quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Eu ainda pego esse Adão!




“E chamou o SENHOR Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás? E ele disse: Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, e escondi-me. E Deus disse: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste tu da árvore de que te ordenei que não comesses? Então disse Adão: A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi” Gênesis cap. 3 vs. 9 ao 12

Fracasso, frustração, sofrimento, são só algumas palavras que traduzem a experiência do nosso pai e irmão de afinidades na alma Adão.

Minha intenção não é colocar em discussão o personagem histórico versus o mito Adão, e sim expor o caminho comum a todos interpretado nesse que tinha todo um contexto favorável para fazer a diferença, mas que relativizou o poder de escolha não ouvindo o conselho da Sabedoria: De toda a árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás”.

Nossa primeira reação quando o assunto é o dito cujo do Adão, é assumirmos uma postura idealizada de que se fôssemos nós os protagonistas do Éden, as coisas seriam diferentes. Será?!

Com muita freqüência, costumo ouvir a frase: “ EU AINDA PEGO ESSE ADÃO quando chegar no céu,!”

Adão vulgarizou o que era sagrado, profanou o que era santo, desprezou o que era para ser valorizado não tendo a percepção que justamente aí residia o sucesso e o fracasso de seu futuro e de toda a sua posteridade.

Talvez você esteja se perguntando: “Será que ele está falando da árvore?!”

Não. Estou falando da opção por aquilo que traz vida e bem, e que nos aproxima da realização como seres humanos melhores!

Nós demonizamos e crucificamos o Adão que é um protótipo nosso com riqueza de detalhes e que, não queremos ou não temos a honestidade de assumir.

Esse Adão somos nós, quando não valorizamos “O Conselho” e fazemos mau uso da capacidade de escolher, optando por aquilo que é imediato, transitório e satisfaz a curiosidade represada.

Esse Adão somos nós, quando não admitimos nossos erros e queremos evitar o confronto porque ele expõe nossa nudez moral.

Esse Adão somos nós, quando queremos justificar um erro transferindo a responsabilidade para outro, não tendo assim que enfrentar a vergonha de conhecer nossas poderosas fragilidades.

Esse Adão somos nós, quando negligenciamos o que proporciona vida, e sofremos a conseqüência de uma consciência culpada que agora é lacerada pela auto-destruição de um ser que se percebe como vítima de si mesmo.

Esse Adão somos nós, quando deixamos vulnerável gratuitamente, aqueles que deveriam ser o alvo de nossa proteção, cuidado e carinho.

Esse Adão somos nós, e por que nós somos em Adão, existe a possibilidade real de um novo capítulo nessa história, pois o segundo Adão nos redimiu do primeiro, nos pacificando com o ABBA: “Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante... O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu.” 1ª Coríntios cap. 15 vs. 45,47

53 comentários:

  1. Ótima postagem e que nos faz refletir a respeito de nossas ações.Parabéns!!!

    ABRAÇO CARINHOSO E FRATERNAL ...

    GIOVANA

    ResponderExcluir
  2. Me amarrei na ilustração de Deus com o chinelo para dar umas palmadas em Adão...kkkkkkk

    A Bíblia é um livro fantástico; nela estão praticamente todos os arquetípicos da natureza humana. Adão e você, tudo a ver...

    Não tenham nem dúvidas que eu mesmo iria lá comer do fruto do Conhecimento do Bem e do Mal(nem ia esperar a Eva cair na conversa mole da serpente); nesse caso, talvez, eu fizesse pior que Adão: ao invés de dar a desculpa fajuta de que foi Eva que lhe deu o fruto por isso ele tinha comido(o que não deixava de ser verdade), eu mentiria descaradamente dizendo: "-Senhor, foi este mulher maluca que tu me destes que ficou me tentando para comer o fruto. A serpente também ajudou!!!!!!"

    Você acerta na mosca em todas as tuas declarações que começam com "Esse Adão somos nós..." Destaco:

    "fazemos mau uso da capacidade de escolher, optando por aquilo que é imediato, transitório e satisfaz a curiosidade represada."

    Em nosso mundo hoje que anda a mil por hora, esse imediatismo está mais presente do que nunca!

    Muito bom, KILIM, teu texto vai render bons frutos. Permitidos e não proibidos...rs

    ResponderExcluir
  3. Bom texto para uma profunda reflexão



    Mas hoje Franklin, a moral, a religião, a sociedade vestiram o “nu” do Adão moderno. Apesar de, aparentemente, estarmos bem vestidos, talvez o “nu de hoje” continue mais visível do que quando não era coberto por qualquer roupagem. (rsrs)

    O mito do casal primevo nos revela em Adão ― a obediência e estagnação evolucionária. E Eva ― representa a transgressão da alma, caminho da evolução.

    O Rabino Nilton Bonder, líder espiritual da congregação judaica do Brasil, em seu sensacional livro, “A Alma Imoral”, diz algo surpreendente:

    “Adão e Eva foram tentados pela alma para cumprir com seu desígnio de desobedientes. Foi expulso por sua outra natureza — a que trai o corpo, e é empurrada para outro território pela alma. Para sobreviver nesse outro lugar que não era seu habitat natural, o corpo desenvolveu uma proteção conhecida como MORAL”

    ResponderExcluir
  4. Edu, também creio que se fosse eu faria pior ainda que o mano Adão!

    Quanto a ilustração só faltou a Eva! rsrsrs

    ResponderExcluir
  5. Levi, também creio que a moralidade religiosa quer maquiar e cobrir o nu latente em todos nós!

    As vezes é preciso transgredir (ser rebelde) para evoluir, só que nos resta avaliar as consequências disso na nossa maneira de enxergar o nosso próprio habitat interior e saber temos estrutura para digerir os resultados!

    ResponderExcluir
  6. A Bíblia não foi escrita por idiotas. Seus escritores sabiam do poder exercido pela fé na personalidade de seus seguidores. Porisso lhes deu direção ambígua e para o inexplicável elegeu o Espírito Santo para a cátedra.

    ResponderExcluir
  7. Caro Edu, Você pediu e eu obedeci. Também sou um Adão.

    ResponderExcluir
  8. Franklin, o que fazemos com Adão é o que fazemos todos os dias com os outros. Sempre achamos que no lugar de alguém teríamos uma postura mais digna e superior, mas será? Sempre me questiono sobre isso.
    Fazer boas escolhas? Sabe, escolher muito bom e pode até ser bem fácil , mas o ruim e como vc disse (ao Levi) é ter condições de enfrentar a consequência. No caso do ser humano de forma geral, estamos sempre dispostos a usufruir da doçura da maçã, mas pouco à vontade com a indigestão.



    Um abraço! Fica com Deus.

    ResponderExcluir
  9. Altamirando, assino embaixo "Seus escritores sabiam do poder exercido pela fé na personalidade de seus seguidores", talvez seja por isso que essa ambiguidade seja explorada de forma capciosa pela liderança religiosa inescrupulosa da atualidade!

    ResponderExcluir
  10. Mari, nós gostamos de atalhos que nos façam seres realizados sem débitos na nossa conta!

    O certo e o errado se tornam um tanto quanto ambíguos quando o parâmetro para nossas escolhas são sempre o nosso próprio umbigo!

    ResponderExcluir
  11. O mito de Adão e Eva nos faz ver, que a “mosca azul” picou a todos
    (rsrs).
    Agora, estamos condenados a esse irresistível desejo ― o desejo de transgredir uma ordem preestabelecida advinda de uma autoridade. Não nos acostumamos mais com a fixidez das normas e leis, que não acompanham a vida, que é puro movimento.
    A vontade de conhecer foi mais forte do que o argumento da proibição legalizada.

    Mas na verdade, esse ímpeto babélico vem de longe. O desejo de transgredir, da ruptura dos contratos sociais, estimula esse homem a desafiar as tradições. Abraão, na concepção de sua família e cultura, deve ter sido considerado um “transgressor”, por ter rompido laços de amizade, partindo para uma terra estranha a sua.
    Jesus foi um dos maiores transgressores, na visão do farisaísmo judaico.
    Agora, estamos na fase da jurisprudência que, mesmo sem respaldo dos códigos previstos nas leis, dá ganho de causa ao homem.

    E o “Deus” do V.T.(com suas leis petrificadas), vem sempre correndo atrás do homem (como na ilustração do Franklin). Em nossa carne efêmera, Deus inteiro corre perigo. Somos degraus por onde Ele ascende.

    Já dizia o escritor grego (herege), Nikos Kazantzaquis, sobre esse Deus que corre atrás do homem:

    “Chamo-O, e Ele volta para mim o Seu rosto; estremeço ao perceber sua angústia. Rude é o nosso amor, sentamo-nos à mesma mesa, bebemos o mesmo vinho na humilde taverna da Terra”.

    AMÉM

    ResponderExcluir
  12. Franklin, nunca te li tão reverente kkkkkkkkk
    Transcrevo um parágrafo do nosso texto, "Deus é Caprichoso.
    "O nosso Adão continua procurando sempre alguém a quem acusar, jamais assume suas irresponsabilidades, sua falta de sensatez nas escolhas, seu desejo de conquistar sem o mínimo esforço. A nossa Eva continua buscando alguém em quem se apoiar para ver se dá certo. Gastar tempo analisando os prós e os contras é muito trabalhoso. Finalmente quando tudo vier abaixo, "foi esta a vontade do Pai!”

    Não representam cada um de nós, Adão e Eva?

    Como gostaria que os dois houvessem deixado um diário para nós, contando se era estático o paraíso... A julgar pela criação, o movimento era uma constante...

    ResponderExcluir
  13. Levi, seus dois lados as vezes me impressionam. Uma hora você surge como o mais sensível e doce dos poetas, outras vezes como o mais sarcástico inimigo da poesia...

    Eu te amo sabe? rsrs

    ResponderExcluir
  14. Levi,
    Devo dizer que o que vc escreve é sempre tão interessante e profundo que prefiro nem comentar rs... mas esse seu último comentário aí é ...sei lá! Sem palavras.

    ResponderExcluir
  15. O Levi tá arrebentando a boca do Adão!!!! digo, do balão...rssss

    Virou até "pensamento da hora". Aliás, abri uma página no blog para arquivar aquelas frases que chamaram a atenção pelo conteúdo ou pela beleza. Vai ter um monte de frases do Levi, podem ter certeza...rs aproveito para dizer que todo mundo aí é administrador do blog(acho que menos a Gui por que ela é conservadora..kkkkk Gui, preciso de mandar de novo o convite!!!) e podem também guardar lá suas frases preferidas.

    ResponderExcluir
  16. Levi,

    esse desejo de transgredir fica patente no relato de Adão e Eva. Na verdade, nem precisaria a serpente por perto, pois o desejo viria a tona com ou sem serpente influenciando.

    Agora uma questão: Você acha que nós somos por natureza anarquistas? contra todo poder sobre nós? somos de fato, "condenados a sermos livres"? e expandindo um pouco a questão, o formato dos governos do mundo atualmente é a melhor opção?

    ResponderExcluir
  17. Edu e demais


    Muito se fala de Adão e pouco de Eva.

    Se nos determos com mais profundidade na figura mítica de Eva, iremos observar que coube a ela o uso das primeiras estratégias transgressivas à moral vigente no paraíso.

    Outras Evas depois apareceram para o bem da continuidade histórica evolutiva ou redentoramente transgressora. O padrão iniciado por Eva, continuou com a filha mais velha de Lot, que o embriaga para através de uma transgressão sexual resgatar o futuro da semente do seu pai. A nora que engana Judá, a Rute que seduziu Boás. E por aí vai...

    A transgressão que cria uma nova ordem, num primeiro instante é vista como imoral, mas é sempre ela que salvará a continuidade evolutiva da raça humana. A linhagem messiânica foi construída de transgressão em transgressão, até chegar àquele que foi considerado o maior transgressor, herege, traidor da moral e dos bons costumes — o Filho de José e Maria.

    Quanto a sua pergunta, Edu: Você acha que nós somos por natureza anarquistas?

    Eu diria que somos por natureza subversivos ou transgressores, sim.

    Concordo com o Rabino Nilton Bonder: “a moralidade tem na preservação da tradição e na imutabilidade o alimento para o CORPO. Mas a ALMA vive do que as instituições e a sociedade reconhecem como imoral”

    O ato de comer do fruto da árvore proibida foi uma transgressão e nunca um pecado. A transformação de Adão e Eva em seres humanos se dá quando eles transgridem.

    BENDITA TRANSGRESSÂO, que nos ensinou a pensar fora da Gaiola (rsrs)

    ResponderExcluir
  18. PROFECIA FUNDO DE QUINTAL PRA GUIOMAR!!!

    Leva essa onda pra lá, Guiomar
    Que eu não sou mar
    Leva essa onda pra lá, Guiomar
    Que eu não sou mar

    Seu papo é malandreado
    Sou gato escaldado não vou me molhar
    Pode saltando de lado
    Em papo furado não vou navegar...

    DISPONÍVEL NO LINK UNGIDO: http://letras.terra.com.br/fundo-de-quintal/139790/

    MEU NOME É IRREVERÊNCIA!!!

    RSRSRSRSRSRSRSRSRSRSRRSRSRSRSRSRRSRSRSRRSRSRSRSRSRSRRSRSRSRSRRSRSRSRSRRSRSRSRSRRSRSRSRSRRSRSRSRSRRSRSRSRSRRSRSRSRSRSRRSRSRSRSRRSRSRSRSRRSRSRSRSR

    ResponderExcluir
  19. UM ADENDO EM TEMPO:


    A respeito do afeto “transgressão” não custa nada lembrar a imagem arquetípica do “andar superior” (Céu). Lá, nesse imaginário lugar de doçuras já existia o vácuo que iria provocar o desejo de transgredir, representado pela figura de um anjo que desceu para formar trazer o lado obscuro de Deus para nós. Ele não queria que invadíssemos o seu pomar para roubar a maçã.

    No mito bíblico de Adão e Eva, temos o exemplo de como nasce o desejo. Deus fala para eles não tocarem no fruto proibido, e ao mesmo tempo coloca um terceiro elemento para provocar o desejo neles.

    Antes, Deus estava para Adão e Eva, assim como Adão e Eva estavam para Deus, havia a totalidade, sem desejo, portanto. Sem ter o que desejar, o paraíso permanecia estável, previsível. A serpente, chamada de demônio, tentação, seria o inconsciente impulsionando-os para um objeto de desejo”. (Lacan)

    Os Adões e Evas de hoje passam agora os seus dias à procura daquilo que perderam, tentando reconquistar seu lugar diante do completo.

    Na mente dos antigos, Javé corria, irado, dizendo para o homem transgressor: “Ah se eu te pego Adão!” (A figura que Franklin arranjou para colocar no topo do seu texto, falando no jargão evangélico, eu diria: foi revelação do E. Santo)

    O homem moderno (não fundamentalista), já vê ou percebe a imagem arquetípica do Filho de Deus, de uma outra forma. Ele vê o Filho como um amigo e defensor, dizendo para ele:

    “Se Ele te pegar, eu te absolvo. Não foi à toa que eu derramei o meu sangue por ti”
    (rsrs)

    ResponderExcluir
  20. Levi,

    é o seguinte...

    Antes, Deus estava para Adão e Eva, assim como Adão e Eva estavam para Deus, havia a totalidade, sem desejo, portanto. Sem ter o que desejar, o paraíso permanecia estável, previsível. A serpente, chamada de demônio, tentação, seria o inconsciente impulsionando-os para um objeto de desejo”. (Lacan)

    Se tudo estava tão "total" no paraíso entre Deus e os seus filhos, por que Ele põe neles o desejo de transgredir?(inconsciente)

    Deus fala para eles não tocarem no fruto proibido, e ao mesmo tempo coloca um terceiro elemento para provocar o desejo neles.

    Como é que você, teólogo do inconsciente, pode resolver essa questão para um leitor evangélico inteligente porém, conservador?

    Afinal de contas, "Deus queria que eles evoluíssem pela transgressão para voltar ao que eles já tinham?"

    ResponderExcluir
  21. Franklin, já que você trouxe versos para a Guiomar. Vou postar aqui alguns versos do maior clássico épico sobre Adão e Eva, já escrito ― “O Paraiso Perdido”, de John Newton:

    Nos versos que se seguem, aparece o Filho de Deus, tentando consolar o Pai, por ter perdido seu maior assessor — O Anjo de Luz, que virou Satã:

    O FILHO para o PAI:

    O homem falido devedor nada possui
    Eis-me a mim, pois: — e pela dele, toma
    A minha vida: em mim teu furor ceva;
    Vinga-te em mim, como o fizeras no homem
    Por amor dele, e de meu livre impulso,
    Deixo Teu grêmio, desta glória saio,
    E até por fim me sacrifico à Morte.


    RESPONDE o PAI AO FILHO:

    Ó tu que só na Terra e Céus podias
    A salvação achar da prole humana,
    Pelo seu crime exposta aos meus furores!
    Ó tu meu prazer único! Bem sabes
    Todas as minhas obras quanto eu prezo;
    Mas a última prefiro a todas... o homem.


    Vai meu Filho vai... Vai depressa. Eu não posso viver sem a minha maior obra. Em ti, eu agora o tratarei não como um carrasco, mas como um amigo. Vai...

    ResponderExcluir
  22. Se tudo estava tão "total" no paraíso entre Deus e os seus filhos, por que Ele põe neles o desejo de transgredir?(inconsciente) (EDU)

    Vou tentar responder a sua pergunta, recorrendo ao antropomorfismo e por tabela, a psicologia (rsrs):

    No céu, isto é, no nosso paraiso bio-psicológico, tudo era “UNO”, mas nesse “uno” já existia o inconsciente — o habitat, o lado obscuro de Deus, ou o lado agressivo, reacionário.

    No mito de Jó, veja que aparece o conflito que representa o humano antes e depois do que Jung denomina individuação. A figura de Satã, representada pelos inimigos de Jó não desaparecem, por que são eles a antítese, necessária para que haja a SÍNTESE: “os inimigos sentam á mesa com JÓ no final da sua epopéia”.

    Mas que é difícil, é. Não gostamos de sentar à mesa com os nossos inimigos por que neles estão presentes nossos próprios recalques.

    Não somos diferentes de Pedro: falamos, nos dispomos, mas lá no fundo somos um pouco fundamentalistas, ou hedonistas: só queremos prazer e vitória. Lá no fundo somos um pouco como os fiéis do Silas e do Edir Macedo (rsrs)

    ResponderExcluir
  23. ERRO CRASSO, CORRIJAM:

    Onde está escrito no meu comentário acima, John Newton, LEIA-SE: John Milton

    ResponderExcluir
  24. "Deus fala para eles não tocarem no fruto proibido, e ao mesmo tempo coloca um terceiro elemento para provocar o desejo neles."

    Edu, isto é uma acusação...
    A intenção de Deus estava no coração dEle.

    Nós temos que aprender a dizer não. Nem sempre o nosso coração deseja o que é melhor para nós. Ele tem suas ilusões. Principalmente porque não somos senhores do saber.

    Gosto da sabedoria oriental, eles trabalham muito no domínio próprio...

    Beijo.

    ResponderExcluir
  25. Valeu pelos versos Levi, dá pra fazer samba do bom! rsrsrs

    ResponderExcluir
  26. GUIOMAR

    A beleza e grandeza da criação no Gênesis relatada de forma mítica, reside na sua tradução.

    Ela descreve exatamente COMO FOI QUE SE DEU O NASCIMENTO DO DESEJO"

    Pense nisso...

    ResponderExcluir
  27. Levi,

    eu acho que entendi a explicação psicológica-antropormófica, mas creio que meu amigo cristão conservador inteligente hipotético vai ter alguma dificuldade...rsss

    A leitura psicanalítica do mito edêmico é espetacular, confesso. Parece mesmo explicar esse mecanismo de busca pela unidade em meio à força do desejo e da transgressão.

    Como gosto de fuçar as motivações históricas e teológicas dos escritores bíblicos, reproduzo abaixo um comentário do famoso comentarista do AT Luís Alonso Schokel, profundo conhecedor da poesia hebraica, sobre o tema proposto:

    "Como foi concretamente essa rebelião? Qual era a situação precedente? O autor não conhece os particulares do fato e deve elaborá-los de forma inteligível para seus leitores, e com qualidade simbólica expansiva.

    O autor sem perceber lança mão de dois grupos de dados: uns de origem e ascendência mítica: um paraíso ou parque encantado, com água abundante e árvores prodigiosas, a divindade aí passeia, uma serpente ou dragão nefasto; esses dados entram numa constelação nova, à qual se subordinam.

    O segundo grupo de dados é tirado da experiência histórica do autor e do seu povo: que é o pecado, como se desenvolve, que consequência acarreta."

    (comentários da Bíblia do Peregrino)

    ResponderExcluir
  28. Levi, o mal desejo nasceu no céu com o príncipe Lúcifer, só que um desejo invejoso, de torpe cobiça, e frustrado, "desejou" companhia para seu infortúnio...

    Edu, não conheci seu amigo conservador... visita nossa confraria? Ele deve me dá as mãos, vou pegar carona na inteligência dele. kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  29. Gui, talvez sem querer você está confirmando a tese psicanalítica do Levi de que o mal "nasceu no céu"(inconsciente)...rsssss

    E quanto ao amigo citado, é hipotético, mas tenho alguns reais...rs

    ResponderExcluir
  30. GUIOMAR


    O Franklin falou em samba, e eu agora quero mudar a pancada do bombo. Quero recordar um frevo de Nelson Ferreira do meu tempo de adolescente. Você, como Pernambucana da gema, deve está bem lembrada desse frevo que foi o mais tocado e cantado no ano de seu lançamento:


    Vira, vira, óia virada, ô!
    Vem cair no passo moreninha do amô.
    Lá em casa todo mundo
    Virá pó no carnavá
    Até mesmo a minha sogra
    Se esfarinha de pulá

    Vira, vira...
    Carnavá só tem três dia
    Valha-me São Sarvadô
    Carnaval nasceu no céu
    Foi os anjos que inventou.


    P.S.:
    Ao ouvir esse frevo, quando meninote, chegava a me arrepiar de medo pois achava uma grande blasfêmia ou irreverência. Deixa que o autor do frevo entendia mais de Bíblia do que eu. (kkkkkkkkkkkk)

    ResponderExcluir
  31. Levi, tu és um museu, digo, baú de sabedoria! rsrsrs

    ResponderExcluir
  32. KARAKA Edu, você foi longe heim véio!!!"...talvez sem querer você está confirmando a tese psicanalítica do Levi de que o mal "nasceu no céu..."

    Que sinuca pra sair ileso dela Nobre Herege Mor!!!

    ResponderExcluir
  33. Não comparo o desobedecer a autoridade, com o conceito de “mal”.

    Lúcifer representa o nosso lado rebelde. Representa a agressividade que já existe no próprio bebê de poucos meses, o qual morde o mamilo da mãe quando está insatisfeito. Chamou-se isso de “mal”. Mas o mito não quer mostrar exatamente esse tipo de insatisfação como uma coisa má

    É Lucifer (o anjo de luz, decaído) que abre os olhos do homem. O homem se dá conta de seu novo estado. As portas do paraíso foram abertas para que os olhos do homem sentisse em seu ser tudo que ele nunca vira antes. Abriram-se as portas do paraíso para que finalmente nascesse o homem que iria enfrentar a si mesmo e lidar com sua existência num lugar inóspito, onde tinha que se incluir tudo que estava latente lá no início (no Céu). A alma humana, agora transgressora irá lidar com sentimentos como: inveja, cólera, ciúme, ódios, raivas, discórdias, etc

    Mais tarde esse homem vai descobrir que em seu íntimo mora um potencial que irá aliviá-lo, isto é, ele vai extrair satisfação através de seus próprios esforços, tornando mais leve o fardo pesado com que saiu do Jardim do Éden. Depois da primeira ruptura (queda), o viver do homem será marcado pelo acúmulo de rupturas em sua caminhada existencial. Satã (a estrela D’Alva) metáfora do desejo de transgredir, acompanhará o homem para testá-lo. A missão de Satã é a de tentar o homem para que surja nele a paciência. Até que ele não é tão mal assim, não é Gui? (rsrsrs)

    “Bem-aventurado o varão que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam. ( Ou dez virgens se você for muçulmano – rsrs)
    Tiago 1:12

    ResponderExcluir
  34. Estou sentindo a falta do DONI e do Rodrigo neste debate Luciferiano (rsrs)

    ResponderExcluir
  35. Levi,

    dissestes bem, Satã não é tão mau quanto o cristianismo medieval lhe pintou, como sendo o causador de pestes, doenças e todos os vícios humanos.

    É interessante que por exemplo, no livro de Jó, "Satã", que o cristianismo depois vai identificar como o Diabo, satanás, não é um ser maligno. Veja que ele tem acesso total à presença divina; entra e sai a hora que quer no lugar onde os "filhos de Deus se reunem".

    A ideia de Satã ali era de um ser da corte celeste que tinha por função apontar os erros e contradições humanos, e fazê-los de certa forma, como você disse, buscar a elevação.

    "...isto é, ele vai extrair satisfação através de seus próprios esforços, tornando mais leve o fardo pesado com que saiu do Jardim do Éden."

    Tanto que no relato do profundo e filosófico livro de Jó, Deus pergunta se Satã ao passear pela terra tinha observado alguém em particular, o seu servo Jó, homem justo e fiel.

    O resto da história agente conhece. Ou, continuamos a conhecer, já que cada vez que leio Jó, percebo novos dramas da existência humana na sua relação com o próximo, com Deus e com Satã.

    ResponderExcluir
  36. Nobre Herege Mor Eduardo Medeiros DE JESUS, tu tem que entender que o capeta, rabudo, chifrudo, cramunhão, coisa ruim,era um ANGELUS VIP, por isso o privilégio em entrar e sair das recâmaras celestiais com passe livre! rsrsrs

    ResponderExcluir
  37. Levi, também assino embaixo: "Não comparo o desobedecer a autoridade, com o conceito de “mal", SEMPRE!

    A não ser quando esse desobedecer está focado na ânsia egoísta do ser humano em se dar bem em detrimento da dignidade do outro.

    Como escrevi recentemente e já amplamente discutido aqui, "As vezes é preciso transgredir para progredir".

    Assitindo em família a novela REBELDE rsrsrs, olha só o que eu escutei da boca dos alunos e que eles repetiram do que haviam escutado do personagem Vicente que representa um professor todo liberal:

    "Ser rebelde, é ser você mesmo, e não respeitar as regras só porque elas são regras. Ser rebelde é pensar com a própria cabeça. Ser rebelde é fazer aquilo que acredita. Ser rebelde não é só ser do contra, ser rebelde, é fazer o que acha certo. Ser rebelde é não aceitar imposição. Ser rebelde é questionar.

    A disposição dos noveleiros de plantão no link ungido: http://entretenimento.r7.com/rebelde/videos/detalhes/rebeldes-protestam-contra-saida-de-vicente-do-colegio/idmedia/4e4f0352fc9b705de7980b51.html

    P.Q.P.!!! Novela também é cultura!!! rsrsrs

    ResponderExcluir
  38. Confrades e noveleiros de plantão, achei o vídeo completo com a fala do professor rebelde no link profético: http://www.youtube.com/watch?v=iov1slZ_wV4&feature=related

    ResponderExcluir
  39. Franklin e amigos confrades,

    Peço desculpas por não ter participado dessa conversa tão rica em reflexões e saberes.

    Meu lado igrejeiro tomou todo meu fim de semana. Mas também foi proveitoso, assim como a leitura do texto e dos comentário feito por cada um de vocês.

    Vocês são de fato acima da média. Os tops da blogosfera!

    Concordo com o Edu, O LEVI sobra!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  40. Doni, vc precisa passar pela corrente forte do descarrego dos DESIGREJADOS!!!rsrsrs

    Realmente o Levi tem um "cabeção" privilegiado!!! rsrsrs

    ResponderExcluir
  41. Franklin

    Conferi o vídeo. ARRETADOOOO!(como fala o nordestino quando quer elogiar)

    E fiquei a imaginar quão bom seria um professor da estirpe do Vicente para exercer a boa transgressão numa classe de escola dominical. (rsrs)

    Já pensou, se as nossas escolas tivessem, em cada sala, um Vicente desse! O Brasil seria outro. (rsrs)

    ResponderExcluir
  42. Ele (o professor Vicente) de pronto me corrigiria, pois no meu comentário, onde coloquei um ponto de exclamação, cabia um de interrogação. (kkkkkkkk)

    ResponderExcluir
  43. Kilim, vi a aula do professor explicando o que é ser rebelde e é muito bom!! compartilhei no face. Graças ao bom Javé, já pude numa sala de seminário plantar um pouco da boa rebeldia sadia quando nas aulas de teologia sistemática eu perguntava para a turma:

    "Vocês querem estudar teologia sistemática com emoção ou sem emoção...??
    kkkkkkkkkk

    os rebeldes logo diziam que queriam com "emoção" e os conformados com as regras dogmáticas não pensadas olhavam desconfiados para mim...rs

    ResponderExcluir
  44. Já vi que não estou sozinho na minha "novelisse"!rs

    Creio que estamos contracenando a mesma novela aqui na confraria: Levi o professor, Edu o rebelde instigador, e o demais confrades aqueles que querem uma aula com emoção!rs

    De vez em quando entra em cena algum régulo de bloguinho dogmático fundamentalista para por pilha na "santa zona teológica" que se apronta aqui!rsrsrs

    ResponderExcluir
  45. Franklin, vc é aquele que senta no fundo da sala e fica zoando a aula inteira. A Turma adoora, o professor nem sempre. rs... Mas eu sou aluna dessa confraria e quero muita emoção nas aulas viu, Fessô! rs... O Doni, se não é o professor tb, é o aluno CDF.
    Agora, voltemos a aula que eu quero aprender e não me venham com novelinhas da Record. Se ainda fosse novelinha da GLOBO! rs...

    ResponderExcluir
  46. Besta friendA, foi revelação essa visagem que vc teve?!@#$%¨&*

    Acertou na mosca! Perdi as contas de quantas vezes fui convidado a me retirar da sala de aula!rsrsrs

    Quanto ao Doni, só falta vestir a "roupinha" de rebelde, pois com seus textos subversivos logo, logo vai ser excomungado da A.D. pra entrar de cabeça no rol dos desigrejados da confraria herética! rsrsrs

    Agora Mari e demais confrades, acabei de chegar do mercado e olha só o que estava tocando de fundo musical:

    Sem Pecado e Sem Juízo (Baby Consuelo)

    Dia após dia
    Começo a encontrar
    Mais de mil maneiras
    De amar

    Aqui nessa cidade
    O pôr do sol e a paisagem
    Vêm beijar luar
    Doar felicidade

    Tudo azul
    Adão e Eva, e o paraíso
    Tudo azul
    Sem pecado e sem juízo

    Tudo azul
    Adão e Eva, e o paraíso
    Tudo azul
    Sem pecado e sem juízo

    E todo dia livres
    Dois passarinhos
    Cantar
    Pra esse amor
    Super star
    Sempre com

    Tudo azul
    Adão e Eva, e o paraíso
    Tudo azul
    Sem pecado e sem juízo

    E todo dia livre
    Dois passarinhos
    Cantar
    Pra esse amor
    Superstar
    Sempre feliz

    ResponderExcluir
  47. Mais uma Mari, novela aqui em casa da Record, só Rebelde, Vidas em Jogo e os cultos da IURD rsrsrs, nas outras preferimos a globalização com "Amarração", Vida da Gente e Fina Estampa! rsrsrs

    ResponderExcluir
  48. Franklin,

    Não se esqueça que você me nomeou o espião infiltrado nos meios penteca os tais. E no melhor estilo 007, tento manter a pose! rs

    Mas nas oportunidades que tenho, ainda que a conta gotas, tento transmitir as verdades bultmanianas de ser.

    Mas sem dúvida alguma, se trata de uma teologia que faz os esqueletos de Daniel Berg e Gunnar Vingren se debaterem em seus túmulos! rsrsrs

    ResponderExcluir
  49. Edu, "Gui, talvez sem querer você está confirmando a tese psicanalítica do Levi de que o mal "nasceu no céu"(inconsciente)...rsssss"


    Não foi sem querer não, você sabe que creio literalmente nisto, e não ligo de ser chamada de fundamentalista e até mesmo de ignorante.

    Eu já vi demônios com meus olhos e já expulsei de pessoas. Queria saber o que diria você, Levi, e outros se o diabo aparecesse a vocês. Se achariam que foi uma alucinação ou correriam para um psquiatra.

    Eu vou voltar Levizinho pra comentar seu comentário.

    ResponderExcluir
  50. Doni, vc é um "Bultmaníaco" também ?! rsrsrs

    Creio que vc, eu e o Edu temos alguma coisa em comum... Contraímos "Bultmaníase"! rsrsrs

    ResponderExcluir
  51. Vocês dois estão liberais demais, assim os nossos queridos irmãos fundamentalistas que já nos puseram no inferno, não virão mais aqui dá uma espiadinha à moda BBB....rssss

    Gui, parece que cada um vê o que acredita. Se você fosse espírita diria ter visto um "espírito obsessor". Se você fosse uma cética, com certeza procuraria um psiquiatra...rsss Tudo é interpretação.

    Nunca vi demônio, anjo, Deus(mas este ninguém vê mesmo, né?_), Jesus, querubim...e olha que nos meus tempos de fundamentalista assembleiano eu orava fervorosamente para que Jesus me permitisse ter uma visão de um anjo. Talvez essa seja a minha maior frustração na vida de assembleiano; afinal de contas, quase todo mundo por lá via anjo...rs

    ResponderExcluir
  52. Edu nunca fui de assembléia e sai da igreja pentecostal aos 17 anos, por não obedecer as normas.

    Vi demônio e fui literalmente acompanhada por um anjo, que logo após me haver servido, desapareceu diante dos meus olhos. Acredito porque vi e não vi porque acredito. Eu poderia não acreditar e ver...

    Pena que já fomos para outra postagem e eu não respondi o que queria...

    ResponderExcluir