir
    2. Edu obrigado pela sua acolhida e por me aceitar aqui...

      É edu que creio que quando o PT chegou ao poder minou muito a TL pois falou uma coisa e praticou outra.

      Excluir
  26. Anja, é isso mesmo. Aqui o texto é dissecado, mastigado, criticado, refutado ou até mesmo aceito sem ressalvas...rsss

    E toda questão pode ser vista de vários ângulos e procurar esses ângulos é o que enriquece ainda mais o debate.

    ResponderExcluir
  27. And,

    a sua frase é um vespeiro teológico:

    Voce pergunta se Jesus fracassou, e se eu lhe disser que sim? O que voce diria?

    essa questão pode varar a semana sendo discutida e o blogue vai pedir arrego por não aquentar tantos comentários....kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então manda bala que eu quero ver o FORRÓBODÓ Nobre Herege! rsrsrs

      Excluir
    2. Então manda bala que eu quero ver o FORROBODÓ Nobre Herege Mor!!! rsrsrs

      Excluir
    3. hahahaahah este forrobodó eu também quero ver e concordo que se partimos pra este lado esgotam-se, ou melhor, não se esgota nunca os comentários rsrsrs mas vamu simbora }Edu puxa o carro que vou atrás, ou melhor, vamu pera o Gil pra ver o que ele diz? ahahaha e ae GIL gesuis faiu ou não? rsrs

      Excluir
    4. se eu dissesse que Jesus falhou e falhou feio? será que eu seria apedrejada? hahaha

      Excluir
  28. Querubim Serafim marido da Anja Arcanja, tema polêmico e pertinente este cara!

    Deixe eu falar algumas coisas me concentrando na questão do poder:

    1º O grande desafio que nós temos numa época de superficialidades, é desenvolver um “poder de conteúdos internos”, que influencie outros à uma vida de coerência e ética.

    2º O poder se não for bem administrado, gera orgulho, ganância, soberba e todo tipo de confusão.

    3º O psicanalista Jacques Lacan observou que, a partir do momento em que alguém se vê investido de autoridade e poder, ele muda sua personalidade alterando seu psiquismo, passando a olhar os outros "de cima", admitindo ele ou não.

    4º O maior exemplo e demonstração de poder na minha opinião, está em Filipenses cap. 2 vs. 5 ao 9.

    Aquele que tem o poder em seu absoluto, não se valeu dele para que suas intenções fossem estabelecidas, mas despiu-se de suas prerrogativas, nos dando o exemplo de que poder é resultado de uma disposição interior de “NÃO QUERER SER PARA APARECER”.

    É isso caro ENTE CELESTIAL, recém membrado nessa possilga herética gerenciada pelo Pinel do Edu Medeiros que não é de Jesus! rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caraca painho gostei hehehe mas vamos ver algumas questões aqui:

      1° - qual o solucionática pra grande problemática que vemos hoje dos grandes apóstolos investidos de um poder tão soberano que o próprio deus lhes teme enfrentar?

      2° - Como negar aos poderosos o poder que eles reivindicam se o próprio deus tem uma sede infindável de poder e requer sempre nossa total submissão? Exigindo amor incondicional, e por vezes até que morramos sem renega-lo, os tais poderosos não estariam mirando no exemplo do "PAI" para exigir o poder que lhes é devido? rsrsrsrsrs

      Excluir
    2. Minha resposta Anja Marvada!

      1º Matar no ninho essa cambada de FDP!!! rsrsrs

      2º Esse é o deus construído pelos teólogos bibliólatras que requer capachos e não filhos. O Deus da graça (construído por mim hehehe) não exige nada, somente sugere interação relacional com ELE como resposta ao amor doado!

      Excluir
    3. #TamuJunto painho concordo em gênero numero e grau!!

      E este }Deus que oce fala, nunm foi inventado por nois não sô!

      sabe como vejo Deus? humano painho! Deus se encarna como ser humano para que aprendamos o caminho da humanização e salvação. Humanizar como Jesus é o caminho.

      Excluir
    4. Gil, amei seus comentários e concordo com eles. Parabéns pela sua postura simples e clara.

      Excluir
  29. Franklin, "4º O maior exemplo e demonstração de poder na minha opinião, está em Filipenses cap. 2 vs. 5 ao 9.

    Aquele que tem o poder em seu absoluto, não se valeu dele para que suas intenções fossem estabelecidas, mas despiu-se de suas prerrogativas, nos dando o exemplo de que poder é resultado de uma disposição interior de “NÃO QUERER SER PARA APARECER”.

    você me lembrou de alguma forma quando Deus disse a Moisés: chame Josué, homem em que está o Espírito, e imponha as mãos sobre ele. Faça-o apresentar-se ao sacerdote Eleazar e a toda comunidade e o comissione na presença deles. Dê-lhe parte da sua autoridade para que toda a comunidade de Israel lhe obedeça. (Números 27.18 - 20).

    O importante para Moisés era um Pastor para o povo. Com certeza, ainda temos sete mil homens que não dobram os seus joelhos a baal.

    ResponderExcluir
  30. Rodrigo, falo de pastores que perderam sua fé! Me diga como voce conseguiria "pregar" uma msg que vc sequer crê como sendo verdadeira? Esta é a questão que levantei! E falo que conheço pastores que após terem perdido a fé, ainda assim, continuaram na frente de sua congregação, mesmo tendo outros pastores "na aba" esperando pra "assumir" a vaga... Entendeu?

    ResponderExcluir
  31. Diz aí pra mim o que é fraqueza Rodrigo, por favor. (estou respondendo seus comentários aqui em baixo porque a anja me disse que o Edu pediu pra fazer assim ok?)

    ResponderExcluir
  32. Gilberto, quero apenas lhe fazer ou refazer uma pergunta e gostaria de sua sincera resposta ok? Voce pergunta se Jesus fracassou, e se eu lhe disser que sim? O que voce diria? E porque voce diz que ele não fracassou? (rsrsrs) to no aguardo, mas é só uma cutucada minha ok? rsrsrsrs valeu...
    Anderson mano rsrsrs vamos por parte kkkkkkk Pode cutucar a vontade espernear questionar rir das minhas falhas eu já fui com tua cara agora não tem jeito kkkkkkkk mas não me diga que Jesus Falhou!!!!!! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Aí eu perco a fé kkkkkkkkkkkkkkkkk
    Falando sério rsrsrs
    Voce pergunta se Jesus fracassou, e se eu lhe disser que sim? O que voce diria?
    Por que? Kkkkkkkkkkkk
    E porque voce diz que ele não fracassou? (rsrsrs)
    Segura ai lá vai.................
    Por que depende o que esperava dele.
    Se você esperava que Cristo fosse um combatente como Davi e que libertasse o povo pela força da arma (guerra) ou que viesse realizar um desejo e uma vontade própria que satisfazesse sua vontade e sua maneira de pensar e da forma como gostaria que Deus se manifestasse então diria que o Cristo que estava em sua (Anderson e nós) razão humana e vontade própria fracassou.
    Mas se Ele Jesus naquela cruz nos mostrou que o triunfo não está no poder pelo poder e sim pelo serviço e pela entrega total de si mesmo por amor incondicional e que em nenhum momento esperava uma resposta positiva ou qualquer cobrança ou retorno de nossa parte eu diria ele venceu.
    Se Cristo naquela cruz nos mostrou que é possível ter todo o poder do mundo e não utilizá-lo para até mesmo como autodefesa se assemelhando a todos que sofrem e silenciosamente nos mostrar pela humilhação de si mesmo que é possível como homem que foi, não usar do autoritarismo e morrer pelos nossos erros simplesmente porque Ele é Amor, sua essência é amor e portanto seus atos são amor. E como o amor poderia mandar raios do céu e matar a todos indistintamente com ódio e vingança?
    Mas o Cristo disse:
    Pais perdoem-lhes porque não sabem o que faz!
    Ele triunfou! Pois Ele era a Graça e se ofereceu de graça.

    ResponderExcluir
  33. Jesus naquela cruz nos ensinou que não somos superiores a ninguém. Que não existe um povo escolhido! Que não existe uma raça superior! Que não existe transviado! Que somos todos iguais, feito de barro, miserável e que se existe algum bem em nós, este bem vem de Deus.
    Se Jesus se assemelhou a alguém naquela cruz foi com os pobres, os pequeninos, os injustiçados, os excluídos... Pois sua figura era detestável!
    Se Ele tivesse triunfado ali, se seus anjos o tivesse libertado ali. Se Deus Pai interferisse ali. Nunca saberíamos o quanto Deus nos ama e o quanto Deus se mostra nos pobres.
    A cruz nos ensinou que não é na luxuria das escadarias dos grandes templos lotados cujos altares são de mármores e dourados... não está presente na luxúria dos líderes religiosos engomados e que vivem ricamente nas custas do povo simples corrompendo a graça de Deus que se encontra Jesus triunfante.
    Ele está presente no pequenino, na vida na sua totalidade. O grito de Jesus na cruz não só rompeu o véu do templo, rompeu principalmente a ideia de que só os ricos eram abençoados, que Deus estava só presente no Templo sagrado junto ao sumo-sacerdote.
    Deus habita no coração do homem que é templo do Espírito Santo. E isso Paulo contribuiu para o bem apesar de certos momentos nem entender a profundidade de suas palavras...
    Se ele tivesse matado os religiosos ele havia triunfado? Se ele matasse os negros ele havia triunfado? Se eles matassem os homossexuais ele havia triunfado? Se ele matasse os poderosos havia triunfado? Se ele matasse os brancos havia triunfado? Se eles matasse Hitler e os nazistas havia triunfado? Se ele matasse os judeus havia triunfado? Se eles matassem os ateus havia triunfado? Se eles matasse... comunistas... anarquistas... pedofilos... conservadores... Ele havia triunfado?
    Pergunto quantas pessoas ele precisaria exterminar naquela cruz para dizer que triunfou?

    ResponderExcluir
  34. Concluindo:
    Como pode ter fracassado se ele respeitou o tempo todo o livre arbítrio? Como pode ter fracassado se ele amou o tempo todo até a escória da humanidade (aqui me incluo)? Como pode ter fracassado se em vida suas palavras e seu testemunho nos falou o tempo todo sobre o amor! Se ele nos revelou que Deus é Pai! Que Deus é amor! Que Deus não exige nada de nós, pois só quer amar.
    Quem fracassou?
    Fracassou o religioso que não entendeu que Jesus morreu na cruz para salvar a todos e por todos. Fracassou o ateísta que por não compreender o quanto Deus ama e que ELe não se manifesta pela lógica racional e sim se revela aos pequeninos e simples. Fracassou a humanidade como todo que ao invés de seguir o exemplo de um Deus que perdoa, que ama e que usou de misericórdia preferiu estuprar sua palavras causando diferenças de raças, fanatismo, exploração do outro, ódio, injustiça social....
    E que vergonhosamente repetiu os gestos de Adão no paraíso (apesar de considerar figurado):
    Adão quem mandou você comer do fruto proibido? Foi a mulher (culpada) que o Senhor (culpado) colocou ao meu lado!
    Eva quem mandou? Foi a serpente (o capeta é culpado)
    Então tá resolvido Deus é culpado e ele fracassou e pronto!
    Anderson rsrsrs eu sei que você me cutucou para saber minha resposta é que eu não consegui responder sem emoção. Desculpe esqueci-me da teologia e da filosofia.
    Acho que arrumei uma encrenca danada para o meu lado na igreja.
    Obrigado pela parte que me concedeu... Sei lá se baguncei o coreto... kkkkkkkkkkk
    O que eu creio é que Cristo nos amou e salvou da nossa ignorância naquela cruz a respeito do quanto Deus nos ama.
    E se ele morreu por todos então triunfou!
    E olha que como Cristão não falei da ressurreição se não ia bagunçar mais ainda...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ACEITO!!! aCEITO!! OH GLÓRIA!! rsrsrsrsrsrs OIH RHABASHEIA OH GALATASARAI RSRSRS


      Mano Gil, parabéns pela sua explanação apaixonada (de causar inveja em muitos pastores viu?)

      Então devo concluir que Jesus não fracassou ( e não mesmo!!!) mas Ele no mínimo foi um péssimo mestre né mesmo? rsrsrsrsrs

      Mas olha aí então eu te colocando outra questão antes mesmo de continuar explanando esta, mas é que está ficando tão gostoso ler teus comentários que eu quero poder ler mais e mais e vou indo pra que todos possamos crescer juntos.

      vamos lá querido, Jesus fracassou como mestre?

      Excluir
    2. Gilberto a recíproca é verdadeira, pois mano, fui com tua cara logo de "cara" rsrsrs

      Excluir
    3. Anderson

      Segundo os evangelhos, Jesus recusou o diploma de "Bom mestre". É por essa linha que você deseja entrar?

      Excluir
    4. Levi,

      E tinha como ele aceitar diploma de bom mestre? Escolhe 12 homens para serem seus discípulos, e não poucas vezes os discípulos arrazoavam entre si se Ele era ou não o "Messias", o ungido. Juraram fidelidade, brigaram pra saber quem ficaria a direita e a esquerda entre outras coisas; e bastou seu mestre ser preso (vale ressaltar que fora traído por um de seus discípulos) que houve uma dispersão geral! O negaram, fugiram, se esconderam(rsrs)... Jesus após ressuscitar ainda teve que cercar discípulos em fuga e lhes mandar voltar pra Jerusalém. Vai ser mau mestre assim lá longe viu? E pra terminar, foi preciso Paulo alicerçar o que os discípulos(então já apóstolos), não conseguiram. Será que Jesus não soube escolher ou não soube ensinar?


      E aí Levi e Gilberto e todos os confrades, o que voces me dizem?

      Excluir
  35. Nossa! Gil atgé tr4emi aqui! hehehe parabéns querido. Pra mim é bem simples a questão:

    Deus se encarna como ser humano para que aprendamos o caminho da humanização e salvação. Humanizar como Jesus é o caminho.

    Todo homem quer ser Deus (poder), só Deus quis se tornar humano(ser fraco?) (Leonardo Boff) parenteses meu viu gente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha aí o outro lado de Rossana: a de mediadora entre Anderson e Gilberto (rsrs)

      Excluir
  36. Anderson

    Buscar o Jesus histórico dentro dos evangelhos sinóticos é uma tarefa extremamente difícil, quiçá impossível, que deixo para os mais rodados no assunto: Rodrigo, Ivani e o Edu. (rsrs)

    Da visão mítica da Criação no livro de Gênese em paralelo com o Mito Cristão, tenho retirado minhas parcas incursões psicanalíticas, naquilo que Jung denominou de arquétipos da psique do homem ocidental.

    Esses mitos, na verdade, têm muito mais a dizer de nós mesmos do que de um Deus fora de nós.

    ResponderExcluir
  37. Quando se fala em Mito, no meio religioso, alguns entendem essa palavra com o significado pejorativo que o dicionário de Aulete, popularmente define como, noção falsa ou infundada.

    Para que fique claro que não tive intenção de constranger os que creem nos evangelhos de forma literal, quero exatamente ressaltar que o mito de que falei no meu comentário anterior se trata ou é considerado como o maior patrimônio espiritual da humanidade e, na definição de Ernest Cassirer – “Mito e Linguagem”, “resulta de experiências humanas coletivas, sem que seus produtores tenham consciência da autoria deles, pois são projeções das interpretações do mundo interior e exterior transformadas em imagens, metáforas ou representações e expressões da própria realidade”.

    ResponderExcluir
  38. And, Gil e Anja e Pai Kilim e todo mundo...rss

    GIL, MEU QUERIDO,

    já vi que você tem o mesmo estilo de escrever comentários do Levi, ou seja, escreve comentários que são em si mesmos, excelentes postagens!!!!!!!

    PAI KILIM,

    o que acontece com o Kilim-Gardenal quando você vem comentar aqui?? essa entidade é exclusiva do Caminho da Graça?? como pode um doido sarcástico fazer aqui comentários tão "elevados" kkkkkkkkkk

    AND, o "fracasso" de Jesus como mestre parece que foi ter escolhido gente, humanos, para serem seus seguidores; quem sabe se tivesse escolhido anjos...rss

    ANJA, aí "vareia" como diz o filósofo FIDI MOCÓ:

    Edu, voce quis dizer que Jesus sendo Deus, preferiu ser humano? E em sendo ele humano não sabia que sua missão iria falhar? Opa hahaha Jesus falhou? rsrs desculpa gente, não quero trollar o post ainda mais sendo um texto de my lord rsrs

    Onde foi exatamente que Jesus falhou? essa suposta falha não seria apenas a resultante de olhar o evento apenas por um prisma desfocado?

    ISSO MESMO, CAMBADA, MANTENHAM POR FAVOR, AS RESPOSTAS EM SEQUÊNCIA, POIS FICA MAIS FÁCIL DE ACOMPANHAR OS DEBATES. QUEM NÃO OBEDECER EU DESDE JÁ EXCOMUNGO TAL REBELDE A PASSAR UM TEMPO INDETERMINADO NO LIMBO OU NO PURGATÓRO, QUISÁ, NO INFENO!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  39. Perfeito Levi! Entendi perfeitamente (ou pelo menos penso ter entendido rsrs)

    ResponderExcluir
  40. Eduardo, o Fracasso (ou fraqueza ) de Jesus foi exatamente ter escolhido humanos para ensinar como ser humanos e é exatamente aí que esá sua grande vitória!

    (nem sei se fui claro rsrsrs mas não foi fracasso e sim vitória né mesmo?) Deus humanizou pra que fossemos demasiadamente humanos!

    ResponderExcluir
  41. Edu, Levi, Gil e Kilin,

    Faço minhas as palavras de my lord... haha

    ResponderExcluir
  42. ANJA,

    Eu não vejo o deus da tradição judaico-cristã "sedento de poder" por uma razão simples e óbvia: ele É todo poder, não precisa conquistar poder. É o criador, o doador da vida e espera ser reconhecido como Deus pelo homem, o que quase sempre nunca acontece, nem mesmo com o povo que ele mesmo escolhe para si.

    O que eu vejo, especialmente nos profetas, é esse deus que é todo poder, suplicando para que o povo não se distancie do caminho que ele mesmo tinha traçado para eles(a Tora); a interpretação profética dos constantes sofrimentos do povo de Israel é exatamente por causa disso, ou seja, o povo escolhido escolheu não obedecer a instrução que deus lhe dera, por isso, as consequências são vistas em termos de destruição, de conquistas por outros povos.

    essa me parece ser a visão profética desse deus que é todo poder mas também é "todo súplica": para que o povo volte para ele. Um ditador não suplica, impõe; um deus que é poder mas também é amor, não impõe, conquista (ainda que a história bíblica mostre que ele não foi feliz nessa conquista sobre a vontade humana).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edu, não vou repetir que falo do deus da igreja e sei muito bem diferenciar ambos os deuses rsrs

      Excluir
    2. Mas no restante concordo com seu comentário.

      Excluir
  43. And

    Então devo concluir que Jesus não fracassou ( e não mesmo!!!) mas Ele no mínimo foi um péssimo mestre né mesmo? rsrsrsrsrs

    Faço da minha resposta um conjunto das três respostas já dadas

    Levi:

    Segundo os evangelhos, Jesus recusou o diploma de "Bom mestre". É por essa linha que você deseja entrar?

    And

    Eduardo, o Fracasso (ou fraqueza ) de Jesus foi exatamente ter escolhido humanos para ensinar como ser humanos e é exatamente aí que esá sua grande vitória!

    Edu

    AND, o "fracasso" de Jesus como mestre parece que foi ter escolhido gente, humanos, para serem seus seguidores; quem sabe se tivesse escolhido anjos...rss

    Será que jesus estava preocupado em ser visto como "Bom" ou queria nos informar que Deus é Pai e é bom? Será que Ele queria bons discípulos religiosos? Então porque não escolheu os bam bam da igreja! E por fim para descontrair em cima da fala do Edu, se houvesse escolhido os anjos haveria algum discípulo decaído e expulso do reino? rsrsrsr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gil, voce chegou atrasado e esqueceu de incluir a resposta do próprio And né? kkkkk ou vc ainda não a viu? rsrs

      Em tempo,: se ele tivesse escolhido anjos não sei o que daria, mas se tivesse escolhido anjas hahaah com certeza eu sei!!!kkkkkkk

      Excluir
    2. haha só agora que vi que voce colocou a prórpia resposta do Anderson no seu conjunto de respostas rsrsrsr:

      o Fracasso (ou fraqueza ) de Jesus foi exatamente ter escolhido humanos para ensinar como ser humanos e é exatamente aí que esá sua grande vitória!(Anderson)

      Perfeito Gil! perfeito rsrs

      Excluir
    3. kkkkkkkkkkkkkk gostei do trocadilho...

      Mas como católico mariolatra que sou kkkkkkkkkkkk

      No lugar da anja coloco a figura da mulher Maria que em nenhum momento sofreu a pretensão de querer explicar o que por si só já dizia tudo:

      "meditava tudo no silêncio do seu coração"

      TÔ do teu lado pra que dé e vier!
      E tô em pé! Por que sou mulher! kkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    4. eu estou me referindo a respeito da escolha dos discípulos rsrsrs

      Excluir
  44. Fran(kilin) rsrsrs perfeito seu comentário maninho!

    Gil, acho que voce entendeu onde eu quis chegar né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vc foi um maestro desta orquestra kkkkkkkkkk mano você me fez lavar a alma kkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    2. gostei.. como você disse:

      "...pois a hermenêutica está presa a subjetividade de quem a interpreta. Ou seja, visões diferentes sobre um mesmo tema sem que se perca o cerne do texto..."

      Excluir
    3. Gil, fico feliz demais que esteja gostando!

      Excluir
  45. Levi, Kilin, Gil, Edu, Mari Gui e Rodrigo,

    Gostei demais dos comentários subsequentes feitos ao meu texto. (ou melhor, estou gostando) rsrs será que já acabaram?

    Levi, perfeito quando voce diz:Esses mitos, na verdade, têm muito mais a dizer de nós mesmos do que de um Deus fora de nós.

    Exatamente!!! concordo em genero, número e grau! Pergunto: Existe Deus fora de nós?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E And... lá vem vc! deixa isto sô esresrsrsrsrs

      Excluir
  46. Gil, já te mandei o convite para o seu e-mail, é só aceitar lá para se o próximo a postar aqui!!

    Anja, eu discordo, pois "anja" não existe, não está na Bíblia!!!!!! sempre que anjos se materializavam elas o faziam em forma de homem...kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaah please Edu, Abra sua bíblia em Zacarias 5:9 hahahahahahaah

      Zacarias 5:9
      9 - E levantei os meus olhos, e vi, e eis que saíram duas mulheres; e traziam vento nas suas asas, pois tinham asas como as da cegonha; e levantaram o efa entre a terra e o céu.

      Excluir
    2. òia as anjas aqui Edu!!! kkk

      Excluir
    3. Anja. esta é fácil para o Edu desbancar viu? rsrs

      Excluir
    4. Gil que disse que anjos não tem sexo? Olha o poema que ganhei de um amigo:

      Dizem que os anjos não têm sexo…

      - Impossível!

      Conheço um que tem!

      Na verdade, não é Anjo, é Anja_Arcanja,

      tão doce é o seu veneno,

      sublime os seus pecados,

      capaz de desconverter o convertido;

      tornar impuro o sagrado.

      Anja da oração invertida,

      cujo pecado redime,

      eleva e santifica,

      a besta fera que há em mim.

      Ser da mais pura nobreza celestial,

      mirrado fico eu no meio de vós,

      contudo, aliviado,

      pois, tua mão conforta o meu desespero,

      a tua candura tranquiliza a minha alma

      e, a tua carne alimenta os meus desejos.

      Anja que está na terra do pão de queijo,

      seja sempre feita as tuas vontades,

      pois delas, haverá a felicidade.

      Feliz Aniversário, querida amiga!

      Beijos.

      Gê Vorib®

      Excluir
    5. E aí Gil, anjos tem sexo ou não? Mas eu gostaria de ouvir o que voce diria não do poema que postei acxima, mas da passagem bíblica rsrsrs

      Anjo tem sexo! haha

      Excluir
  47. Esse Anderson-Sargento-Taínha só faz pergunta interessante, agora lá vem ele com

    Existe Deus fora de nós?


    kkkkkkkkkkkk

    Então vai aí outra pimentinha: se existe um Deus dentro de nós, quem o colocou lá dentro???????

    Aliás, bons temas para futuros debates...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NUssa!!!! o trem ta esquentando aqui uai! rsrs

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Eduardo, (rsrsrs) vamos lá (eu já antecipando a resposta do Levi, irei pelejar contigo rsrsrs)


      Onde está Deus? Aqui ou acolá? o que é céus? Lugar o estado de espírito?

      Jesus disse que enviaria um consolador quando ele voltasse para o Pai, correto? partindo desta frase e aliando a outra em que Jesus disse que, o lugar para adorar não é em templos, e sim no coração, pois devemos adorar em espírito e em verdade, e ainda usando outra frase de Cristo em que ele diz que EU E O PAI SOMOS UM, posso eu então deduzir que, o Pai (que estava nos céus) fez morada em nosso coração (o consolador), logo, concluo que não existe Deus fora de nós rsrsrsrsrsrsrsrs

      êta, nem vem perguntar se tomei gadernal não hein? rsrs

      Excluir
  48. edu meu mestre rsrsrs já sou eu? vamos mais rodada geral ai eu entro kkkkkk como faço isso? kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  49. Pedro estava absolutamente certo, quando cheio do Espírito Santo, declarou ao Sinédrio Judaico: "Jesus é aquele de quem as Escrituras Sagradas dizem: 'A pedra que vocês, os construtores, rejeitaram veio a ser a mais importante de todas', [pois] a salvação só pode ser conseguida por meio dEle" (Atos 4.11-12).

    Em vez de ser a tremenda pedra de salvação, JESUS pode ser a tremenda pedra de tropeço para os descrentes, os de dura cerviz, os guias religiosos vazios e irresponsáveis, os teólogos liberais, os reencarnacionistas e os cristãos apenas de nome.

    ResponderExcluir
  50. Gostei, Anderson

    Céu, inferno, purgatório, limbo, hades, Éden - todo esses lugares são metáforas que traduzem nosso estado de espírito. Aliás, "estado de espírito" tem um outro nome em psicanálise. (rsrs)

    Não sei se acontece com vocês. Mas do CEU de minha PSIQUE eu expulso "anjos caídos" todo os dias. (kkkkk)

    ResponderExcluir
  51. Em tempo:

    Onde está escrito "todo" , leia-se: todos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Levi (mestre dos magos) rsrsrs ta querendo me exorcizar é? hei?! Pó parar viu? hahahaha rsrs

      Excluir
    2. rsrsrs mestre dos magos não foi uma alusão ao desenho "caverna do dragão" viu? (ou pode até ter sido) kkkkk

      Bjux Levi

      Excluir
  52. Edu, Veja essa definição de Deus:

    "Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas.
    Deus é infinito? Definição incompleta. Pobreza da linguagem dos homens, que é insuficiente para definir as coisas que estão acima de sua inteligência.

    Deus é infinito em suas perfeições, mas o infinito é uma abstração. Dizer que Deus é infinito é tomar o atributo de uma coisa por ela própria, é definir uma coisa que não é conhecida por uma outra igualmente desconhecida" (Gênesis - Allan Kardec)

    Então... Deus existe fora de nós sim sendo ele a causa de nossa existência e ele está em nós pois somos feito de sua substância.

    beijins...

    ResponderExcluir
  53. Anderson

    Mais uma dose de pimenta:

    Por que recorremos a palavra PAI, para nominar Deus?

    Será que isso vem lá do nosso Éden (de 0 à quatro ano de idade)?

    Projetamos em Deus nossos desejos inconscientes de um pai perfeito que não tivemos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez meu caro Levi, talvez...

      Mas penso eu que usamos a palavra PAI para nominar Deus, pela tradição do patriarcado herdado da crença judaica , muito embora pense que se fossemos usar um nome correto, devesse ser mãe. (rsrs) estive acompanhando por alto algumas postagens aqui na confraria sobre o tema. Salvo engano uma sua, um poema da Mari, uma do Edu e até li um poema em seu blog salvo engano, mas agora me falha o nome do poema na memória.

      Excluir
  54. Mari, que bom te ver de novo (rsrs) bom, estou gostando do rumo que as coisas estão tomando e (apesar de não conhecer ainda muito bem o Levi), imagino que ele também esteja gostando(pelo menos imagino rsrs).

    Então querida, deixa te fazer uma pergunta: Se somos feitos da substancia de Deus, que substancia é esta? Se existe Deus fora de nós, onde estará ou está este Deus? (rsrs)

    Abraços querida.

    ResponderExcluir
  55. O Poeta Manoel de Barros no poema ‘A JANELA da ALMA’, expõe maravilhosamente, esse Deus que existe dentro de nós. Se não vejamos:


    “Eu sou muito abrigado pelo primitivo... Eu acho que o primitivo é que manda na minha alma, mais que os olhos. Eu não acho que entram pelo olho as coisas minhas. Elas não entram, elas vêm, elas aparecem de DENTRO, de DENTRO de mim [...]. O olho vê. A lembrança revê as coisas, e é a imaginação que transvê, que transfigura o mundo para o poeta e para o artista de forma geral”.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Levi, respondi seu comentário lá sobre "exorcizar" anjos caídos viu? kkk

      Excluir
  56. Anderson, eu vim pouco pois não tinha nada a dizer rs... mas o debate está show!!!Eu estava pensando nessa definição de Deus quando li pergunta do Edu e calhou rs... Onde está Deus? A frase que eu postei fala dele ser a causa primeira de todas as coisas, a força criadora. Para mim parece bastante justo pensar que uma obra tem um criador, a criação clama por uma autoria, eis Deus! A nossa vontade de comungar com uma força inexplicável, nosso desejo pelo sobrenatural que se apresenta desde as primeiros civilizações, desde os primeiros grupos humanos, essa busca mostra que desejamos um encontro com esse ser que não sabemos definir mas que é. Qual a sua substância? A espiritualidade essa que nos impulsiona a buscar além da matéria, somos além do corpo como é Deus.
    O Deus dentro de nós é nossa concepção, o Deus fora de nós é quem de fato ele é: o criador.
    Há um Anderson que eu imagino, mas esse é o Anderson? Minha invenção? Parte do que o Anderson é? Se por acaso descubro que o Anderson não é como imagino, por acaso ele deixa de ser?

    Abração!! Olha, sua nega é um doce de pessoa, viu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beleza Mari! Fico feliz que esteja gostando querida. Sim, a anja (nega) é um doce sim (rsrs) e já percebo que voce também é um doce de pessoa, como ela mesmo já havia me dito e agora estou apenas confirmando.

      Bom mari, a pergunta foi minha e o Edu apenas a reproduziu, por isto tomei a liberdade de lhe interpelar quanto a sua resposta (rsrs)

      Deixa eu colar um pqno pedaço de seu comentário aqui:

      "A nossa vontade de comungar com uma força inexplicável, nosso desejo pelo sobrenatural que se apresenta desde as primeiros civilizações, desde os primeiros grupos humanos, essa busca mostra que desejamos um encontro com esse ser que não sabemos definir" (Mariani)

      Então Mari, este ser não pode perfeitamente estar dentro de nós? O ser humano em si mesmo não tem uma enorme capacidade de criar deuses? Deus não estaria, portanto, dentro de nosso subconsciente? (rsrs)

      Deixo parte do belo comentário do Levi, de tanto que gostei dele:


      [...] Eu acho que o primitivo é que manda na minha alma, mais que os olhos. Eu não acho que entram pelo olho as coisas minhas. Elas não entram, elas vêm, elas aparecem de DENTRO, de DENTRO de mim [...].

      Excluir
  57. Então Mari, este ser não pode perfeitamente estar dentro de nós? O ser humano em si mesmo não tem uma enorme capacidade de criar deuses? Deus não estaria, portanto, dentro de nosso subconsciente? (rsrs) (Anderson)

    Veja que o meu Deus e o seu são concepções.. Deus pode ser nada e pode ser tudo.Contudo, a obra da criação tem um autor, uma causa primeira, infinita e inexplicável: Esse é Deus.

    Foi vc que perguntou? Tem problema não, tanto faz rsrs...pode ficar a vontade para falar comigo sempre que quiser, se souber respondo, se não eu digo Sorry!! rs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrs ótimo querida. Mas este Deus que é a causa 1°, infinita e inexplicável, segundo Jesus, faria morada em nós, correto? (rsrs) então posso dizer que Deus, a causa 1° de tudo hoje está em mim e em voce. o meu deus e o seu deus. o TODO e tudo; no meio de nós (imanente), sobre nós (transcendente) e porque não também em nós (pericorese)João 17:21
      21 - Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.
      João 17:23
      23 - Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim.
      João 17:26
      26 - E eu lhes fiz conhecer o teu nome, e lho farei conhecer mais, para que o amor com que me tens amado esteja neles, e eu neles esteja.

      Excluir
    2. Sim!!!! Então no que discordamos? rs... Deus está em mim, em vc e fora de nós por ser causa primeira de tudo o que há. Ele é antes de tudo. E infinito por falta de definição (como diz o trecho da gênesis)

      Excluir
    3. Não discordamos em momento algum Mari fsrsrs não que eu me lembre, kkk

      Excluir
  58. afinal de contas qual era o assunto desta postagem? kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  59. Confrades estou perdido, O Edu não me responde posso postar o próximo tema?

    ResponderExcluir
  60. Eu tenho um artigo sobre Dei Verbum (Sagrada Escritura) e um tema meu mais simples sobre zelo no templo o que sugerem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gil, espera mais um pouco que ele vai lhe responder (tenho certeza que hoje ainda), mas é que as postagens ficam na "baila" por 4 dias a do Anderson está no 3° dia hoje, e vc só poderá postar depois de amanhã, entendeu? Segundo o Edu me explicou cada tema postado fica nos debates por 4 dias pra depois postar outro, então paciencia rsrs e já estou ansiosa pra ver sua postagem mas peraaa rsrsrsrs

      Bjux

      Excluir
  61. Gil, que tema? Isso aqui lá tem tema? rsrs... eu acho que é bom esperar a determinação do Bispo. rs... Ele parece bonzinho mas costuma ser uma fera! E ainda tem o Frank que já deve ter engatilhado a postagem dele. Espera um pouquinho. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari, my lord não é o máximo? ou devo dizer MAXIMUS? kkk

      Excluir
  62. Perdoa gente! Acho que deveria ter outra rodada geral para depois ser eu...

    eu só estou perguntando porque le disse isso lá em cima pra mim você viram?

    Edu

    Gil, já te mandei o convite para o seu e-mail, é só aceitar lá para se o próximo a postar aqui!!

    então estou esperando mas se o Franklin já tem uma postagem aleluia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vi sim Gil e penso eu que o }Edu deve colocar ocê mesmo pra ser o próximo a postar! Embora o }Donizete já está com uma bala na agulha, mas ´penso que o cherife vai te por na fita antes dele rsrsrs,.

      Mas vc veja como são as coisas nesta confraria né mesmo? começamos com um tema sobre poder, a já entramos nesta onda de imanência, transcendência e pericorese rsrsrs mas tudo é poder e poder de deus kkk embora my lord falava a principio de poder como um mau, mas enfim, ele mesmo puxou o papo, agora vamu simbora rsrsrs

      Excluir
  63. Vamos continuar com And tá bom demais!!! kkkk

    ResponderExcluir
  64. Anja seu Lord é muito bom demais da conta Sô! rsrs....Parabéns pela dupla que formam. Muito legal essa sintonia de vcs. Deus os abençoe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrs Obrigada querida...................

      Excluir
    2. Obrigado Mari, fiquei corado aqui! rsrsrs

      Excluir
    3. Hiiiiiii isso já tá ficando melodramático demais....kkkkkkk

      Excluir
  65. Rosana

    Eu usei “anjos caídos” como metáfora. Na verdade não expulsamos nada de nós, apenas projetamos no outro.

    Danado é que para tudo que é “mal” (desejos reprimidos, recalques, etc) encontramos sempre um diferente de nós para ser o bode expiatório. (rsrs)

    Não era assim que acontecia com os Israelitas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade mesmo Levi! Perfeito seu comentário!

      E eu tinha percebido a metáfora (ou não rsrs) mas não resisti já que sou uma anjinha muito danada! hahaha

      Excluir
  66. Mari, o fato de ter questionado, não implica em discordância, e sim, constatação.

    ResponderExcluir
  67. Gil meu caro, concordo contigo; desvirtuou um pouco (ou muito né? rsrs) do tema proposto e confesso que fui eu mesmo quem começou quando lhe perguntei se Jesus havia fracassado. Daí pra outras questões, foi um pulinho só! rsrs mas vamos ver onde vamos chegar ou se conseguimos voltar para o tema.

    Abraços qridão!

    ResponderExcluir
  68. And,

    concordo com tudo o que você está dizendo sobre o "Deus em nós", o "Deus da nossa psiqué", isto é certo. Mas não sou tão fanático assim por Freud (viu, Levi?) para aceitar que ele descobriu a única origem de Deus, qual seja, o patriarcado, a luta para matar o chefe do clã, o totemismo, e tudo o mais que o Levi sabe mais do que eu; o pensamento de Freud pode ser uma boa explicação para a "face humana" de Deus(ou seja, como começamos a criar as "faces dos deuses").

    Parece-me que quando você enfatiza o "Deus em nós" você nega que haja de fato um Deus "fora de nós", ainda que seja o Absoluto, por isso, indefinível por nós, finitos e relativos seres humanos.

    Eu só não sou um "ateu esclarecido e saudosista" como o Levi (ainda que talvez ele negue essa designação..rss), a existência de Deus como Criador é uma necessidade lógica.

    Para mim é ilógico que processos burros, aleatórios e acidentais, tenham vindo desbocar no ser humano, logo, é lógico e racional esperar uma causa inteligente para a existência.


    Mas me parece que só há duas saídas: ou existe um ser ou um ente ou uma substância ou uma consciência que produziu a existência ou o próprio universo é em si mesmo, inteligente e consciente; fora disso, é o niilismo, e a total falta de sentido, é a constatação que somos um acidente; mas será que acidentes produziriam a consciência humana?

    ResponderExcluir
  69. Gil, meu querido, como diz o grande Chapolim, "não criemos pânico"!!!!!

    se quiser, não tem problemas, você começa na próxima rodada; se quiser, pode postar depois do Anderson. Como aqui os textos são sempre muito debatidos, resolvemos deixá-los na "vitrine" por pelo menos 4 dias (a não ser que o autor do texto em questão diga que já está satisfeito antes dos quarto dia ou, ao contrário, se achar que os debates ainda merecem mais tempo, pode pedir mais um ou dois dias).

    E determinava aquele antigo programa da Globo: "Você decide"...rssss

    ResponderExcluir
  70. Anjinha-toda-se-achando,

    não força a barra hermenêutica. O próprio texto nega que fossem "anjas"; eram, "mulheres"; quem disse que mulher com asas é anja??????? kkkkkkkkk pode ser uma mutante como o Anjo dos X-Men!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahahaah to forçando nada não Edu! estas anjas eram divindades pagãs uai!

      Reza a lenda (ou a bíblia, sei lá! rsrs) que eram divindades pagãs, pois carregavam um efa.

      Excluir
  71. A pedido do meu amigo Eduardo, resolvi dar uma passadinha rápida por esta Confraria. Embora tenha resolvido parar de debater com com crê (também por influência do Eduardo). Achei o artigo interessante, mas um pouco etéreo. Precisa ser um pouco mais incisivo se quiser realmente causar impacto, agora, se a ideia não era causar impacto, para que escrever? Escrevo em alguns blogs onde executo um trabalho duro para, de forma branda (às vezes) levar o povo a refletir sobre a nocividade da fé, ou do poder exercido por ela sobre a mente humana.

    Poucos reagem a este desafio com tanta energia eu, que sou considerado “decepcionado com Deus”. A sobrevivência até nossos dias do misticismo dos tempos de Noé e a superstição não me irritam tanto quanto a aceitação acrítica das obras de misticismo e superstição, religiosas ou não, que podem defraudar, humilhar e às vezes inclusive matar. Como todos os seres humanos, também sou imperfeito. Às vezes sou intolerante e condescendente e não sinto nenhuma simpatia pelas fragilidades humanas que fundamentam a credulidade.

    Se alguns aceitam, e outros até buscam, algo para se agarrar, algo poderoso que lhes confira um falso poder, o que posso fazer senão olhar de longe, observando enquanto sua tábua de sobrevivência aos poucos vai se tornando a "âncora" que os levará até o fundo do oceano?

    ResponderExcluir
  72. Preguiça de pensar, isso é o que é! John Stot disse certa vez que “Crer é pensar”. Errado! Eu digo: “Crer é não pensar, não fazer uso daquilo que nos diferencia dos demais animais, a capacidade de raciocínio, Muitos líderes religiosos convencem seus fiéis a não questionar, Dizem: “Não peçamos explicações de tudo”“. “Os céticos, em particular, estão sempre pedindo descrições prolixas de por que isto é assim ou por que aquilo é assado”. A maioria do que se pergunta é óbvio, e geralmente os argumentos de um cético são irrefutáveis. Mas o povo é burro mesmo! Por que ocupar-se em examinar essas matérias?... “A fé faz que tudo se converta na verdade.”
    .
    Posso estar enganado, mas lá no fundo eu acredito que pastores e apóstolos como Edir Macedo, Valdemiro Santiago, Sérgio Lopes e tantos outros, um dia começaram suas empreitadas, não com a intenção sacana de enriquecer, mas para sua surpresa, vendo os “resultados” de seus fiéis sendo “curados” aparentemente de verdade, encontraram ali uma maneira de projetar seus nomes no mundo, de convencer-se de que são realmente usados por Deus, sei lá! . Suas emoções “podem” ser genuínas, sua gratidão “pode” ser sincera. Quando se critica um pastor milagreiro, os outros saem em sua defesa.

    Esses “sucessos” de campanhas de milagres em igrejas podem ser suficientes para convencer a muitos enganadores de que realmente têm poderes divinos. Possivelmente não têm êxito todas as vezes. Os poderes vêm e vão, dizem-se a si mesmos. Têm que dissimular os momentos baixos. Se for necessário enganar um pouco em algum momento, dizem a si mesmos que servem a um propósito maior, que são vasos usados por Deus, e Ele os usa como bem entender. Isto funciona.

    Continua

    ResponderExcluir
  73. A maioria desses pastores só está mesmo atrás do dinheiro do povo incauto, e acredite, esta é a parte boa. Mas o que me preocupa é que apareça um novo Guru com assuntos mais importantes em jogo... Um homem atrativo, dominante, patriótico e transbordando liderança. Mais um Adolf Hitler. Todos desejamos um líder competente, incorrupto e carismático. Não perderemos a oportunidade de o apoiar, de acreditar nele, de nos sentirmos bem. A maioria dos meios de informação, editores e produtores (arrastados pelo resto de nós) fugirão do exame cético real. Ele não nos venderá orações, lugar no céu, frasquinho com óleo ungido em Jerusalém, nem nos mandará passar pela Fogueira Santa, caminhar no vale do sal. Nós não veremos suas falsas lágrimas correndo por suas caras feias. Possivelmente um líder assim, nos colocará na cabeça a iminência de uma guerra, um bode expiatório para justificar nossos atos, ou seja um ramalhete de crenças mais globais que as que temos hoje. Seja lá o que for, pode esperar, virá acompanhado de advertências sobre os perigos do ceticismo.

    No famoso filme “o Mágico de Oz”, Dorothy, o espantalho, o homem de lata e o leão covarde se veem intimidados (na verdade atemorizados) pela figura oracular do Grande Oz. Mas o pequeno cão do Dorothy, Totó, abre uma cortina que o oculta e revela que o Grande Oz é na realidade uma máquina controlada por um homem baixo, gordo e assustado, tão exilado como eles naquela terra estranha.

    Não sei se presto um desserviço , tentando descortinar os enganadores, assim como Totó o fez. Prefiro que as coisas aconteçam devagar, assim como aconteceram comigo. Um processo lento e doloroso, mas que depois nos dá um paz jamais alcançada na religião. Creio eu que, se não queremos que nos enganem, devemos nos ocupar disso nós mesmos. “Enquanto houver pessoas dispostas a serem enganadas, haverá os enganadores de plantão” Marcio Alves

    Uma das lições mais tristes da história é esta: “Se estamos submetidos a um engano muito tempo, temos a inclinação a recusar qualquer prova de que aquilo é um engano. Encontrar a verdade deixa de nos interessar. O engano nos engoliu. Simplesmente, é muito doloroso reconhecer, inclusive para nós mesmos, que temos sido enganados por tanto tempo. Assim que se damos poder a um enganador sobre nós, quase nunca se pode recuperar. Assim, os antigos enganos tendem a persistir quando surgem os novos”.

    ResponderExcluir
  74. Onde assino? hahaha

    #ToNoProcesso da dor (fui enganada, me enganei, enganei e agora?)

    ResponderExcluir
  75. Noreda, Grato por seu comentário ao meu texto, fico feliz por sua participação, nada a acrescentar ao seu comentário,e xceto o que minha anja já disse:

    Estou no processo! rsrsrsrss

    Abraços

    Anderson

    ResponderExcluir
  76. Noreda, meu amigo, que bom que ler seu comentário. Você já conhece nossas discordâncias e concordâncias sobre essas questões, já a debatemos muito, mas essa é uma questão que nuca se esgota.

    Eu acredito que alguns pastores midiáticos que construíram um império religioso creem que de fato, estão fazendo a "obra de Deus". Acredito que num ambiente onde a fé é estimulada curas acontecem(isto já está provado). Outros, são de fato, mercenários; usam a fé para benefício próprio; aliás, nada que nos devesse causar espanto, já que não só a religião pode ser manipulada em proveito próprio.

    Não acredito também nesse negócio de "querer ser enganado", a questão é mais complexa do que isso. A fé traz sentido à vida das pessoas (coisa que o ateísmo não traz pois para ateus não existe sentido um sentido pleno no mundo ).

    Dizer que pessoas religiosas "querem ser enganadas" é dizer que elas são burras, e existem pessoas religiosas de todos os naipes intelectuais.

    Sabe, Noreda, já temos uma coleção boa aqui nesta confraria de boas cabeças que se dedicam a pensar o fenômeno religioso, os dogmas, a teologia bíblica, etc, sobre vários prismas; acho que você acrescentaria muito ao nosso corpo de escritores. Você conhece muito bem a Bíblia, conhece muito bem o deus da Bíblia, conhece muito bem o movimento evangélico (pois já foi um crente fiel) e conhece o rito de passagem para uma existência sem deus e sem Deus. O que me diz? Estou tentando trazer aquele outro ateu língua ferina para escrever sobre religião aqui(Mirandinha) mas ele está meio arredio.

    Eu gostaria muito de ver um ateu que realmente conhece a bíblia escrever sobre temas teológicos mas a maioria deles acham-se muito inteligente ao dizer que a Bíblia é um livro de historinhas da carochinha. Estes, claro, quando eram crentes, leram a Bíblia apenas à nível da EBD e nunca foram além disso, logo, não conhecem os tesouros escondidos que há nela. Tem que saber onde cavar.

    ResponderExcluir
  77. Edu, nego que haja um deus fora ou até mesmo em nós! Pois o Deus que há não é o mesmo deus que pregam estar fora de nós ou em nós e sim o Deus criador e este Deus criador não é nem de longe o deus que tudo controla.

    este Deus que creio nada mais é que a essência do universo. Não creio no deus da bíblia, contudo, não me considero ateu. (meio complicado isto)rsrsrs

    Mas se entrarmos por esta linha, estaremos completamente fora o tema proposto, mas em outra oportunidade, será bom ter este tema em pauta.

    (e não estou ficando melodramático não viu? rsrs sou um cavalheiro)

    ResponderExcluir
  78. “a existência de Deus como Criador é uma necessidade lógica”. (EDU)

    Mas o homem que conta a história de Deus, ao usar e abusar de seus próprios sentimentos e afetos paradoxais pintou as diversas faces desse Deus com tinta e pincéis humanos, como se Ele fosse a representação do pai-ideal que um dia sonhou,

    Permanece na “imago-dei” do crente e do não crente o temor e tremor ante a autoridade paterna vivenciada na infância. Paradoxalmente, a face do bondoso pai que premiava a criança obediente foi transferida para o Pai eterno. Em suma, as ressonâncias do que foi impresso no jardim do Éden da infância de nossa psique deu origem a uma reprise divina dos nossos afetos ambivalentes. Os deuses roubaram nossos sentimentos para fazer a sua odisséia, e ao fazê-lo ficaram muito parecidos com nós, pobres mortais.

    Somos incapazes de eliminar os vestígios da experiência infantil. No mais que fazemos é projetá-la num Deus fora de nós, ou tentar por mecanismos de defesa NEGAR os eflúvios ou os anseios por um pai justo. A negação que o “ateu” faz da imago paterna é uma espécie de revolta, uma reação inconsciente contra aspectos negativos que, com certeza estavam presentes na figura de seu pai, tutor, tio ou avô que o orientou nos primeiros passos.

    Se temo a Deus num sonho, esse ser divino é imaginário (ressonância do Pai natural), mas o TEMOR é real. Se recebo desse Deus o que um dia intensamente almejei, encho-me de PRAZER ou GOZO. A gama de sentimentos é o que importa. Todo esse drama divino-humano se desenrola no CEU e no INFERNO de nossa psique.

    ResponderExcluir
  79. "Se Deus está em nossa psique, e se nós criamos um Deus segundo os nossos desejos inconscientes, logo, ele não existe de fato. Mas, como sou um ser de sentimentos e pensamentos ambivalentes, como o mestre Leví sempre salienta, Deus existe artificialmente em cada um que assim o quiser possuir...o que faz de Deus a maior criação humana pois, depois de criada, a criatura (Deus) ganhou vida própria, e, como um vírus que se aloja em seu hospedeiro, vai consumindo-o e não permite (na maioria das vezes) que o seu criador o destrua. Deus é vingativo porque o homem vingativo. Deus ama sua criatura, porque o homem ama aquilo que cria. Entender que Deus existe em nossa Psique mas, não existe fora dela, é a tarefa mais difícil para uma pessoa" Noreda

    Eduardo, prometo que vou pensar na sua proposta, mas você sabe como é, já estou escrevendo em 6 Blogs e ainda esta semana o Portal Stopim (do qual você e o Levi farão parte se quiserem) estará no ar.

    De qualquer forma fico lisonjeado.

    ResponderExcluir
  80. Anja e And, vocês estão em processo de se tornarem o quê? Vocês sabem? Ou estão deixando o processo levar à moda do Zeca Pagodinho...? rss

    ResponderExcluir
  81. And, sem dúvida, a tua frase

    Pois o Deus que há não é o mesmo deus que pregam estar fora de nós ou em nós e sim o Deus criador e este Deus criador não é nem de longe o deus que tudo controla.

    daria uma boa discussão teológica!!!! vai guardando aí os temas...rss

    seu melodramático-cavelheiro...rssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mas sem querer me aprofundar no assunto(mas já aprofundando, mas só um pouquinho), você diz que não crê no "deus da Bíblia", porém, diz que existe um Deus ("o Deus que há). Esse "Deus que há" é o Deus criador mas não controlador do mundo. Ou seja, você é algum tipo de deísta: Um criador criou tudo e deixou as coisas andarem conforme as leis da natureza. Seria isso, ou mais ou menos isso?

      Mas o "Deus que há e que é criador" não é um Deus muito "parecido" com o deus bíblico? Por que o deus bíblico deve ser rejeitado a priori? Qual seria nossas fontes para pensarmos sobre Deus?

      Bem, não precisa nem responder, se quiser, anota essas questões para pensar num texto na próxima rodada.

      Excluir
    2. Isto Edu! Exatamente. E quando eu disse ao Noreda, aliás, eu a a anja, o processo é exatamente este. A desconstrução é e tem sido muito, mas muito dolorosa. Pra mim principalmente que fui "nascido e criado" no evangelho (rsrs) alguns ateus como Marcio Alves já nos disseram que o deísmo é um passo para o ateísmo. Edu, estou tentando me agarrar ao pouco de fé que me resta. este pouco de fé, me atraiiu para o deísmo, não só eu, falo também pela anja, que está até mais descrente que eu e quando escrevi este artigo, foi exatam,ente por conhecer pastorres que estão na mesmíssima situação que eu, mas, que por conta da falta de opção e pela facilidade em desviar verbas, e se ganhar dinheiro, continuam crentes e muito crentes aos olhos de sua membresia, mas, no seu íntimo, são ateus enrustidos.

      Abraços mano... rsrsrsrs

      Excluir
    3. kkkkkkkkkk melodramático cavalheiro foi boa!

      Excluir
  82. Levi,

    de fato, não podemos fugir do que você diz:

    Mas o homem que conta a história de Deus, ao usar e abusar de seus próprios sentimentos e afetos paradoxais pintou as diversas faces desse Deus com tinta e pincéis humanos, como se Ele fosse a representação do pai-ideal que um dia sonhou,

    E você faz uma afirmação muito interessante

    Se temo a Deus num sonho, esse ser divino é imaginário (ressonância do Pai natural), mas o TEMOR é real. Se recebo desse Deus o que um dia intensamente almejei, encho-me de PRAZER ou GOZO. A gama de sentimentos é o que importa

    É verdade, o SENTIMENTO É REAL.

    Agora, com certeza, nosso Noreda não vai gostar muito da sua afirmação

    A negação que o “ateu” faz da imago paterna é uma espécie de revolta, uma reação inconsciente contra aspectos negativos que, com certeza estavam presentes na figura de seu pai, tutor, tio ou avô que o orientou nos primeiros passos.

    Ou seja, o que você diz é que de fato, não existem ateus, só revoltados com o Pai!!!! No caso, o sentimento de revolta é de fato com Deus, mas a origem inconsciente seria a revolta contra o pai.

    Mas Levi, como ficam essas questões nas tradições religiosas onde Deus não é representado como pai? o mecanismo psíquico seria o mesmo?

    ResponderExcluir
  83. Noreda,

    sei que você é um multitarefas...rsss

    sua frase instigante

    Entender que Deus existe em nossa Psique mas, não existe fora dela, é a tarefa mais difícil para uma pessoa"

    Como eu já disse aí em cima, quem foi que colocou esse deus aí na psiqué humana? a Seleção Natural??? não creio. Racionalmente falando eu só afirmaria que não existe nenhum "Deus lá fora" se não houve nenhum "Deus aqui dentro".

    ResponderExcluir
  84. "Deus é vingativo porque o homem vingativo. Deus ama sua criatura, porque o homem ama aquilo que cria". (Noreda)

    Concordo com você, caro Noreda. Já dizia Espinosa: "A escritura costuma descrever Deus à semelhança do homem, atribuíndo-lhe mente, vontade, paixões, até mesmo um corpo e um hálito, assim também utiliza muitas vezes espírito de Deus por mente, ânimo, força, intenção, etc. Deus serve-se dos piedosos como instrumentos de sua piedade, e dos ímpios como executores e intermediários de sua cólera.

    No fundo, no fundo, tudo se resume no que você falou e eu reproduzi acima.

    ResponderExcluir
  85. De fato, Edu, essa IMAGO PATERNA se adequa mais à tradição judaico-cristã.

    E a psicanálise como filha dessa tradição não poderia ter outro modo de OLHAR o homem ocidental. (rsrs)

    ResponderExcluir
  86. Noreda Prazer!

    Você disse:

    Se alguns aceitam, e outros até buscam, algo para se agarrar, algo poderoso que lhes confira um falso poder, o que posso fazer senão olhar de longe, observando enquanto sua tábua de sobrevivência aos poucos vai se tornando a "âncora" que os levará até o fundo do oceano?

    Escrevo em alguns blogs onde executo um trabalho duro para, de forma branda (às vezes) levar o povo a refletir sobre a nocividade da fé, ou do poder exercido por ela sobre a mente humana.

    Pergunto: Esta não é uma forma de exercer poder também? Esta visão também não corre o risco de afundar?

    Se não me parece que seu poder se asemelha muito com os pastores fundamentalistas!

    Abç

    ResponderExcluir
  87. Fanatismo e Ateísmo

    Estão opostos
    Tanto quanto estão juntos
    Tão cheios de si
    Tanto quanto vazios
    Tão diferentes
    Tanto quanto iguais
    Tão cheios de verdades
    Tanto quanto sem respostas
    Tão seguros
    Tanto quanto frágeis
    Tanta convicção
    Tanto quanto contradição
    Tão cheios de lógicas
    Tanto quanto irracionais
    Tão amados por Deus
    Tanto quanto indiferentes
    Porém não tão diferentes
    De mim.

    uma poesia que escrevi apenas para refletir! Manda pau!!!!!

    ResponderExcluir
  88. Isto Edu! Exatamente. E quando eu disse ao Noreda, aliás, eu a a anja, o processo é exatamente este. A desconstrução é e tem sido muito, mas muito dolorosa. Pra mim principalmente que fui "nascido e criado" no evangelho (rsrs) alguns ateus como Marcio Alves já nos disseram que o deísmo é um passo para o ateísmo. Edu, estou tentando me agarrar ao pouco de fé que me resta. este pouco de fé, me atraiiu para o deísmo, não só eu, falo também pela anja, que está até mais descrente que eu e quando escrevi este artigo, foi exatam,ente por conhecer pastorres que estão na mesmíssima situação que eu, mas, que por conta da falta de opção e pela facilidade em desviar verbas, e se ganhar dinheiro, continuam crentes e muito crentes aos olhos de sua membresia, mas, no seu íntimo, são ateus enrustidos.

    Abraços mano... rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  89. Eduardo, o deus da bíblia é uma farsa? NÃO SEI! Sou muito humano e vejo um Deus humano e não divino, já te falei isto outro dia num debate de um texto do Ivani no blog da anja, lembra? rsrs mas vamos então preparar um texto pra próxima rodada sobre esta questão.

    ResponderExcluir
  90. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  91. Edu, deixei ser levada por 20 anos, agora chega né? rsrs

    ResponderExcluir
  92. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  93. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edu Edu Edu!! hahaha

      Sim eu sei o processo que estou nele e o temo demais! Outro dia falei muito, mas muito tempo mesmo com o Marcio Alves e ele sem o menor pudor, (rsrs) disse que eu já sou ateia, só ainda não descobri, ou, como eu gosto de dizer, ainda não tenho certeza. rsrs Porque isto? POrque estou deixando a vida me levar? NÃO! Porque passei 20 anos entregue a uma crença que não mais creio e no processo de desconstrução que tenho atravessado, muito tenho levado em conta os meus filhos. Não quero de novo tomar a decisão errada, mas, voce já percebeu minha forte tendencia ateísta não é mesmo? Isto ficou claro (ou quase) no meu primeiro texto. Mas por amor a meus filhos e sabendo que minha decisão pesa neles diretamente, tenho tomado o máximo cuidado e tenho tentado me ater num deus que seja mais que um elefante branco ou um bicho papão ou o monstro do armário, é complicado Edu, é doído, mas penso que anestesiar a consciencia e deixar a mente iludida, é muito pior e eu não quero mais viver a sombra de um deus que não existe. Já abdiquei do deus dogmático, do calvinista, do arminiano, do ... ... ... etc etc etc etc... o deus que me resta é a essencia do universo, o HAJA LUZ!

      Daí pra frente.... é fruto imaginário do homem...

      Excluir
    2. Mas voce pensa que pra mim é fácil dizer isto Edu? Né não!

      Excluir
  94. Edu, senti falta do Doni por aqui e o painho também sumiu uai!

    ResponderExcluir
  95. Uai porque a pergunta Gil, estou sim querido! só com um frio danado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkk só pra puxar assunto to vendo vc falar edu edu edu edu e ele não responder kkkk

      Excluir
  96. Gil, fala que eu te escuto sim...rssss

    É que nem sempre consigo ficar blogado direto. Mas tô aqui. Te respondi sobre a questão da sua postagem aí em cima, viu?

    Para mim um grande erro dos crentes "nascidos e criados" no evangelho e que depois de pensarem e fazerem sua crítica pessoal à fé que lhes foi herdada e pular para o ateísmo com uma profunda mágoa de Deus como se ele de fato, tivesse alguma coisa a ver com suas experiência frustrantes ou mesmo o seu desejo de independência e liberdade, sem o "olho de Deus por perto". O ateísmo pode libertar o homem das crenças, dos dogams e de um "certo deus", mas não os livram das novas frustrações e desilusões diante de um universo e de uma vida sem sentido. Sem Deus, o que resta ao homem é a "náusea". No momento em que o homem matou Deus, matou a si mesmo, cometeu suicídio e não só, deicídio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Edu, nem eu nem o Anderson matamos deus, não há como matar deus. Apenas descremos do deus da igreja (sendo ele ou não o deus da bíblia).

      Nascido e criado no evangelho foi o Anderson viu? haha

      Edu a frustração maior tanto minha quanto a do Anderson é ter desprendido tanto tempo em algo que não mais sacia-nos como verdade. E não descremos por apenas procurar isto escavando com as mãos, mas, descobrindo mais sobre um deus que de fato pode ser a maior invenção de toda a história da humanidade. Não pense que quero descrer de deus e estou procurando isto, ao contrário, tenho procurado algo pra manter-me teísta! Tenho encontrado? MUITO POUCO!!! Mas mesmo assim o que eu tenho encontrado eu ainda tenho me agarrado. E não só eu, mas o Anderson ainda muito mais que eu. Se eu fosse falar algo, seria como que se estivéssemos "orando" para não nos tornar ateus.

      Frustração maior é crer num deus que sequer há como provar sua existência Edu, isto sim é frustração! Agora investigar, buscar e não mais querer ser enganado, é uma busca dolorosa, mas ao mesmo tempo satisfatória!

      Como disse o Noreda: CRER É NÃO PENSAR............

      crer por apenas crer eu não quero mais, quero algo que fundamente minha crença, e não tenho encontrado este amparo no deus da igreja (que é o mesmo deus da bíblia).

      descri de Deus? Ainda não! Tenho buscado crer que deus humanizou pra que fossemos demasiadamente humanos e pronto (e isto como mito)! Não vejo mais grandes coisas...

      Meio perdida? Talvez, mas sem jamais saber o que quero, ou queremos, pois sei que minha fala é a mesma do And... mas decidimos não mais aceitar goela abaixo um deus qualquer e não pense que tem sido uma tarefa fácil, pois de fato não é. Sabe, o And já chegou a dizer que melhor fosse que nunca tivéssemos entrado no cerne da questão, seria muito menos doloroso permanecer ignorantes (não que todo crente seja ignorante, falo de ignorância de não saber das coisas, ou pelo menos não investigar)do que estar tomando conhecimento de tantas coisas e ainda assim insistir em continuar crendo, buscar ainda motivos para crer, mas Edu, é um viagem que não dá pra voltar, eu não conseguiria ser mais quem eu era antes, pois a mente que se abre, jamais retrocede a tamanha pequenez que outrora tinha! Pra nós seria muito mais fácil apenas então descrer, mas não é este ou esta nossa busca, mas sim pela verdade.

      Posso jamais chegar a esta verdade, mas tenha certeza, jamais desistirei de procurar...

      Até que chegue... o fim!

      (pqp já estou filosofando aff rsrs)

      Excluir
    3. Ps.: Quando disse que era como se "estivéssemos orando" Foi só um exemplo, pois já nem sei mais como é que se ora, ou reza rsrsrsrs

      Excluir
    4. Anja e and eu não os conheci antes, mas se vocês eram daqueles crentes que condenava todo mundo e só vocês eram os portadores da salvação penso que hoje você está muito mais perto de Deus do que imagina e sei que vocês sabem disso.

      Excluir
  97. Para Gilberto. Não confunda Influência com Poder

    Eu pretendo muitos mais que somente escrever textos bonitos. No fundo , no fundo, todo mundo quer ser ouvido...almeja obter atenção e ter espaço para expor o que pensa...e se possível, fazer valer sua própria opinião. Acredito que isso começa quando ainda crianças ou bebês para ser mais exatos, e aprendemos que para conseguirmos o que queremos, é preciso se fazer ser ouvidos, e no caso dos pequenos o que se ouve é o choro. (um amigo chamado Levi Bronzeado, deve ser mais gabaritado para falar deste assunto).

    Nas relações pessoais funciona a mesma lógica. A capacidade de nos comunicar, de compreender e nos fazer compreender é sempre um dos maiores desafios. Histórias de amor, por exemplo, podem chegar ao fim simplesmente por que um diz uma coisa e o outro entende outra coisa.

    Nesta era de tecnologia ou seja, dos relacionamentos virtuais (blogs...twitter...e podcasts), o que conta é a capacidade de "vender o próprio peixe". Para isso recorro às palavras.

    Tento mostrar aos meus leitores que, conforme amadurecemos, nos damos conta do poder...quase mágico dos vocábulos. Como disse Clarice Linspector: " A palavra é o meu domínio sobre o mundo". De fato, são elas que criam laços...moldam sentimentos...desdobram e ampliam sentidos e nos inserem na cultura (olha só quem está falando...um cara que mal estudou).

    Palavras podem consolar...fascinar...ensinar...agredir...destruir...curar...reconstruir e re-significar. Mas não bastam. Espero que todos meus leitores evoluam cada dia mais em sua percepção do mundo...sua manipulação das palavras e em sua consciência ética e filosófica, mas principalmente em sua sensibilidade com o drama do próximo.

    Quanta coisa aprendemos, quando nos damos o direito de trocar idéias: Reciprocidade...nós nos sentimos compelidos a retribuir gentilezas. Afetividade...tendemos a dizer sim àqueles que gostamos. Escassez...damos mais valor ao que existe em pequenas quantidades ou àquilo a que temos pouco acesso. Comparação social...tomamos quem nos parece mais adequado como exemplo.

    Autoridade...valorizamos a opinião de especialistas (Levi...Eduardo..J. Lima) e de quem ocupa lugar hierárquico superior. Comprometimento...nos sentimos bem ao cumprir nossos compromissos e promessas. Para influenciar satisfatoriamente o outro, ou seja, convencê-lo, é preciso antes de mais nada, estar disponível à ele.

    É preciso ouvi-lo e manter-se aberto às suas razões e lógicas...que nem sempre são óbvias. Assumindo essa postura, podemos dar o primeiro passo...criar pontes...estabelecer aproximações e finalmente talvez fazer valer nossas opiniões.

    Mas nesse trajeto, é possível descobrir que o outro também tem razão...e isso é o mais interessante.

    Se acham que isto é exercício de poder, vá lá, mas eu ainda quero influenciar e não dominar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Noreda, voce já conhece meu blog? O Marcio ta lá junto comigo, queria convidar voce a dar uma olhada nele querido, please...

      Excluir
  98. Edu, manda o convite para o e-mail nureda_somud@hotmail.com

    Ps. Avise para o Gilberto que eu sou assim mesmo, e que não ligo para os que me chamam de ateu-fundamentalista, ateu-militante-intolerante, filho do cão com a pomba gira e outros adjetivos menos simpáticos.

    ResponderExcluir